Alemanha: destino de viagem que dá pra voltar e voltar e voltar…
Alemanha: Destino para voltar

Alemanha: destino de viagem que dá pra voltar e voltar e voltar…

Na primeira vez que pensei na Alemanha como um destino de viagem viável de acontecer, meu coração chegou a parar e voltar a bater nos segundos seguintes de forma acelerada! Não apenas por conta da descendência germânica de família e da região do RS onde nasci e cresci – a divisa entre os municípios de São Leopoldo e Novo Hamburgo ( o famoso “feitoria-lomba grande), mas também por todas as opções que o país oferece em termos de turismo. Paisagens fascinantes, comida gostosa, passado histórico instigante e claro, cerveja boa!

Pois bem, passagens compradas e um universo de possibilidades se descortinou! Ufa! Tem que fazer esse roteiro de 13 dias na Alemanha render, pensei eu! Mas o marido também pensou e já estava super empolgado com o computador com mil abas abertas no navegador em mapas, dicas em blogs e sites de viagem. Aí foi montar a planilha com o cronograma e passar algumas [muitas] noites juntos pesquisando e decidindo em quais cidades íamos passar mais tempo, que outras iríamos fazer bate e volta (#dica), quais as melhores rotas e opções de deslocamento e quais passeios imperdíveis. Ah! E quais cervejas e restaurantes com comidas típicas eram daqueles que não se pode deixar de experimentar.

Pra ajudar quem está pensando na Alemanha como destino e facilitar a organização, vou dar dicas e contar um pouco de cada cidade que visitamos nesses 13 dias de roteiro pela Alemanha.

Primeiro é importante dizer que escolhemos fazer nossa rota pelo sul da Alemanha, partindo de Frankfurt (que é o maior e principal aeroporto de operação de vôos internacionais do país). A época do ano é outra informação importante, já que viajamos final de novembro e início de dezembro, um período onde já é frio e os dias são mais curtos (veja dicas para preparar sua mala de inverno). Mas em contra-partida, as decorações e o clima natalino deixa o visual espetacular, especialmente nos Mercados de Natal que são tradição em todas as cidades.

1) Frankfurt – 3 noites

Em Frankfurt tem muita coisa pra se fazer, independentemente do perfil do viajante. Desde museus e pontos turísticos históricos, até parques e passeios pela margem do rio ou mesmo de barco. Isso claro, sem falar das opções gastronômicas e de compras disponíveis para todos os bolsos. A Alemanha é um dos países europeus com melhor custo-benefício para viajantes, ou seja, o custo de hospedagem, alimentação e passeios são bem mais em conta do que em outros destinos da Europa. A lista de dicas de programas imperdíveis em Frankfurt é extensa mas eu destaco aqui pelo menos um de cada segmento:

Pontos turísticos: a DOM – Catedral de Frankfurt que fica na região central e a Euro Tower, com o famoso monumento do símbolo do Euro onde dá pra tirar a foto clássica. (Veja mais em Roteiro de 4 dias em Frankfurt)

Legenda: Símbolo do Euro em frente a Euro Tower e a DOM Frankfurt – Catedral de Frankfurt

Museu: a dica aqui é o Deutsches FilmMuseum, muito interessante pra quem se gosta de história do cinema de maneira geral.

Legenda: Deutsches FilmMuseumrt
Legenda: Deutsches FilmMuseumrt

Gastronomia: a primeira dica é o Atschel, restaurante com comida típica, tradicional, top 10 em avaliações de clientes, frequentado por locais e com preços na média. Há também o Zu den 12 Apostoln, da mesma linha, com comida típica, bom ambiente, sem pegadinhas para turistas (Veja mais em Restaurantes de Frankfurt).

2) Heidelberg – um dia de bate e volta partindo de Frankfurt

Em nossa estadia por Frankfurt separamos um dia para um bate e volta até alguma cidade próxima, e nossas pesquisas nos levaram a escolher Heidelberg, a primeira cidade universitária da Alemanha. Heidelberg fica a cerca de 90km de Frankfurt, uma distância bem tranquila para um passeio de 1 dia.

Optamos por fazer de ônibus leito esse trajeto de ida e volta. O que foi uma ótima escolha, pois o transporte rodoviário da Alemanha é excelente também. Chegando na estação de Heidelberg, fizemos o caminho até a cidade antiga (histórica) à pé, curtindo o trajeto e parando para beber um cappuccino em uma padaria de bairro.

A dica é caminhar com calma, aproveitando cada momento, cada fachada histórica, cada lojinha, cada ruazinha que corta a principal (e que você vai querer entrar e se perder, tenho certeza).
Mas além de se perder pelas ruazinhas e lojinhas, tem mais dicas de destaque em Heidelberg.

Pontos turísticos: O funicular de Heidelberg é o mais antigo e também o mais moderno de toda a Alemanha, sendo talvez “o” grande passeio turístico da cidade. O trajeto do Heidelberger Bergbahnen possui ao todo três paradas possíveis: Schloss Heidelberg (o castelo, com visitação incluida), Molkenkur e a KönigStuhl. As duas últimas são basicamente mirantes para a vista (incrível) da cidade de Heidelberg. Vale super a pena fazer esse passeio, que pode ser feito tranquilamente até a segunda parada apenas: sai mais em conta e leva menos tempo, sem prejuízo.

Schloss Heidelberg
Schloss Heidelberg

Gastronomia: capuccino quentinho na Casa Del Caffè e almoço ou jantar no Vetter’s Alt que, além de restaurante, é também uma cervejaria \o/ num um ambiente legal, com decoração típica e imensos barris de cerveja.

(Veja mais em Heidelberg em 1 dia)

3) Nuremberg – 4 noites

Nosso roteiro por Nuremberg consistiu em um total de cinco dias: o dia de chegada, vindo de Frankfurt (que só começou pra valer a partir das 12:30); o dia de saída às 10h da manhã para Munique; dois dias “full-time” por Nuremberg e um dia de bate e volta para Bamberg.

Arrisco a dizer que essa foi a cidade mais encantadora da viagem, talvez por ser grande, mas aconchegante como uma cidade “pequena”. Ou ainda porque estávamos no meio da viagem, já adaptados com o ritmo e até mesmo um pouco da cultura alemã.

Nuremberg é uma cidade incrível para quem aprecia a arquitetura de cidades medievais. Apesar de ter sido quase que totalmente destruída na 2ª Guerra Mundial, o trabalho de reconstrução por toda a cidade é primoroso, e por alguns momentos você se sente mesmo em uma aldeia de outros tempos

Mas vamos partir logo para os destaques entre tantas dicas de programas imperdíveis em Nuremberg:

Pontos turísticos: O centro histórico de Nuremberg, no entorno da Hauptmarkt, incluindo a belíssima Frauenkirche Nürnberg (Igreja de Nossa Senhora), de estilo gótico, com visitação gratuita. E claro, caminhar pelas pontes que cortam o rio Pegnitz e suas margens. Ponte e visual lindíssimos, daquele tipo de lugar que pra onde você aponta a câmera, a foto sai incrível (Veja mais em O que fazer em Nuremberg).

As pontes que cortam o rio Pegnitz
As pontes que cortam o rio Pegnitz

Castelos: Kaiserburg – Castelo Imperial, no qual a visita consiste em três partes: 1) Interior do castelo e seu vasto acervo ; 2) Subida a Sinwellturm, (a torre do castelo); 3) Fonte “Tiefe Brunnen”, onde fica o poço do castelo. Os jardins do castelo não estavam abertos na época que fomos, mas no verão podem ser visitados.

Vista e Sinwellturm, a torre do Kaiserburg – Castelo Imperial

Museu: O super Germanisches Museum, no qual nos surpreendemos com o tamanho do acervo. O museu é simplesmente GIGANTE. Daria pra se perder por horas e horas ali dentro, em cada uma das alas que vão desde arte rupestre a pinturas e esculturas de nomes como Renoir e Rembrandt. E também o Spielzelgmuseum, ou Museu do Brinquedo. O destaque acaba sendo sempre para os brinquedos da época do Nazismo, que estampam soldadinhos com a suástica, aviões, tanques e todo tipo de referência a esse período tenebroso da história alemã. Dá pra visitar tudo em cerca de 30/40 minutos.

Gastronomia: com certeza o restaurante Zum Gulden Stern, que funciona em uma casa do ano de 1419. Só esse fato já é motivo – quase um compromisso histórico – pra visitar o local. Neste restaurante também são servidas as famosas salsichas de Nuremberg, uma iguaria que não se pode deixar de experimentar, pois é um estilo de lá que é exportado pro mundo todo (Veja mais em Restaurantes em Nuremberg).

4) Bamberg – um dia de bate e volta partindo de Frankfurt

As duas razões principais para escolher Bamberg para um bate e volta foram a distância, já que a cidade ficava a 50 minutos de trem de Nuremberg; e também a cerveja, claro! Bamberg é a cidade da região da francônia na Baviera que tem a maior tradição e cultura cervejeira, totalizando mais de 300 cervejarias. O estilo mais famoso de lá é a Rauchbier, um tipo de cerveja produzida a partir de malte defumado, caracterizando um sabor parecido com o de carne defumada. Sim! Você leu certinho! É gosto de carne defumada. Mas é incrivelmente boa. Pronto! Só isso já é suficiente para escolher esse passeio, não acha? E tem ainda as belezas naturais e arquitetônicas da cidade, além dos restaurantes e cafés! Só amor essa Bamberg! Mas vamos aos destaques entre todas as dicas do que é imperdível nesta cidade linda!

Pontos turísticos: A Ponte Kettenbrücke, que é a ponte dos cadeados do amor de Bamberg, a Altes Rathaus, a antiga e lindíssima Prefeitura que fica sobre uma ponte e o Kloster Michaelsberg, o Monastério de São Michel, onde lá do alto se tem uma vista maravilhosa da cidade!

Prefeitura antiga de Bamberg, sobre a ponte
Prefeitura antiga de Bamberg, sobre a ponte

Gastronomia: um cappuccino com torta na confeitaria Alfred Seel Bäckerei – Konditorei e o almoço no restaurante Kachelofen (melhor ombro de porco da vida!), com comida excelente e cerveja maravilhosa.

Cervejarias: nossos destaques entre as cervejarias são um pint da Rauchbier da Schlenkerla, die historische Rauchbierbrauerei e outro pint lá na cervejaria Fässla. Ambas servem comidas maravilhosas, o que garante um belo almoço ou jantar se você quiser juntar as coisas :D.

(Veja mais em Bamberg: Roteiro de 1 dia)

5) Munique – 5 noites

Munique é sem dúvidas um dos principais destinos turísticos da Alemanha. Tanto é que decidimos dedicar vários dias (e noites) à capital da Baviera para dar conta de conhecer e viver a cidade, tanto quanto fosse possível. Cidade grande e cosmopolita, Munique tem espaço para todo perfil de turista. Dos mais focados em Museus e atrações culturais como teatro e ópera, aos mais mochileiros e andarilhos, com parques lindíssimos enormes onde até surfar (sim!) é possível! E tem, é claro, os cervejeiros de plantão que vão à Munique para a Oktoberfest, a original.

Pontos turísticos: a principal praça, a Marienplatz, cercada por construções espetaculares como a Neues Rathaus (Nova Prefeitura), a Altes Rathaus (Antiga Prefeitura) e a Peterskirche (Igreja de São Pedro), além de muitas lojas. Não deixe de conferir e admirar às 11h ou às 17h, o espetáculo Glockenspiel im Neuen Rathaus. É como se o prédio se transformasse em um gigantesco relógio cuco, no qual 43 sinos e 32 figuras em tamanho natural que, ao longo de cerca de 13 minutos no total dão vida à histórias antigas da Alemanha. Ainda tem o Englischer Garten (English Garden, ou Jardim Inglês), o maior parque urbano de Munique (tem cerca de 4,17 km) que tem o Eisbach, um rio artificial que em alguns trechos é tão caudaloso que se tornou point para… surfistas! (Veja mais em O que fazer em Munique)

Altes Rathaus (Antiga Prefeitura) na Marienplatz

Compras: não se pode deixar de percorrer as ruas do centro e conferir os famosos relógios cucos e enfeites decorativos típicos na MaxKrug, ou aproveitar as ofertas das loja de departamento como a Galeria Kaufhof. Tem ainda Viktualienmarkt, o maior mercado de alimentos a céu aberto de Munique. Sua origem vem dos mercados de fazendeiros e produtores agrícolas locais.

Gastronomia: o Gaststätte “Zum Brünnstein” com comida típica e boa avaliação no TripAdvisor e o imperdível famoso restaurante Haxnbauer, que tem o tradicional joelho de porco assado no espeto (Veja mais em Onde comer e beber em Munique).

Haxnbauer, que tem o tradicional joelho de porco assado no espeto

Cervejarias: a cervejaria Hofbräuhaus onde também é possível comer petiscos e pratos deliciosos.


Ufa! São tantas coisas imperdíveis quando o destino é a Alemanha que fica muito difícil selecionar dicas (mas conseguimos fazer um post listando as 5 coisas obrigatórias para se fazer em uma viagem a Alemanha). Aliás, se quiser saber mais detalhes dos roteiros de cada cidade e outras curiosidades germânicas, segue a gente no Insta pelo @viajaredemais e dá uma olhada no nosso roteiro de 13 dias pela Alemanha. Mas já digo uma coisa: pra saber tudo mesmo, o único jeito é viajando <3. E não uma, mas várias vezes porque voltar e voltar para esta terra cheia de encantos é uma delícia!

E aí, curtiu as dicas? Ajudou no planejamento da sua viagem? Conta pra gente!


Já reservou seu hotel na Alemanha?

Se você ainda não garantiu seu hotel para a próxima viagem, a dica é CLICAR AQUI e reservar um hotel pela Booking.com. Além de conseguir os melhores preços e ter toda a segurança que a Booking oferece, você ainda vai estar nos ajudando a manter o trabalho do blog. Cada vez que você acessa o site da Booking.com através do nosso link e faz uma reserva de hotel ou apartamento, eles repassam uma pequena comissão para o blog. E isso não custa 1 centavo a mais para você. Os preços são os mesmos para quem acessa por aqui ou de qualquer outra forma. Não é demais? 🙂

Quer viajar com segurança, tranquilidade, e se hospedar nos melhores hotéis pelo menor preço? Vai de Booking. 🙂

+ Pesquisar preços de hotéis e apartamentos na Alemanha


Mais atividades na Alemanha

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Alemanha. E mesmo que não fosse obrigatório, não dá nem pra pensar em viajar sem seguro, não é mesmo? Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um comparador de preços entre as principais companhias de seguro viagem do mercado que apresenta os melhores preços e condições para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Chai
Escrito por
Chai
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 comentários
    • Oi Tamara, tudo bom? Que beleza, você vai amar a viagem! 🙂 Essa coisa de “quantos euros” é sempre bastante relativa, depende muito dos hábitos de cada pessoa e do que pretende fazer. Considerando q vc já tem hospedagem e passagens aéreas/transportes, eu diria que em restaurantes vc provavelmente vai gastar de 15 a 25 euros por refeição. Se substituir uma refeição por uma comida de rua, ou algo comprado no supermercado, já baixa um pouco o valor. Pra museus e transportes internos, tem os passes de cada cidade, que podem ajudar bastante a controlar os gastos. Pra dar um exemplo mais real, a gente calculou mais ou menos 100 euros por dia (casal) e deu bem certinho, até sobrou uns trocados (isso contando com as compras que a gente fez, chocolates, casaco, etc). Essa região não é a mais barata da Europa (nem da própria Alemanha), mas é muito mais barato que países como a França, por exemplo.

Viajar é Demais