Vai viajar para a Alemanha? 8 dicas essenciais para planejar sua viagem
viajar para a alemanha

Vai viajar para a Alemanha? 8 dicas essenciais para planejar sua viagem

O planejamento de uma viagem normalmente é um momento de muitas dúvidas, independente de você ser um viajante principiante ou alguém habituado a frequentar aeroportos e visitar diferentes destinos nacionais e internacionais. Cada país tem questões específicas que devem ser levadas em conta na hora do planejamento da viagem. Viajar para a Alemanha é um desejo de muitos brasileiros, mas na hora de transformar esse desejo em realidade é que as dúvidas aparecem: o que preciso levar de documentação? Devo comprar euros lá ou aqui? Quando é a melhor época do ano para viajar para a Alemanha? Nesse post, preparamos e detalhamos 8 dicas básicas – e essenciais – que vão ajudar você a planejar sua viagem para a Alemanha.

1) Passagens aéreas

Pra começar, sem esse item “básico” a viagem sequer acontece, né? Rsrs

Partindo do Brasil, as 3 principais companhias aéreas a oferecer voos para a Alemanha são a LATAM , a Lufthansa e a Condor –  as únicas que realizam vôos diretos para o aeroporto de Frankfurt. Para os demais aeroportos do país, mesmo de cidades grandes como Munique e Berlim, algumas das principais companhias aéreas mundiais (KLM, Air France, Iberia, British, dentre outras) oferecem vôos em menor quantidade e sempre com escalas. Isso acontece porque o aeroporto de Frankfurt é um grande hub, sendo o maior e o principal aeroporto da Alemanha.

Por conta disso, as passagens mais baratas acabam sendo via Frankfurt, e a cidade muitas vezes é incluída nos roteiros e funciona como porta de entrada (e/ou de saída) da maioria dos brasileiros na Alemanha (veja nosso roteiro por Frankfurt).

Promoções de passagem podem acontecer a qualquer momento e são imprevisíveis, mas normalmente a regra para conseguir os melhores preços é começar a sua busca com pelo menos 6 meses de antecedência.

Os preços sempre vão oscilar em função da cotação do dólar/euro em relação ao real. Em média, um voo ida e volta do Brasil para a Alemanha (via Frankfurt) comprado com alguma antecedência custará algo entre R$2500 e R$3500 (classe econômica). Em períodos promocionais é possível encontrar passagens até pela metade desse preço (a nossa a gente encontrou pelo Voopter e saiu por R$1300 ida e volta pela Lufthansa, com taxas incluídas). Se deixar pra comprar em cima da hora, prepare-se para gastar R$5000 ou mais pelas passagens.

Dica #viajaredemais: Fique ligado em sites como o Melhores Destinos para receber alertas de promoções relâmpago. Outra excelente ferramenta é o comparador de passagens aéreas Voopter, que auxilia na tarefa de encontrar os melhores preços para viajar para a Alemanha. Mesmo que o seu destino final não seja Frankfurt, costuma sair mais barato comprar o vôo com ida e volta por Frankfurt e fazer o restante das viagens internas de trem. Vale a pena pesquisar a diferença de preço antes de garantir as suas passagens. 🙂

2) Documentação

Para brasileiros, é obrigatório apresentar passaporte com pelo menos 4 meses de validade (essa é a informação oficial, mas recomenda-se 6 meses de validade para evitar transtornos). Documentos como carteira de identidade, CPF ou carteira de motorista não são aceitos. Ao contrário de viagens para os EUA, não é necessário visto se a sua viagem para a Alemanha não durar mais de 90 dias. Outro item fundamental a ter em mãos é o comprovante do seguro viagem (falaremos mais sobre ele no item 7 dessa lista). Para quem tem dupla cidadania européia (mesmo que não seja alemã), basta apresentar o passaporte da comunidade européia. Nesse caso, não é necessário o seguro viagem.

Já para quem pretende dirigir com carro alugado, a Convenção sobre Trânsito Viário de Viena atesta a validade da CNH brasileira por até 6 meses (180 dias) em território alemão. Entretanto, a maior parte das locadoras de veículos exigem o PID (permissão internacional para dirigir). Tivemos muitos relatos também de brasileiros que foram multados quando parados pela polícia sem o PID. Essa permissão pode ser solicitada diretamente no Detran, com um custo que varia de estado para estado.  Na dúvida, consulte o site do Detran todas as informações para poder dirigir tranquilo pelas autobahns. 🙂

Dica #viajaredemais: É muito comum durante o processo da imigração ser solicitado a fornecer informações sobre a sua data de volta e sobre o local onde irá se hospedar. As vezes fica só na conversa, as vezes é necessário apresentar “provas” (email da passagem de volta ou da reserva do hotel/apartamento). Na dúvida, leve impressa qualquer comprovação que deixe claro que você não está indo de vez para o país. 🙂

3) Hospedagem

Hospedagem é sempre um item chave no planejamento de sua viagem. Na Alemanha, o mais comum é recorrer a um hotel ou apartamento de temporada (isso se você não tiver um apartamento próprio ou amigos que possam te receber, é claro). Como já dissemos, já no processo de entrada no país podem te solicitar um comprovante de reserva. Então nem pense em viajar sem ao menos 1 lugar certo para ficar, mesmo que não seja para a viagem inteira.

A Alemanha é muito bem servida em sua rede hoteleira, apesar de algumas particularidades e diferenças em relação aos hotéis brasileiros. É possível encontrar desde albergues e pequenos hotéis familiares até luxuosos hotéis 5 estrelas nos sites convencionais como o Booking.com, hoteis.com ou Trivago. Se a sua opção for por alugar um apartamento, a grande referência é continua sendo o Airbnb. Mas a grande pergunta é: qual dessas 2 opções (apartamento ou hotel) vale mais a pena?

É claro que a resposta é muito particular e vai do gosto (e do bolso) de cada um. Nossa impressão particular levando em conta a viagem que fizemos no final de 2016 é: se você começar a procurar por hotéis com antecedência (pelo menos 3 meses antes da viagem), e seguir o nosso passo a passo para conseguir os melhores hotéis pelos menores preços, é bem possível encontrar bons hotéis a preços similares ao dos apartamentos de temporada. Na Alemanha, a diferença de preços entre hotel X apartamento não nos pareceu tão grande quanto em outros lugares do mundo. Nesse caso, para preços parecidos, eu recomendaria a opção do hotel pela segurança e conforto. Mas se você deixou a busca para a última hora, ou se sua viagem exige condições muito específicas (deseja um apartamento onde caibam 8 pessoas mais papagaio e periquito), aí o Airbnb provavelmente trará melhores opções.

Dica #viajaredemais: sempre que possível dê preferencia a hotéis ou apartamentos em bairros próximos ao centro das cidades. Na organização/estrutura das cidades alemãs o centro vai concentrar boa parte dos pontos turísticos e passeios que você provavelmente desejará fazer. Por mais que a rede de transporte público alemã seja uma das melhores do mundo, ficar longe do centro vai exigir deslocamentos que custam tempo e dinheiro. As vezes uma economia de €10 na diária pode acabar sendo gasta com tickets de metrô e tempo jogado fora. 😉

4) Clima

É claro que o clima vai depender da região exata que você pretende visitar, mas Alemanha como um todo tem suas estações do ano muito bem definidas: Primavera com clima ameno e temperatura média de 15º a 20º, com flores colorindo a paisagem por todos os lados; verão com temperaturas médias de 20° a 25º (podendo chegar aos 30º nos dias mais quentes) e com dias muito longos (no auge do verão, o sol só se põe às 22h); outono com árvores cobertas de folhagem amarelada ou quase sem folhas e temperaturas de 10º a 15º e inverno bem rigoroso, com dias mais curtos (escurecendo por volta das 15h30), e muitos dias de neve e temperaturas abaixo de zero.

A época do ano vai influenciar em muita coisa do seu planejamento – a começar pela quantidade de roupas na mala de viagem, passando pela escolha da região a visitar ou o estilo de viagem a se fazer – mas de um modo geral a Alemanha é um país muito bem preparado para todas as estações.

Dica #viajaredemais: Normalmente o que se diz é que a melhor época para viajar para a Alemanha é nos meses de verão ou primavera, em que as temperaturas mais amenas e os dias mais longos favorecem a adaptação do turista mais acostumado ao calor e o melhor aproveitamento da viagem. Eu particularmente acho que cada época do ano tem o seu valor. No inverno, por exemplo, as paisagens cobertas de neve e o charme dos mercados de Natal e das comidas e bebidas típicas são uma experiência única e inesquecível. Ao mesmo tempo, ver os biergartens lotados, as pessoas ocupando as ruas e ter luz do sol clareando até as 22h da noite fazem do verão uma época ótima para aproveitar ao máximo cada dia de viagem.

5) Dinheiro

A moeda oficial na Alemanha (e em grande parte da Europa) é o Euro. O valor do Euro em relação ao Real oscila diariamente, e ultimamente tem variado na faixa dos R$4,00/R$5,00 para cada €1. Do ponto de vista da aceitação, tanto dinheiro vivo (obviamente) quanto cartões de crédito são bem aceitos em grande parte do país. Se a sua viagem é somente por grandes cidades, como Berlim, Munique, Hamburgo, Frankfurt, etc, o cartão de crédito será aceito em 99,9% dos casos. Para quem planeja conhecer cidades menores, a boa é não contar somente com o cartão de crédito e ter sempre dinheiro em espécie para garantir.

Agora, do ponto de vista do que vale mais a pena, cartões de crédito estão sujeitos a impostos (IOF de 6,38%) e cotações que podem variar de acordo com o humor dos mercados ou o dia de fechamento da sua fatura. A vantagem é a segurança e as milhas que você vai ganhar concentrando as despesas no cartão. Já o dinheiro em espécie tem o “risco” de você perder ou de ser roubado (apesar de na Alemanha ser um risco quase inexistente), mas a vantagem é saber exatamente quanto está pagando por cada euro e ter menos alíquotas de impostos.

Para usar seu cartão de crédito, são necessárias 2 coisas:
1) o cartão tem que ser internacional;
2) você precisa habilitar o seu cartão para uso no exterior durante o período da viagem (isso pode ser feito pelo seu gerente ou por você mesmo através do aplicativo ou site do banco).

Para dinheiro em espécie o ideal é comprar os euros no Brasil, em bancos ou casas de câmbio.

Dica #viajaredemais: Para compra de dinheiro em espécie tenho usado o aplicativo Melhor Câmbio. Ele encontra as melhores cotações das casas de câmbio da sua cidade, e pelo menos aqui no Rio de Janeiro a cotação encontrada por lá tem sido imbatível.

Outra dúvida frequente sobre dinheiro é “quantos euros eu devo levar para a minha viagem?”, ou “quanto vou gastar por dia quando viajar para a Alemanha?”. É a típica pergunta cuja resposta é…Depende! Depende do seu perfil de viajante, do quanto pretende gastar em compras, dos restaurantes que pretende frequentar, etc. O melhor que dá pra fazer é dar como exemplo a média de gastos da nossa viagem (e lendo os posts do nosso roteiro pela Alemanha dá pra ter uma boa ideia do nosso estilo de viagem): €60 por pessoa por dia, excluindo os gastos com hotéis e passagens aéreas.

6) Idioma

O idioma na Alemanha obviamente é o… alemão! 🙂  Mas a verdade é que alemão é uma língua bem diferente do nosso português, e muita gente fica com receio de viajar sem saber nada do idioma, com dúvidas se vai conseguir se virar bem por lá, ou se arranhar aquele inglês básico será o suficiente. Bom, para começar desfazendo o primeiro dos mitos, ninguém vai te tratar mal ou com indiferença se você falar inglês. A maior parte da população fala inglês razoavelmente bem, o que já desfaz um segundo mito, de que “pouca gente fala inglês por lá”. Sim, encontramos algumas pessoas que sequer arranhavam uma palavra em inglês, mas essa é uma exceção. Nesses casos, a linguagem universal dos gestos funcionou muito bem pra gente. 🙂

Mas é claro que tentar aprender algumas palavras básicas vai facilitar bastante a sua vida e minimizar sua dependência do Google Tradutor. “Ja” = sim;
“Nein” = não; “Bitte” = por favor; “Danke” = obrigado/a; são alguns exemplos de palavrinhas que você vai usar com frequência no dia a dia quando viajar para a Alemanha.

Dica #viajaredemais: Cardápios em alemão são bem complicados de entender pra quem não conhece o idioma, e muitas vezes não existe a opção do cardápio em inglês. A dica é: se tem alguma comida ou ingrediente específico que você não coma em hipótese alguma, decore a escrita dessa palavra para pelo menos evitar pedir um prato que você não vai conseguir comer. 😉

7) Seguro Viagem

Para um turista viajar para a Alemanha (e para muitos países da Zona do Euro) é obrigatório possuir um seguro viagem com cobertura de valor mínimo de 30 mil euros. Repetindo: SEGURO VIAGEM É OBRIGATÓRIO!

Essa exigência se aplica em todos os países signatários do Tratado de Schengen, um acordo assinado por alguns membros da Comunidade Europeia que promove a livre circulação de pessoas entre seus países. No momento da chegada na Alemanha, tenha em mãos um comprovante impresso do seu seguro para apresentação (caso seja solicitado).

Dica #viajaredemais: Nas nossas viagens utilizamos sempre a Seguros Promo. Geralmente a gente faz seguro torcendo pra não precisar, né? Mas na única ocasião em que precisei de fato utilizar o seguro a experiência com a Seguros Promo foi muito positiva. Em uma viagem para a Argentina meu pai apresentou um problema de saúde e foi preciso levá-lo para exames mais detalhados em um hospital. Bastou ligar para o número de telefone indicado pela Seguros Promo (atendimento rápido e todo em português) que conseguimos a liberação para a internação e os exames, tudo sem pagar nada e sem maiores burocracias. Além disso, o site deles é super fácil de usar, e o preço é imbatível. Hoje em dia já nem perco tempo comparando com outras seguradoras.

E pra que é leitor do Viajar é Demais, se você entrar por ESSE LINK ou pelo banner aí embaixo e utilizar o cupom de desconto escrito na imagem pra ganhar um descontão no preço final.

8) Vacinas

Para viajar para a Alemanha não são exigidas vacinas ou comprovantes de vacinas anteriores.


E aí, esclarecidas as dúvidas? Agora é só planejar sua viagem e aproveitar tudo que a Alemanha tem a oferecer! Pra começar, dá uma olhadinha nessas 5 coisas que você precisa fazer quando viajar para Alemanha! 🙂


Já reservou seu hotel na Alemanha?

Se você ainda não garantiu seu hotel para a próxima viagem, a dica é CLICAR AQUI e reservar um hotel pela Booking.com. Além de conseguir os melhores preços e ter toda a segurança que a Booking oferece, você ainda vai estar nos ajudando a manter o trabalho do blog. Cada vez que você acessa o site da Booking.com através do nosso link e faz uma reserva de hotel ou apartamento, eles repassam uma pequena comissão para o blog. E isso não custa 1 centavo a mais para você. Os preços são os mesmos para quem acessa por aqui ou de qualquer outra forma. Não é demais? 🙂

Quer viajar com segurança, tranquilidade, e se hospedar nos melhores hotéis pelo menor preço? Vai de Booking. 🙂

+ Pesquisar preços de hotéis e apartamentos na Alemanha


Mais atividades na Alemanha

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Alemanha. E mesmo que não fosse obrigatório, não dá nem pra pensar em viajar sem seguro, não é mesmo? Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um comparador de preços entre as principais companhias de seguro viagem do mercado que apresenta os melhores preços e condições para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comentários
  • Para quem pretende alugar um carro, importante fazer a carteira de motorista internacional. Como bem sabemos, na cultura alemã não existe o famoso “jeitinho”…

    • É verdade Laís, boa dica também. As vezes o pessoal acha que é só chegar no país, alugar o carro e sair dirigindo pelas autobahns. 🙂

      • Há alguns meses meu irmão dirigia pela Alemanha quando, sem perceber, entrou numa rua contra-mão. Um policial surgiu “do nada”, brotou do chão, kkkkkk, e aplicou a multa que foi paga ali mesmo, no ato. Por sorte ele possuía a carteira de motorista internacional, já que a nossa CNH não tem validade alguma. Se não a possuísse o carro teria sido apreendido e o prejuízo muito maior. Por conta disso já providenciei a minha carteira junto ao Detran, pois viajo para a Alemanha em julho. Ela leva um mês para ficar pronta e custa R$69,00. Parabéns e obrigada pelas preciosas dicas de viagem. Abraço!

        • Caramba, que sorte (ou azar)! Rsrsrs Mas q bom que no final tudo deu certo.
          E que legal que está curtindo as dicas do blog. Esperamos contar com sua participação por aqui! 🙂
          Abraços!

Viajar é Demais