Remédios para levar na viagem: o que não pode faltar na mala
Remédios e medicamentos: o que levar na mala

Remédios para levar na viagem: o que não pode faltar na mala

Quando estamos com uma viagem agendada, o que a gente mais quer é pensar no quanto será divertido e gostoso curtir os merecidos dias no destino escolhido. O planejamento já começa imediatamente no momento em que batemos o martelo sobre o lugar ou quando compramos as passagens \o/!

Por isso, tudo que a gente não quer é pensar em possíveis problemas que possam acontecer durante a viagem. Porém, um bom planejamento de viagem também passa por questões de saúde, seja para prevenir possíveis problemas ou estar preparado para aquelas situações não tão divertidas mas que podem acontecer na vida de um viajante.

Quando estamos viajando há muitas mudanças de hábitos em relação a nossa rotina do dia a dia: andamos mais, dormimos menos, nos adaptamos a um novo fuso-horário e comemos e bebemos coisas diferentes (e às vezes em maior quantidade). Normalmente tudo dá certo (ainda bem!), mas para aqueles momentos em que algo dá errado, nada melhor do que estar preparado para evitar que isso possa atrapalhar a nossa viagem!

Por isso, levar na mala um kit farmácia para viagem com remédios e itens para pequenos ferimentos é essencial em qualquer destino do mundo, seja para um centro urbano, praia ou campo. No kit de remédios para viagem devem estar, principalmente, aqueles medicamentos que o viajante já está acostumado a usar. E se a viagem for para o exterior, vale reforçar a farmacinha porque fora do Brasil, medicamentos são super controlados e vendidos somente com receita médica, inclusive o anticoncepcional. Tudo isso gera muitas dúvidas em quem está se preparando para viajar.

Quais remédios posso levar na mala de viagem?
Posso levar anticoncepcional em viagem internacional?
Como montar a farmacinha para viagem?

Nesse post, montamos um guia completo baseado nas principais dúvidas e na nossa experiência de viagem por vários destinos nacionais e internacionais. São recomendações do que não pode faltar no seu kit farmácia para viagem. O guia está organizado em categorias de acordo com os problemas de saúde mais comuns em viagens, os respectivos remédios mais usados e aqueles medicamentos que podem ser levados na mala.

Para facilitar a vida do leitor viajante, no final deste post você ainda encontra uma lista dos medicamentos e remédios em formato de checklist para ajudar na hora de arrumar a mala ou fazer as compras na farmácia.

Também selecionamos as principais recomendações sobre saúde do viajante, como: seguro viagem, dicas oficiais da ANVISA e referências importantes disponíveis no portal do Ministério da Saúde e sites do governo.

Confere aí na sequência as principais situações e problemas relacionados à saúde que podem acontecer em uma viagem e os respectivos remédios para cada um:

Remédios para levar na viagem: dor muscular, dor nas pernas, dor nas costas, contusões e torcicolo

Em geral, depois de um dia todo turistando em uma viagem, sentir dor no corpo é algo muito comum. A sobrecarga por conta do esforço de caminhar bastante e subir escadas, ladeiras ou até fazer passeios de bike, muitas vezes com mochila ou bolsa pesada, é parte da experiência do viajante. Até mesmo o torcicolo, menos comum mas ainda assim passível de acontecer por conta da cama e travesseiro diferentes do habitual, já que é uma contração involuntária dos músculos do pescoço provocada por má postura. Ou ainda uma batida naquela quina do móvel do quarto do hotel, causando aquela dor e um roxo enorme.

Remédios: Esses males podem ser curados com tratamentos caseiros*, como compressas mornas e massagem. Pode-se combinar os tratamentos caseiros com medicamentos como analgésicos, relaxantes musculares e pomada/spray anti-inflamatório daqueles com cheiro de mentol (que tem ação anestésica local).

Remédios para levar na viagem: cortes, arranhões, machucados e picada de insetos

Ninguém está livre de sofrer pequenos acidentes ou ser picado por um mosquito. Eu mesma já machuquei a mão com zíper da bota montaria, numa tentativa de fechar o calçado. Peguei de mal jeito e pá! Tava lá o cortezinho, ardendo. Além disso, basta que tenha um pouco de vegetação no ambiente que os insetos estarão lá, esperando você rsrsrs. Eu sou super alérgica e qualquer movimento de mosquito ou bichinho desses já fico com a pele coçando e a bolinha vermelha aparente. Ainda outras situações como bater o dedinho do pé em um móvel do quarto do hotel, arranhar um braço ou tropeçar na rua. Faz parte das possibilidades e precisamos estar preparados.

Remédios: Esses machucados e cortes precisam de um anti séptico e um curativo, que pode ser no estilo band-aid ou até mais elaborado com gaze, micropore e atadura. E se tiver dor, talvez seja necessário combinar o curativo com medicamentos como analgésicos, relaxantes musculares e pomada/spray anti-inflamatório. Já para as picadas de insetos, uma pomada à base de prometazina resolve.

Remédios para levar na viagem: gripe, resfriado e alergias respiratórias (rinite, sinusite, asma)

A possibilidade de ter uma gripe, pegar um resfriado ou sofrer com as alergias respiratórias como rinite, sinusite e asma é mais comum do que deveria ser na vida dos viajantes. Por ficarmos ainda mais expostos a mudança de temperatura e a variações climáticas nas viagens, esses problemas podem surgir e tirar parte da alegria e diversão da sua trip.

Remédios: se você já sofre de alergias respiratórias como rinite, sinusite e asma, então já deve ter um tratamento e os respectivos medicamentos prescritos por um médico especialista. Os mais comuns são os anti-histamínicos e os spray antialérgicos à base de corticoides. Para a viagem, basta que você leve os mesmos medicamentos (spray, comprimidos) em quantidade suficiente para o número de dias que ficará fora. Já para resfriados e gripe, os medicamentos antigripais são os mais comuns. Eu costumo levar o genérico, cujo princípio ativo é à base de Paracetamol + Cloridrato de Pseudoefedrina.

Remédios para levar na viagem: dor de garganta

Normalmente em decorrência da gripe e do resfriado citados no tópico acima, a dor de garganta também pode ser causada por mudanças climáticas ou por infecção de origem viral.

Remédios: Se for inflamação leve, pode cessar sem tratamento médico. Mas se for mais sério, é necessário o uso de anti-inflamatórios e até antibiótico. Lembrando que esses medicamentos são comprados somente sob prescrição médica. Por isso, é importante consultar um médico ou serviço Saúde do Viajante do SUS antes da viagem, além de fazer o seguro viagem que eu explicarei logo mais abaixo.

Remédios para levar na viagem: prisão de ventre

Outra situação bastante comum em viagem é a prisão de ventre, que pode trazer uma série de desconfortos para o viajante. A principal causa é o fato de tirar o organismo dos hábitos do dia-a-dia, com horários, clima e alimentação diferente do que se está acostumado em casa.

Remédios: para prisão de ventre, além de tentar manter uma alimentação rica em fibras com frutas, cereais e aquela saladinha verde, também pode-se combinar o uso de um regulador intestinal, que é uma espécie de laxante leve e muitas vezes fitoterápico.

Remédios para levar na viagem: diarreia

Esse é um problema oposto ao caso anterior, mas também é bastante comum em viagens. Em geral, a causa é uma alimentação diferente do que estamos habituados ou ainda, por ingerir alguma comida ou água contaminados. Esteja sempre atento à segurança e à qualidade daquilo que você ingere.

Remédios: Para esse caso, além da ingestão de muito líquido para evitar desidratação, o recomendado é fazer uso de remédios para diarreia especificamente, que são medicamentos à base de cloridrato de loperamida.

Remédios para levar na viagem: gastrite, azia, má digestão, gases e ressaca

Da mesma forma que o tópico acima, a alimentação pode ser a causa desses males. Em uma viagem, uma das melhores coisas é experimentar a gastronomia local. Mas ninguém está livre de exagerar na dose ou de comer alguma coisa que não cai bem, já que é diferente do seu habitual. Alimentos muito picantes ou gordurosos, bebidas alcoólicas e até mesmo a ansiedade e tensão podem deixar o viajante com mal estar bem sério.

Remédios: Os remédios mais indicados são os gastrointestinais, que se diferem no tipo de problema que focam: para gastrite, use os medicamentos específicos à base de pantoprazol, omeprazol, entre outros;  para azia, o mais comum é o sal de frutas; para má digestão, são aqueles vendidos também em flaconetes; para gases, medicamentos que contenham simeticona; e, para ressaca, muita água e medicamentos para náusea e má digestão. 🙂

Remédios para levar na viagem: Enjoo

Um dos problemas mais comuns para o viajante, o enjoo ou náusea pode ser definido como a sensação de ter vontade de vomitar. Esse transtorno tem o nome específico de cinetose, ou seja, enjoo de movimento, que pode ou não vir acompanhado de vômitos.

Remédios: Pode-se tentar massagem no estômago com as mãos fazendo movimentos circulares associados a técnica de respirar profundamente para relaxar e o uso de medicamentos específicos. Esses medicamentos costumam dar sonolência, o que no caso de vôos longos, até ajuda a dormir e descansar durante a viagem.

Remédios para levar na viagem: infecção urinária

Também comum em viagens, a infecção urinária é causada por uma bactéria, que na maioria das vezes, atinge o canal urinário. A mulher tem maiores chances de contrair infecção do trato urinário, que aumenta com a atividade sexual intensa, sendo a causa mais comum.

Remédios: Se for inflamação leve, pode cessar sem tratamento médico ou com o uso de anti-inflamatórios. O medicamentos para infecção urinária leve são os analgésicos à base de fenazopiridina. E não se assuste se a urina ficar cor de laranja. Isso é normal ao usar esse remédio. Outra dica é beber bastante água.

Remédios para levar na viagem: cólica menstrual

Esse é específico para as mulheres. Quando a  menstruação se aproxima, muitas vezes ela vem acompanhada de um doloroso sintoma: a cólica. O nome técnico é dismenorreia e é provocada por conta das contrações do útero durante o período que antecede e também durante a menstruação. As dores provocadas pela cólica variam de intensidade, que podem ser de leves até severas, o que muitas vezes impedem as mulheres de fazer suas atividades habituais. Imagina em uma viagem ?! No meu caso, como usava pílula anticoncepcional, não tinha esses sintomas. Mas depois que troquei de método contraceptivo, em alguns meses eu tenho cólicas leves a moderadas e já fico zureta com os sintomas. Então, é sempre bom ter por perto os remedinhos que te aliviam desses sintomas, especialmente numa viagem.

Remédios: um tratamento caseiro para ajudar nos momentos de cólica é a bolsa de água quente, já que ajuda a relaxar os músculos do útero e aliviar as dores. Em termos de medicamento, os mais comuns para as cólicas são com antiespasmódicos, antiinflamatórios ou até os anticoncepcionais. Os antiespasmódicos como escopolamina ou cloridrato de papaverina: reduzem a intensidade das contrações do útero e aumentam o bem-estar;  já os anti-inflamatórios, a base dos princípios ativos de Ibuprofeno, Nimesulida ou Naproxeno: reduzem a inflamação, aliviando as dores de cabeça e as cólicas. Também pode usar os analgésicos comuns como o paracetamol e dipirona se as cólicas são mais leves ou médias, que já aliviam dores de cabeça e dores nas costas também. Se você já faz uso de anticoncepcional, então certamente não tem tanto problema com cólicas 🙂

Remédios para levar na viagem: posso levar anticoncepcional

Uma dúvida recorrente entre as mulheres é se pode levar anticoncepcional nas viagens internacionais. A resposta é: deve! Esse é um tipo de medicamento bastante controlado no exterior, especialmente na Europa. Para comprar nas farmácia é necessário ter receita médica válida no país. Ou seja, pode ser um transtorno ter que comprar um medicamento desse tipo e ainda não encontrar uma opção com as mesmas dosagens hormonais do que você usa regularmente. Por isso, faça bem as contas de acordo com o seu período de viagem e leve a quantidade de cartelas suficientes.

Mas lembre-se de que é recomendado consultar um médico caso os sintomas de qualquer desses problemas não desapareçam em dois dias a três dias. Para isso, faça uso do seu seguro viagem, conforme a gente explica no tópico logo mais abaixo.

Como levar os remédios para viagem: o que pode levar na bagagem de mão e o que deve ir na mala despachada

Aqui você vai encontrar as dicas gerais sobre remédios para levar na viagem e como organizar sua mala.

Separe os remédios em 2 kits:

  1. Em um estojo ou necessaire maior, os medicamentos que você não pretende usar e que podem ir na mala despachada. Identifique como “remédios” ou use um estojo transparente.
  2. Em uma necessaire ou estojo menor para colocar na sua bagagem de mão (bolsa ou mochila) os medicamentos de uso contínuo ou que aqueles necessários durante todo o deslocamento da viagem, como remédio para enjoo, para rinite ou um colírio.

Para medicamentos de uso contínuo, faça o cálculo e leve a quantidade necessária para todos os dias da viagem.

Retire os medicamentos das caixas

As caixas ocupam muito espaço e acabam atrapalhando a organização da mala de viagem. Os frascos, podem ser acondicionados em embalagem plástica transparente, vedada. Eu uso aqueles saquinhos ZIP de congelar comida que vende nos supermercados. Algumas companhias aéreas e aeroportos oferecem mas não é garantido. No caso dos comprimidos, escreva com caneta permanente a data de validade e para que servem na própria cartela, coloque a bula junto e amarre com um elástico de dinheiro ou de cabelo.

Dica adicional para os itens de higiene e beleza

Vale comprar os kits com potes e frascos de viagem vendidos em lojas de produtos para cabelos, até nas drogarias. Eles já vem no tamanho e com a capacidade permitida para transporte nas cias aéreas, conforme você verá logo mais abaixo.

Remédios para levar na viagem: o que pode levar na bagagem de mão

Conforme a Anac, em voos internacionais, existem restrições para o transporte de líquidos em bagagem de mão: todos os líquidos, inclusive gel, pasta, creme, aerossol e similares, devem ser conduzidos em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 1 litro, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm. É bom conferir também o Guia de bolso sobre a Saúde do Viajante da Anvisa.

Veja a lista do que pode levar:

  • medicamentos essenciais acompanhados de prescrição médica (a prescrição deverá possuir o nome do passageiro para ser confrontado com aquele que consta no cartão de embarque);
  • medicamentos que não necessitam de prescrição médica: colírio, solução fisiológica para lentes de contato, etc. (desde que não excedam 120ml ou 4oz);
  • insulina e líquidos especiais ou gel, para passageiros diabéticos, acompanhados de prescrição médica (desde que não excedam 148 ml ou 5oz);
  • cosméticos sólidos (batons, protetor labial ou desodorante em bastão e etc);
*A bagagem de mão não poderá conter objetos cortantes ou perfurantes (tais como tesouras de unha, canivetes, etc). Tais itens só podem ser transportados na bagagem despachada.

Remédios para levar na viagem: mala despachada

Em relação aos remédios, leve na mala despachada aqueles itens da lista que são de prevenção e que você NÃO PRETENDE usar, conforme já mencionamos nas dicas gerais acima. Reforçando que é importante organizar o kit farmácia da mala despachada, que certamente será maior, em uma necessaire ou estojo próprio e identificado. Isso ajuda na hora de manusear as coisas da mala, já que facilita o dia-a-dia da viagem porque os remédios a gente não espera ter que usar, não é mesmo?

Seguro viagem (ou seguro saúde)

Para viajar ao exterior, especialmente países da Zona do Euro, é obrigatório possuir um seguro viagem com cobertura de valor mínimo de 30 mil euros. Essa exigência se aplica em todos os países signatários do Tratado de Schengen, um acordo assinado por alguns membros da Comunidade Europeia que promove a livre circulação de pessoas entre seus países. No momento da chegada ao destino, você deve ter em mãos um comprovante impresso do seu seguro para apresentação (caso seja solicitado).

Geralmente a gente faz seguro torcendo pra não precisar usar, né? Mas na única ocasião em que precisei de fato do seguro viagem a experiência com a Seguros Promo foi muito positiva. Em uma viagem para a Argentina o pai do Guto apresentou um problema de saúde e foi preciso levá-lo para exames mais detalhados em um hospital. Bastou ligar para o número de telefone indicado (atendimento rápido e todo em português) que conseguimos a liberação para a internação e os exames, tudo sem pagar nada e sem maiores burocracias. Além disso, o site deles é muito fácil de usar, e o preço é imbatível. Hoje em dia já nem perco tempo comparando com outras seguradoras.

Ah, e agora vem a melhor parte: para quem é leitor do Viajar é Demais, acessando por ESSE LINK ou pelo banner aí embaixo e utilizando o cupom ainda rola um desconto no preço final.

Recomendações do governo sobre Saúde do Viajante

Consulte um médico antes da viagem

Antes de viajar, é importante consultar um médico para identificar ou avaliar alguma doença pré-existente. Inclua na mala seus medicamentos de uso rotineiro em quantidade suficiente para toda a viagem e também seu receituário médico. Se você vai se aventurar em locais afastados de cidades como trilhas, acampamentos e atividades do gênero, converse com o médico para prescrição de antibióticos e antiinflamatórios de reserva para levar na viagem.

Veja as dicas no site da Anvisa
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, disponibiliza informações para proteger a saúde dos viajantes. Confira as dicas da Anvisa no site.

Procure um Centro de Orientação do Viajante

A Anvisa também oferece Centros de Orientação ao Viajante credenciados para emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP. Confira no site da Anvisa a lista dos centros de orientação do viajante e procure o mais próximo de sua residência.

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP
Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP

Leia as recomendações do governo sobre Saúde do Viajante

Veja as recomendações do Ministérios da Saúde para os brasileiros que viajam para o exterior na página Saúde do Viajante.

Remédios para levar na viagem: checklist básico para montar seu kit farmácia

Os primeiros 4 itens não são exatamente medicamentos ou remédios, mas servem para prevenir possíveis problemas de saúde e por isso estão na lista. 

  • Álcool gel em frasco de no máximo 100ml
  • Repelente contra insetos em spray ou loção
  • Protetor solar com fator de proteção acima de 30 FPS
  • Protetor labial com fator de proteção solar
  • Colírio ou solução fisiológica ou lubrificante para lentes de contato
  • Curativo adesivo (band-aid)
  • Atadura (para torções, dores e até curativos em cortes e machucados)
  • Algodão, gaze e micropore
  • Termômetro (caso precise medir a temperatura)
  • Creme para cicatrização e contra-assaduras 
  • Anti séptico spray (para cortes ou machucados)
  • Pomada anti-alérgica para picadas de insetos
  • Anti-alérgico bronco respiratório aerosol (Princípios ativos: Budesonid, para asma, rinite, etc)
  • Descongestionante nasal
  • Anti-histamínico oral
  • Anti-térmico (Princípio ativo: Paracetamol )
  • Anti gripal (Princípio ativo: Paracetamol + Cloridrato de Pseudoefedrina)
  • Remédio para dor de garganta
  • Antiespasmódicos
  • Anti-inflamatórios
  • Analgésicos para dor de cabeça (Princípios ativos: Paracetamol)
  • Analgésicos para dores musculares
  • Pomada ou Aerosol anti-inflamatório para torcicolos, contusões e dores musculares
  • Analgésicos para infecção urinária leve (Princípio ativo: Fenazopiridina)
  • Regulador intestinal (laxante leve)
  • Remédio para diarreia (Princípio ativo: cloridrato de loperamida)
  • Antiácidos para azia e má digestão
  • Antigases para gases (Princípio ativo: simeticona)
  • Náuseas e enjoo
  • Anticoncepcional que você faz uso, se for o caso

E aí? Gostou do nosso guia de remédios para levar na mala de viagem? Comenta aqui no post ou nas nossas redes sociais!
Ah! E falando em redes sociais, já aproveita e segue a nossa página do Facebook e o Instagram!


Já reservou o hotel da sua próxima viagem?

Se você ainda não garantiu seu hotel para a próxima viagem, a dica é CLICAR AQUI e reservar um hotel pela Booking.com. Além de conseguir os melhores preços e ter toda a segurança que a Booking oferece, você ainda vai estar ajudando o nosso blog.

Ué, mas como assim? Simples: é que cada vez que você acessa o site da Booking.com através desse link e faz uma reserva de hotel ou apartamento, o Viajar é Demais recebe uma pequena comissão. Não é demais? Ah, detalhe importante: isso não vai custar 1 centavo a mais pra você. Os preços são os mesmos para quem acessa por aqui ou de qualquer outra maneira.

Quer viajar com segurança, tranquilidade, e se hospedar nos melhores hotéis pelo menor preço? Vai de Booking. 🙂

Compartilhar:FacebookTwitter
Chai
Escrito por
Chai
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 comentário
Viajar é Demais