Allianz Arena: um tour pelo mítico estádio do Bayern de Munique
Allianz Arena, estádio do Bayern de Munique

Allianz Arena: um tour pelo mítico estádio do Bayern de Munique

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Para um casal de apaixonados por futebol, visitas a estádios de clubes são um programa quase óbvio no planejamento de um roteiro de viagem. Em nossa última visita à Alemanha dedicamos 6 dias para conhecer Munique, cidade que abriga a imponente e mítica Allianz Arena, a casa do poderoso Bayern de Munique. Durante as pesquisas para definir o que faríamos em Munique, encontramos muitas opiniões divergentes em relação ao tour da Allianz Arena: enquanto alguns diziam que era imperdível, muitos achavam que não valia a pena nem para quem gosta muito de futebol. Acabamos decidindo por fazer a visita, e reunimos nesse post as informações básicas sobre o tour e todas as nossas impressões para te ajudar a decidir: Vale a pena visitar a Allianz Arena?

Histórico da Allianz Arena

A Allianz Arena foi inaugurada em maio de 2005, tendo sido construída por ocasião da Copa do Mundo de 2006 – foi sede do jogo de abertura da competição e mais 5 jogos ao longo do torneiro. Até sua construção, o Bayern de Munique mandava suas partidas no antigo – e agora aposentado – estádio Olímpico de Munique (a cidade sediou as olimpíadas de 1972). Mas o que muita gente não sabe é que a Allianz Arena também é a casa do TSV 1860 Munique, segundo time da cidade e com muito menos glórias do que o poderoso rival. Com capacidade para 75.021 pessoas (sim, o guia faz questão de frisar essas “21 pessoas”), o estádio é todo coberto e teve sua construção estimada na faixa dos 280 milhões de euros.

Como chegar na Allianz Arena?

O estádio fica afastado do centro da cidade, mas é possível – e altamente recomendável – ir de metrô (linha U6 – sentido Garching-Forschungszentrum – estação Fröttmaning).

Dias e horários de funcionamento

A visitação acontece todos os dias da semana, mas com algumas exceções: nos dias de jogos do rival TSV 1860, no dia 25 de dezembro (Natal) e nos dias 31.12 e 01.01 (Ano Novo) não é possível fazer o tour ao estádio. Além disso, em dias de jogos do Bayern, a visitação pode ocorrer em horários diferenciados e somente para quem possuir também um ingresso para o jogo. Nos demais dias, as visitas acontecem das 10h00 as 18h00, em intervalos de tempo que variam em função do dia da semana ou da época do ano. A maioria dos tours é em alemão (é possível alugar um áudio-guia), mas em 1 ou 2 horários por dia a visita é feita em inglês. Todas essas informações em detalhes podem ser encontradas no site oficial da Allianz Arena.

Tipos de tours (visitas guiadas) e valores

Até 2016 existia o “Arena Tour” Tour que incluía somente a visitação ao Estádio, mas atualmente só são oferecidos dois tipos de tours: o FC Erlebniswelt, que é um tour somente pelo Museu do Bayern de Munique – contando toda a história do clube, e o Combi-Ticket, que engloba o FC Bayern Erlebniswelt + o antigo Arena Tour – ou seja, você visita o Museu E o estádio do Bayern.

A compra pode ser feita pela internet (reservando o horário e pagando com cartão de crédito) ou diretamente no Estádio (no site eles informam quantos ingressos existem disponíveis para cada dia e horário de tour). Em relação aos valores, segue a tabela com os preços dos principais tipos de ticket (dez/2016).

FC Bayern Erlebniswelt

  • Adultos: 12 euros

  • Crianças (6 a 13 anos): 6 euros

  • Menores de 6 anos: entrada gratuita

  • Idosos e estudantes com documento de identificação: 10 euros

  • Audio guide: 3 euros (não tem em português)

Tour combinado

  • Adultos: 19 euros

  • Crianças (6 a 13 anos): 11 euros

  • Menores de 6 anos: entrada gratuita

  • Idosos e estudantes com documento de identificação: 17 euros

  • Audio guide: 3 euros (não tem em português)

Para informações atualizadas, confira o site oficial da Allianz Arena.

Nossa experiência na Allianz Arena

Planejamos o tour da Allianz Arena para um domingo – dia em que quase tudo fecha na Alemanha. Por ser dezembro, quase iniciando oficialmente o inverno, não havia muitos jogos do Bayern ou do TSV 1860 acontecendo, o que facilitava a disponibilidade de datas. Deixamos para comprar os tickets no próprio dia mesmo, para o caso de algum imprevisto nos fazer desistir da visita – pelo site oficial você consegue ver quantos ingressos ainda restam para cada dia e horário de tour, e vimos que estava bem tranquilo. A ideia era chegar por volta das 15h30/16h para ter tempo de visitar o Museu e depois fazer o último tour do dia as 17h00 (e em inglês), pegando o momento em que as luzes do estádio são acesas.

Pegamos a linha U6 do metrô na estação Universität por volta das 17h00 (já estávamos nessa região para visitar os museus de Munique que no domingo tem entrada a preços reduzidos) em direção a estação Fröttmaning. De metrô mesmo o trajeto levou no máximo 15 minutos (mais uns 5/10 minutos de espera pelo trem), e nesse trajeto dá pra perceber uma mudança na paisagem da cidade e o afastamento da região mais central e turística.

Logo que você sai da estação Fröttmaning já consegue ver ao longe a Allianz Arena. Digo “ao longe” porque do metrô até a entrada do estádio ainda vão uns bons 15 minutos de caminhada. Nós não temos problema nenhum com caminhada – muito pelo contrário – mas essa região é inteiramente descampada e venta uma barbaridade, o que fazia a sensação térmica chegar a congelantes -5º. Tem até uns aerogeradores (aquelas pás de hélices para captar energia eólica) por ali, como dá pra ver nas fotos. Por conta disso, a impressão é que a caminhada é mais longa e cansativa. Mas a motivação é ver a imponente Allianz Arena cada vez mais próxima.

1) Descampado do caminho para a arena, com sensação térmica de congelantes -5º. 2) Tanto vento que tem Aerogeradores para captar energia eólica
1) Descampado do caminho para a arena, com sensação térmica de congelantes -5º.
2) Tanto vento que tem Aerogeradores para captar energia eólica

Já dentro da área do estádio, achamos tudo meio mal sinalizado – o que é estranho para os padrões alemães. Não havia 1 único funcionário nem placas que indicassem com clareza aonde se inicia o tour, aonde deveríamos comprar os ingressos, etc. Acabamos achando meio que na tentativa e erro, dando a volta ao redor de metade do estádio até achar a escada certa.

Como prevíamos, depois de achar o local exato foi bem fácil comprar o ingresso na hora. Utilizamos o nosso City Tour Card de Munique para ter desconto no Combi-Ticket que dá direito ao tour completo (museu + estádio): de 19 euros saiu por 17 euros por pessoa (4 euros de desconto no total). Ainda assim, bem caro para uma visita a um estádio, mas ok, era a Allianz Arena! 🙂

Entrada da loja da Allianz Arena, onde se compra os ingressos
Entrada da loja da Allianz Arena, onde se compra os ingressos

Nesse momento já era por volta das 16h00, e apressamos o passo pra dar tempo de ver o museu e a loja oficial com calma e ainda comer e beber alguma coisa no bar da Paulaner dentro do estádio.

O museu é bem grande e tem atrações para todas as idades. A visita pode ser feita em 30 minutos ou em horas, dependendo do seu grau de interesse. São fotos, vídeos, textos, reportagens antigas, os uniformes utilizados, os troféus, e até uma réplica do estádio montada com Lego, além de uma série de atrações mais interativas (com jogos eletrônicos, quiz e simuladores). No final, você sai direto na loja oficial do time, mas nem perca muito tempo por lá – tudo é mais caro do que nas lojas esportivas “normais”.

Museu do Bayern de Munique
Museu do Bayern de Munique

Conseguimos terminar a visita ao Museu as 16h50, tempo suficiente pra comer e beber rapidamente alguma coisa no bar da Paulaner (que era também o ponto de encontro para o início do Tour ao estádio). Não sei se por conta do horário, ou da época do ano, mas as opções de snacks estavam limitadíssimas. Comemos a única opção disponível: pão com bratwurst e mostarda (um pão já bem murchinho). Não que estivesse ruim, mas esperávamos mais. A cerveja era Paulaner on tap, então pedimos uma Weiss e não teve muito erro. 🙂  Ah, os preços lá eram mais ou menos parecidos com os preços dos bares e restaurantes normais – o problema era a falta de opções mesmo.

As 17h00 apareceu o guia no local combinado (pontualidade germânica, claro). O início do tour é em um dos setores de cadeiras do estádio, de onde podemos ver o gramado (a essa altura, já estava noite). Por conta de ser um estádio coberto, a incidência de sol não é a ideal, e essas luzes da foto são equipamentos caríssimos e ultramodernos que simulam a incidência da luz solar para manter a grama sempre verdinha. Na sequência, passamos pela sala de imprensa – onde jogadores e técnicos dão suas entrevistas coletivas – e também pelos vestiários e salas de ginástica. Tudo é moderno e bem cuidado, mas em termos de experiência, nada muito diferente de outros tours por estádios de futebol.

Parte interna do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena
Parte interna do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena
Área de imprensa do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena
Área de imprensa do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena

Um dos momentos mais interessantes é quando saímos dos vestiários e percorremos o mesmo trajeto dos jogadores para entrar no campo (mas na visita não entramos no campo). Nessa hora rola uma simulação e o guia coloca até a musiquinha da Champions League para o pessoal entrar no clima.

Túnel de acesso ao campo do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena
Túnel de acesso ao campo do estádio do Bayern de Munique, a Allianz Arena

No final, já na parte externa da arena, o guia conta um pouco sobre a estrutura do estádio e o sistema de iluminação. Nesse dia o estádio estava aceso nas cores vermelho E amarelo, o que acontece somente no período próximo ao Natal. Em geral o estádio fica vermelho em jogos do Bayern, branco em jogos da seleção alemã, azul nos jogos do TSV 1860, e com cores diversas em ocasiões especiais – como na homenagem ao trágico acidente da Chapecoense, em que a Allianz Arena ficou toda verde.

Segue a gente aí no Instagram! 🙂

Ao todo o Tour pelo estádio leva cerca de 1 hora (mais o tempo que você pretende gastar no Museu). Ao final, o guia nos deixa no mesmo portão de entrada ao estádio.

Área externa do Allianz Arena, estádio do Bayern de Munique
Área externa do Allianz Arena, estádio do Bayern de Munique

Depois do “Auf Wiedersehen” do guia, temos que fazer novamente o trajeto de caminhada até o metrô – mas agora ainda mais frio e escuro, sem nenhuma iluminação ou sinalização (não dá pra enxergar 2 metros a frente). A “luz no fim do túnel” é a estação de metrô, e seguimos em direção a ela com ajuda das parcas lanternas dos nossos celulares (que já estavam quase sem bateria).

Allianz Arena à noite, estádio do Bayern de Munique
Allianz Arena à noite, estádio do Bayern de Munique
Tentativa de selfie na Allianz Arena à noite, estádio do Bayern de Munique
Tentativa de selfie na Allianz Arena à noite, estádio do Bayern de Munique

Avaliação final

Levando em conta o valor pago (38 euros por casal pagando o preço cheio) e o tempo “gasto” (somando o deslocamento e a visita, considere um mínimo de 4 horas), fica a impressão de que o Tour realmente só vale se você gosta MUITO de futebol ou se tiver pelo menos 1 dia “sobrando” no seu roteiro em Munique. O maior problema do tour está justamente na falta de um cuidado maior na experiência oferecida como um todo – fica a impressão de que simplesmente estar na Allianz Arena já seria o bastante para satisfazer o visitante. Poderia ser melhor sinalizado, poderiam dar 1 chope grátis para o visitante (ou algum outro brinde, mesmo que fosse um lápis do Bayern de Munique), poderiam ter algum serviço de transporte para deixar o visitante na porta do metrô, enfim, existiriam várias formas de melhorar a experiência de quem faz o Tour. Se você quer muito conhecer a Allianz Arena e se tem uns dias sobrando, vá. Mas se vai ficar menos de 3 ou 4 dias na cidade, recomendamos que priorize outros passeios e atrações.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_mad_social_icons title=”NAS MÍDIAS SOCIAIS” facebook_link=”https://www.facebook.com/viajaredemais.oficial” twitter_link=”http://www.twitter.com/viajar_e_demais” instagram_link=”http://www.instagram.com/viajaredemais”][vc_tta_tabs][vc_tta_section add_icon=”” title=”Últimos posts” tab_id=”1438600542051-482a9487-cfdc7a0a-0bd8″][vc_mad_posts_numeric orderby=”post_date” posts_per_page=”5″][/vc_tta_section][vc_tta_section add_icon=”” title=”Mais Comentados” tab_id=”1438600542115-3e48a226-21767a0a-0bd8″][vc_mad_posts_numeric orderby=”comment_count” posts_per_page=”5″][/vc_tta_section][/vc_tta_tabs][vc_column_text]

Booking.com

[/vc_column_text][vc_column_text][/vc_column_text][vc_mad_our_writers posts_per_page=”3″ title=”Viajantes”][/vc_column][/vc_row]

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários
  • Primeiramente quero dar parabéns pelo blog! posts com muitos detalhes e informações dos passeios!
    Eu e minha esposa passaremos a virada do ano em Munique e um passeio que faremos é ir ao Allianz Arena… lendo o seu post vi que vocês tiveram problemas para achar o portão certo, vocês se lembram qual era o número do portão de entrada para comprar os ingressos e começar o tour?

    • Fala @disqus_0XFDF9B40W:disqus , que legal que os posts estão te ajudando a planejar a viagem! Sobre a Allianz Arena, o que dificultou é que estava muito frio no dia e não tem um único funcionário do lado de fora do estádio. Por isso a sensação inicial de ficar meio “perdido” pra encontrar a entrada. E da saída do metrô até o estádio é uma boa caminhada, não tem como fugir disso. hehehe
      Eu confesso que não lembro exatamente o número do portão, mas o que a gente fez foi: passamos o portão principal do estádio (esse é gratuito, é só entrar) e viramos a direita, circundando o estádio. Por ali você vai ver algumas placas indicando a visita guiada. Se não me engano, passamos por uns 3 ou 4 portões até chegar na entrada para o tour. Espero que ajude! 🙂 Grande abraço!

Viajar é Demais