27 de junho de 2019

Seattle CityPASS: como funciona o passe de descontos em museus e atrações de Seattle, os Estados Unidos

Um viajante que se preze sempre tem uma lista de atrações que gostaria de visitar quando viajar para um novo destino. Pode ser a primeira vez ou até mesmo retornado à cidade, sempre temos coisas pendentes à fazer. Mas uma coisa não muda: o desafio de conciliar a vontade de conhecer tudo versus o orçamento disponível. Neste artigo vamos mostrar como o Seattle CityPASS pode facilitar a sua organização e ainda ajudar você a economizar.

Em Seattle não é diferente, já que museus e as principais atrações da cidade não são exatamente baratas, ainda mais em tempos do Real tão desvalorizado diante do Dólar. Por isso sempre surge a dúvida: como  escolher o que visitar em Seattle? Como fazer a viagem aproveitando tudo e ainda fazer caber no bolso?

Bom, e se a gente te disser que existe um cartão de acesso em Seattle que dá desconto que pode chegar a quase 50% para você visitar todas as principais atrações da cidade? Sim, estamos falando do Seattle CityPASS, esse passe de descontos incrível que veio para salvar o orçamento e poupar muitos dólares na sua viagem para a Cidade Esmeralda.

O Space Needle é uma das atrações que está incluída no Seattle CityPass

Seattle CityPASS: o que é?

O Seattle CityPASS é o passe oficial de descontos da cidade de Seattle. Pagando um preço fixo, o passe dá direito a entrada sem filas nas principais atrações de Seattle. Ele inclui a entrada em 5 atrações sendo em dois casos você deverá fazer a escolha entre duas possibilidades como indicado abaixo.

Uma vantagem importante é o tempo de duração: seu passe será válido por 9 dias consecutivos a partir do primeiro dia de uso. Assim, é possível aproveitar as atrações no seu próprio ritmo. Outra coisa bacana é que tem um ano a partir da data de compra para começar a usar seus ingressos via Seattle CityPASS. Então dá para comprar com antecedência online e se planejar direitinho.

Quais os museus e atrações incluídos no Seattle CityPASS?

No Seattle CityPASS você tem direito à entrar em 5 atrações conforme abaixo:

  1. Space Needle
  2. Seattle Aquarium
  3. Argosy Cruises Harbor Tour
  4. Museum of Pop Culture (MoPOP) OU Woodland Park Zoo
  5. Chihuly Garden and Glass OU Pacific Science Center

Nas 2 últimas atrações (4 e 5 da lista) você tem direito a escolher entre uma OU outra atração. Essa escolha não precisa ser feita antecipadamente – você decide no próprio dia que quiser fazer a visita, bastando apresentar o seu passe na atração escolhida.

É importante lembrar que todas as atrações especificadas estão incluídas integralmente, sem custo adicional nem taxas extras. Todas as atrações podem ser visitadas apenas 1 vez, na ordem que você desejar.  Basta apresentar o seu Seattle CityPASS e fazer a visita normalmente.  

Como comprar o Seattle CityPASS?

A maneira mais prática e barata de adquirir o Seattle CityPASS é fazendo a compra online pelo site oficial, ainda do Brasil. Como já dissemos, o passe é válido por 1 ano após a data da compra, e os 9 dias para utilização só começam a contar a partir do dia da ativação (quando você visitar a primeira atração).

+Adquira agora o Seattle CityPASS , o passe de descontos para Museus e Atrações de Seattle.

O Seattle CityPASS que dá direito a entrar em 5 atrações custa U$99 por pessoa (crianças pagam R$79). Isso equivale a uma economia de 49% em relação ao preço que você pagaria ao visitar cada atração separadamente – ou exatos U$95,63 a menos por pessoa.

E após a compra, como eu recebo o Seattle CityPASS?

Após a compra você receberá o seu passe de descontos em versão digital, por email, sem nenhum custo. Aí basta imprimir ou apresentar digitalmente, pela tela do celular, sempre que chegar em alguma atração. Em algumas delas inclusive é possível solicitar a troca da versão digital pelo carnê na versão física.

Também dá pra pedir que o carnê seja enviado pelos correios, mas obviamente isso tem um custo adicional – e a versão digital funciona do mesmo jeito.

Nossa experiência real com o Seattle CityPASS

Nossa estadia em Seattle foi de 5 dias e queríamos aproveitar ao máximo para conhecer tudo na cidade. Com Seattle CityPASS e a economia que ele representou, conseguimos não só visitar as principais atrações que estão incluídas como “sobrou” dinheiro para investir em outras atrações como o Sky View Observatory. Vejam como foi nossa experiência real com o passe e a ordem que escolhemos para visitar cada atração em Seattle.

Chihuly Garden and Glass   OU Pacific Science Center

Começamos na tarde do nosso primeiro dia em Seattle pelo Chihuly Garden and Glass. Essa atração é uma espécie de galeria de arte que abriga obras de Dale Chihuly, um artista nascido na região e que se especializou nas técnicas de uso do vidro. Localizado no Seattle Center, o Chihuly Garden and Glass foi inaugurado em maio de 2012, ocupando 1,5 hectares. Entramos e logo já vimos uma identificação na bilheteria indicando o Seattle CityPASS. Apresentamos nosso talão físico do Seattle CityPASS que tínhamos recém trocado na bilheteria da outra atração – o Space Needle (veja abaixo). A moça do atendimento validou o ingresso do Chihuly Garden and Glass destacando-o do talão. Rápido, sem stress ou fila!

O percurso inicia pela Sala de Exposições que contém oito galerias que dão uma visão bem abrangente dos trabalhos de Chihuly. Destaque para a Floresta de vidro, Ikebana e barcos flutuantes além dos lustres. Na sequência, o percurso passa pela Glasshouse que é uma espécie de estufa. Ela é o elemento central onde é possível observar a admiração de Chihuly por conservatórios com um design inspirado em dois dos seus edifícios favoritos: a Sainte-Chapelle em Paris e o Crystal Palace em Londres. Lá dentro fica a escultura, uma instalação expansiva em uma paleta de cores de vermelhos, laranjas, amarelos e âmbar. Constituída de muitos elementos é uma das maiores esculturas suspensas de Chihuly, com 30 metros de comprimento e 1.340 peças individuais.

Na última parte do percurso da visitação, o rico cenário do Jardim oferece caminhos alinhados por árvores, plantas e flores. Peças de vidro como a Torre de Cristal de Viola e a Torre Sincelos Citron convivem em harmonia com a flora de verdade. Uma pena que estivemos lá no inverno e no meio de uma das maiores nevascas. Se bem que o branquinho da neve também tem seu charme.

Visitando o Chihuly Garden and Glass com o Seattle CityPass

Entramos sem fila alguma e a visita durou cerca de 1h no total. Com entradas que custariam a partir de U$33,60 (com taxas) por pessoa, essa é uma das atrações que podem ser visitadas com o Seattle CityPASS.

Space Needle

Ao lado do Chihuly Garden and Glass no Seattle Center fica a segunda atração que visitamos com o Seattle CityPASS. Finalmente o indiscutível ícone de Seattle – o Space Needle. Reservamos nosso ingresso para o final da tarde, o momento ideal para pegar o pôr do sol na Baía Elliott subindo até o topo da torre de 184 metros de altura. Mas como assim “reservamos”? Lembra que eu mencionei ai em cima que a troca do voucher online pelo talão físico foi realizada no Space Needle? Pois é, por conta de uma limitação de público, já que é uma torre, o Space Needle funciona com agendamento de horário na bilheteria que deve ser feito pessoalmente. Mas fique tranquilo que os horários de agendamento são frequentes e vão sendo preenchidos conforme disponibilidade. Mas a dica é fazer como a gente e ir logo até lá reservar o horário que você quer. No nosso caso queríamos pegar o pôr do sol que é bastante disputado.

Na hora marcada basta seguir para a entrada com o talão do Seattle CityPASS em mãos e o ticket com o horário. O acesso é feito por uma rampa onde há uma exposição com um grande acervo de fotos e materiais que contam como foi a construção da torre. Vale aqui mencionar que o Space Needle foi construído por ocasião da Feira Mundial para a Exposição do Século XXI, em 1962. O projeto da torre foi criado por Edward E. Carlson e inspirado na Torre de Stuttgart, na Alemanha. Recentemente passou por uma reforma de US $ 100 milhões que modernizou elevadores, deck de observação e demais estruturas da torre.

Antes de pegar “spacelift”, o elevador panorâmico, você é convidado a tirar uma foto super profissional no mini estúdio. No dia seguinte, basta acessar o site oficial e fazer o download sem custo algum. Quando finalmente chegamos ao topo, a gente se depara com vistas de Seattle de tirar o fôlego. São paredes inteiras, barreiras e até mesmo pisos em vidro estrutural transparente. Uma pena que por conta da neve acumulada não pudemos sair na área externa mas esse detalhe diante de toda estrutura não diminuiu a nossa experiência.

Space Needle com o Seattle CityPass

A nossa visita durou em torno de 1h30 (talvez um pouco mais por conta das muitas fotos com o pôr do sol). As entradas custariam cerca de US$61,95 por pessoa (com taxas) mas essa é outra atração que está incluída no Seattle CityPASS.

Argosy Cruises Harbor Tour

A terceira atração que fizemos com o Seattle CityPASS foi o cruzeiro de uma hora pela Baía Elliott e pelo Porto de Seattle. Com uma vista incrível do skyline da cidade e totalmente narrado ao vivo, esse passeio foi uma ótima surpresa. O cruzeiro tem um único horário fixo e parte todos os dias (salvo quando não condições climáticas ou marítimas). Chegamos ao pier e apresentamos nosso Seattle CityPASS no escritório da empresa que, então, fez a troca do voucher do CityPASS pelo ticket com data do dia. Aguardamos alguns minutos e logo a tripulação do cruzeiro organizou a fila para acesso ao barco. Tudo rápido e sem complicação alguma.

Durante o passeio era possível ficar sentado na parte coberta do barco ou admirar a vista incrível em pé no amplo convés. Uma oportunidade de observar as paisagens panorâmicas da espetacular cadeia de montanhas Olympic ou ainda o lindo skyline da cidade. A medida que o barco ia avançando pelas águas da Baía Elliott, o guia ia narrando fatos sobre o cais histórico da cidade, estaleiros ocupados e sobre as aves e animais marinhos que ali habitam. Durante uma parte do percurso tivemos a companhia de uma gaivota que planava no ar pegando o vácuo deixado pelo barco. Um espetáculo à parte que só não foi único porque tivemos a presença dos leões marinhos nas proximidades do cais do porto.

composição de 5 fotos: 1) talão escrito Seattle CityPass; 2) Ingresso Argosy Cruises; 3) Chai de óculos de sol e gorro no barco com a roda gigante de Seattle ao fundo; 4) Gaivota voando sobre o mar com cidade ao fundo; 5) Chai no barco com a cadeia de montanhas ao fundo
Argosy Cruises Harbor Tour com o Seattle CityPass

O Argosy Cruises Harbor Tour tem duração de 1h aproximadamente. O ticket do passeio custaria em torno de US$34,13 por pessoa (com taxas) se não estivesse incluído entre as atrações do Seattle CityPASS.

Seattle Aquarium

A quarta atração que visitamos com o Seattle CityPASS foi Seattle Aquarium. Na volta do cruzeiro já aproveitamos para conhecer mais essa joia da cidade também localizada no Waterfront Seattle, próximo ao Pier da Argosy. Em funcionamento desde 1977, o Seattle Aquarium abriga uma loja de presentes bem completa, um café com menu variado, espaço para eventos entre outros. Logo que a gente entrou identificamos na bilheteria o guichê exclusivo para quem estava usando o Seattle CityPASS. Apresentamos nosso talão e em seguida os funcionários já validaram, indicando o caminho para o início do percurso dentro do aquário.

Localizado no Pier 59, o Seattle Aquarium ocupa uma área de 1700m² com objetivo de promover a conservação marinha e realizar pesquisas. São seis grandes exposições que abrigam uma vasta coleção de animais: Window on Washington Waters, Life on the Edge, Pacific Coral Reef, Birds & Shores, the Underwater Dome e Marine Mammals. Destacamos o polvo gigante, as estrelas do mar e as arraias fofinhas logo na primeira exposição. Também merecem destaque as focas, castores e leões marinhos dá área externa onde ficam as exposições Underwater Dome e Marine Mammals.

Seattle Aquarium com o Seattle CityPASS.

A nossa visita no Seattle Aquarium durou cerca de 2h30min contando com a paradinha no Café para uma sopa servida no pão bem gostosinha. As entradas do Seattle Aquarium custariam U$ por pessoa se não estivessem incluídas no Seattle CityPASS.

Museum of Pop Culture (MoPOP)   OU Woodland Park Zoo

E por último, usamos nosso para visitar “ele” claro: O MoPOP <3! Esse museu sem fins lucrativos dedicado à cultura popular contemporânea é uma das atrações “must see” de Seattle. Muito em função da cidade ser o berço de muitas bandas de rock grunge como Nirvana, Pearl Jam e outros. Em um prédio de 13.000m² projetado por Frank Gehry, o MoPop foi criado no início dos anos 2000 por Paul Allen (co-fundador da gigante Microsoft).

Nas exposições permanentes e temporárias você vai encontrar os momentos mais significativos do rock, da ficção científica e da cultura popular. São experiências práticas, artefatos icônicos e exposições premiadas, com destaque para as áreas de música, literatura, televisão e videogames. Entre as obras e atividades, destacamos:

  • Assistir a apresentações de música e shows de luzes no Sky Church, com uma gigantesca tela LED HD.
  • Explorar instrumentos de rock’n’roll no Sound Lab, onde dá para tocar instrumentos individualmente ou com os amigos em salas com isolamento acústico e gravar sua própria música.
  • Voltar no tempo com um resgate do universo dos Games, jogando e descobrindo informações de produção, com trechos de entrevistas com os desenvolvedores. Uma exposição para toda a família se divertir jogando cerca de vinte jogos single e multiplayer.
  • Entender sobre a evolução histórica da guitarra – esse que é o “instrumento assinatura” do rock ‘n’ roll. São 55 guitarras antigas e inovadoras da década de 1770 até o presente na Guitar Gallery: The Quest for Volume.
  • Reviver filmes épicos e séries marcantes de ficção científica. Tem página manuscrita original de Game of Thrones, boneco de Gizmo de Gremlins, bastão de Caçadores da Arca Perdida, figurino original de Klingon de Star Trek e muito mais.
  • Conhecer ou relembrar Jimi Hendrix no auge de sua fama em Wild Blue Angel: Hendrix Abroad, 1966-1970.
MoPOP com o Seattle CityPASS

Novamente tivemos uma excelente experiência com o Seattle CityPASS, com guichê especial na bilheteria e acesso sem filas. O ingresso por pessoa para entrar no MoPOP seria de U$ 30,00 se não estive incluído no Seattle CityPASS.

Quanto nós economizamos com o Seattle CityPASS

Para responder essa questão basta levar em conta as atrações que visitamos utilizando o nosso Seattle CityPASS. Se calcularmos por pessoa o gasto com todos os ingressos sem o CityPass teria sido o valor de US$ 194,63 (com taxas). Como utilizamos 100% do nosso Seattle CityPASS que tem custo de U$99, tivemos uma economia de U$95,63. Ou seja, uma economia de quase 50%, o que significa que para um casal o valor fica quase aquele sistema de leve 2 e pague 1, certo? Um desconto que compensa muito!

Vantagens do Seattle CityPASS

  • O desconto que pode chegar a quase 50% nas atrações
  • O passe normalmente inclui todas as atrações pagas que você vai querer visitar
  • Entrada preferencial e sem filas
  • Duração longa (9 dias) dá tempo de sobra para visitar tudo com calma
  • Muito prático e fácil de usar
  • Dá pra comprar ainda do Brasil, tudo online, pagando com cartão de crédito ou até via PayPal
  • Sem pegadinhas ou truques: não há cobranças extras

Desvantagens do Seattle CityPASS

  • Não chega a ser uma “desvantagem”, mas poderia incluir também o transporte público, como acontece nos passes de cidades europeias

E aí, ainda ficou com alguma dúvida em relação ao Seattle CityPASS ? Pergunta aí nos comentários que a


Já sabe onde se hospedar em Seattle?

Não deixe para a última hora! Que tal pesquisar agora pelo hotel ou apartamento ideal em Seattle? Faça agora mesmo uma pesquisa com descontos incríveis pelo Booking, o maior site de hospedagem em todo o mundo!

Booking.com

Use internet ilimitada em Seattle e demais cidades dos EUA

Com o chip de internet da EasySim4U que você recebe na sua casa ainda no Brasil, você já chega nos EUA com conexão 4G funcionando no seu smartphone. Basta trocar o chip do seu aparelho assim que chegar em solo americano. Nós já trocamos durante o vôo e começamos a usar assim que o avião pousou. Por isso, recomendamos o serviço da EasySim4U, que nos garantiu internet muito rápida e ilimitada durante toda a viagem pelos EUA.

+ Contrate agora o seu chip de internet com a EasySim4U

E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é FUNDAMENTAL para quem viaja pelos Estados Unidos. O que a gente usa sempre e recomenda é o seguro da Seguros Promo, que além de ter o menor preço, funcionou muito bem todas as vezes em que precisamos acionar.

Ah, e agora vem a melhor parte: leitor do Viajar é Demais tem desconto, basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o código de desconto para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar esse post:

Sobre Chai

Chai

Publicitária e pesquisadora, viajando sempre em busca de imersão na cultura dos destinos por onde passa. Amante de tecnologia, não mede esforços para registrar boas histórias com seus gadgets e traquitanas.

  • Instagram
  • LinkedIn
  • Email

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.