10 curiosidades sobre comer em restaurantes na Alemanha
10 coisas sobre restaurantes na Alemanha

10 curiosidades sobre comer em restaurantes na Alemanha

Comer é uma das melhores coisas em qualquer viagem. Experimentar novos sabores, descobrir lugares novos, aprender sobre a cultura local, tudo isso é parte dos prazeres de viajar. Diferentemente de quando estamos no nosso país, na nossa cidade, na rotina da vida “normal” – quando em geral o padrão é comer em casa – nas viagens nos sentimos estimulados a comer fora o tempo todo. Até rola de comprar comida no supermercado e botar o fogão do apartamento para funcionar, mas em geral o que a gente quer mesmo é a experiência de comer fora e não ter que se preocupar em lavar a louça depois. 🙂

Por que em uma viagem pra Alemanha seria diferente, não é mesmo? Claro que a gente vai querer sair e se esbaldar na culinária alemã, comer naquelas tabernas típicas que parecem saídas de muitos séculos atrás (e muitas vezes são dessa época mesmo!). Mas ao mesmo tempo, comer em restaurantes na Alemanha pode ser um dos maiores gastos da sua viagem, e é bom ir preparado pra isso, tendo uma ideia real de quanto essa “brincadeira” pode custar.

Resolvemos contar então um pouco da nossa experiência “gastronômica” ao longo da viagem (novembro e dezembro de 2016), dando nossas impressões sobre quanto você vai gastar em média e sobre algumas particularidades de se comer fora na Alemanha. A partir disso, listamos 10 curiosidades sobre comer em restaurantes na Alemanha.

1) Tipos de pratos

Muitas vezes em um país ou até em uma cidade diferente da nossa, questões culturais resultam em diferenças nos tipos de pratos oferecidos nos restaurantes locais. Os restaurantes na Alemanha em geral tem a disposição:
– Entrada: Sopas, pães ou pequenas porções de algo. Suficiente somente para 1 pessoa, e sempre em pouca quantidade.
– Prato “klein” ou “small dish”: Pratos para “pequenos apetites”, mas que em geral são bem servidos e suficientes se você não estiver faminto ou já tiver pedido uma entrada.
– Prato Principal: Pratos individuais, em geral muito fartos, mas suficientes para 1 pessoa. É praticamente impossível aguentar comer, por exemplo, uma entrada E um prato principal sozinho.
– Pratos para 2 (ou mais) pessoas: Acontece de você encontrar pratos para dividir em alguns restaurantes, mas é bem incomum (acho que vimos em uns 2 restaurantes, e mesmo assim eram pratos bem específicos, não é a regra).
– Sobremesa: Em teoria é para uma pessoa, mas é bem servida e dá pra dividir por um casal tranquilamente.

2) Média de preços

Assim que começa a planejar a viagem, muita gente logo se pergunta “quanto será que eu vou gastar com comida na Alemanha?”. Logicamente isso pode variar muito em função de quanto cada pessoa come, do tipo de restaurante que gosta, da cidade em que está e até mesmo da época do ano. Por isso, vamos dar uma média dos preços a partir da nossa experiência, em restaurantes quase sempre entre os “top 100” nas avaliações de sites como o Trip Advisor.
– Entrada: Normalmente custa de 3 a 5 euros por pessoa.
– Prato “klein” ou “small dish”: De 7 a 10 euros por pessoa
– Prato principal: De 8 a 15 euros por pessoa, mas uma boa média para calcular é na faixa dos 12 euros por refeição.
– Sobremesa: Em média, 5 euros por pessoa.
– Bebidas: Cerca de 4 euros cada bebida.
– Café: Nos restaurantes dificilmente vai conseguir por menos de 3 euros por café.

Como ninguém em condições normais vai comer tudo isso de uma vez, acredito que uma média de 20 a 25 euros por pessoa seja suficiente para uma refeição completa combinando os elementos acima, sem exageros (ex: 1 prato principal, 1 sobremesa e 1 bebida não alcoólica ou 1 chope).

3) Bebidas não alcoólicas são caras

Esse item tem relação com o anterior, mas decidi dar uma atenção especial porque muitas vezes a gente é surpreendido: bebidas não alcoólicas em geral (água, refrigerante ou suco) são proporcionalmente MUITO caros se comparados aos preços praticados no Brasil. Enquanto um chope alemão de trigo de 500ml sai por cerca de 4 euros, uma Coca-Cola pode custar a mesma coisa. Aí você faz as contas e vê que tá pagando quase R$15,00 em uma latinha de coca-cola! O.o
A dica é: se está na Alemanha, e gosta de cerveja, beba sempre cerveja! Se não, vale a pena se esforçar e aproveitar a oportunidade para criar o saudável hábito de não beber líquidos durante a refeição. Seu estômago (e sua carteira) vão agradecer. 🙂

4) Gorjetas

A gorjeta em restaurantes na Alemanha não é quase “obrigatória” como no Brasil, e não vem cobrada na nota, mas é de praxe dar para o garçom os mesmos 10% que praticamos aqui (em dinheiro vivo, não é incluído no cartão). Mas nas vezes que não demos nada ou demos menos do que 10% (ou por não ter dinheiro trocado, ou por ter sido mal atendido), não fomos mal tratados nem nada do tipo.

5) Reserva de mesas

Ao contrário do Brasil – onde em geral só fazemos reserva para mesas bem grandes ou em ocasiões especiais, tipo aniversário – na Alemanha os restaurantes ainda trabalham muito com o modelo de reserva de mesa. E os alemães realmente ligam e fazem reservas, mesmo que seja só um casal. É super normal você chegar em um restaurante e a maioria das mesas estar com uma plaquinha de “Reservado para fulano”, inclusive com o horário da chegada e provável saída. Por exemplo, você pode chegar num restaurante as 19h e sentar-se na mesa reservada para o “Sr. Lohmann” com placa de reservado a partir das 20h (desde que você se programe pra sair as 20h, logicamente). Se você for a um restaurante mais badalado, em dias e horários de maior movimento, a chance de precisar esperar muito no balcão (onde não é necessário reserva) ou até mesmo de não conseguir lugar e ter que ir embora são muito grandes.

6) Mesas compartilhadas

Esse é outro hábito bem curioso para nós, brasileiros. Se você não fez uma reserva e chegou em um horário de pico, é quase certo que, SE conseguir mesa, vai ser uma mesa compartilhada com outras pessoas. É isso mesmo, é bem comum os restaurantes terem mesas grandes e você sentar com uma família ou um grupo de amigos que já estava por lá. Nós tivemos algumas experiências interessantes nesse sentido – em Bamberg sentamos com um grupo de senhoras que se encontram pra tomar cerveja e jogar baralho toda semana e trocamos altas ideias –  mas de qualquer maneira, é bom já ir preparado para isso. 🙂

7) Wifi

Sabe essa coisa de ficar sentado na mesa do restaurante, cada um no seu celular, sem trocar uma palavra? Nos restaurantes na Alemanha isso é bem complicado, pois a maior parte deles não disponibiliza wifi gratuito para os clientes. Não sei se é em função de já haver redes wifi livres oferecidas em várias partes da cidade, ou se por costume mesmo. Em função disso, notamos também que é bem raro ver um alemão checando o celular no restaurante (em geral só nós e outros turistas tínhamos esse costume). Vai ter gente achando isso ótimo, vai ter gente achando desesperador, mas o fato é que o padrão é não ter wifi.

8) Televisão? Esqueça

Sabe aquele monte de aparelhos de TV espalhados por cada parte do restaurante, algo tão comum no Brasil? Nos restaurantes alemães isso não acontece. Para o alemão, o momento da refeição deve ser de foco total na comida, na companhia, e em tudo que compõe essa experiência. Quer ver a novela ou o jogo de futebol? Melhor ficar em casa ou procurar algum bar especializado para isso. 🙂

9) Horário de Funcionamento

Mais um item para incluir no seu planejamento de viagem: descubra os dias e horários de funcionamento daquele restaurante que você pesquisou e adorou, pra não dar com a porta na cara. Pode ser que o restaurante incrível não funcione aos domingos e às segundas, porque… bom, porque sim. Muitos restaurantes não abrem durante a semana toda, e você pode se frustrar se escolher o dia errado pra ir naquele restaurante especial.
Em relação aos horários, diferentemente de muitos lugares do Brasil onde os restaurantes abrem logo cedo e só fecham quando sai o último cliente, os restaurantes na Alemanha tem horários bem definidos. É muito comum um restaurante funcionar de 12h as 15h (para almoço), fechar e só reabrir das 18h até as 22h para o jantar. Reparou no “até as 22h para o jantar”? Esse é outro ponto, os restaurantes fecham CEDO. Principalmente nas cidades menores, mas mesmo nas cidades grandes, a maior parte dos restaurantes fecha bem cedo para os nossos padrões. E quando a cozinha encerra as 22h, é as 22h mesmo – não adianta chegar as 22h01 e achar que vai ser atendido. Horário pro alemão é coisa séria! 🙂

10) Trocar ingredientes do prato? Pense bem…

Não é que seja impossível solicitar uma troca de um ingrediente, mas veja bem… não é algo que os alemães aceitem com tanta naturalidade. Em geral, se o prato é daquele jeito, é porque aquele é o jeito “correto” de se comer aquele conjunto de itens, e não faria sentido simplesmente trocar algo. Até tentamos trocar 2 vezes um ou outro ingrediente, e em uma delas o garçom até trocou (mas com cara de poucos amigos) e no outro fomos coagidos a não fazer a troca, pois não fazia “nenhum sentido” segundo o garçom. Então, a dica é: escolha um prato onde você goste de tudo certinho do jeito que foi montado, e evite problemas.  🙂

E você, estranhou alguma dessas coisas quando visitou a Alemanha? Notou mais algum hábito ou costume que seja diferente dos padrões brasileiros?


Já reservou seu hotel na Alemanha?

Se você ainda não garantiu seu hotel para a próxima viagem, a dica é CLICAR AQUI e reservar um hotel pela Booking.com. Além de conseguir os melhores preços e ter toda a segurança que a Booking oferece, você ainda vai estar nos ajudando a manter o trabalho do blog. Cada vez que você acessa o site da Booking.com através do nosso link e faz uma reserva de hotel ou apartamento, eles repassam uma pequena comissão para o blog. E isso não custa 1 centavo a mais para você. Os preços são os mesmos para quem acessa por aqui ou de qualquer outra forma. Não é demais? 🙂

Quer viajar com segurança, tranquilidade, e se hospedar nos melhores hotéis pelo menor preço? Vai de Booking. 🙂

+ Pesquisar preços de hotéis e apartamentos na Alemanha


Mais atividades na Alemanha

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Alemanha. E mesmo que não fosse obrigatório, não dá nem pra pensar em viajar sem seguro, não é mesmo? Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um comparador de preços entre as principais companhias de seguro viagem do mercado que apresenta os melhores preços e condições para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 comentário
Viajar é Demais