Grand-Pont | O que fazer em Lausanne

O que fazer em Lausanne, na Suíça: roteiro de 1 dia na “Capital Olímpica”

São tantos os destinos incríveis na Suíça que fica até difícil planejar um roteiro pelo país sem aquela sensação de estar deixando uma cidade imperdível de fora, não é mesmo? Nesse artigo a gente mostra porque a pequena Lausanne é uma dessas cidades que você não pode deixar de conhecer em uma viagem pela Suíça. Situada há cerca de 40 minutos de Genebra, essa cidade às margens do lago Léman se destaca pelo centro histórico medieval e por ser a sede do COI (Comitê Olímpico Internacional) e do Museu Olímpico — características que conferem a Lausanne o apelido de “Capital Olímpica”. E o melhor de tudo é que um único dia bem planejado já pode ser o suficiente para conhecer o essencial de Lausanne e visitar as suas principais atrações. Para ajudar nessa tarefa, preparamos esse roteiro super completo com todas as dicas sobre o que fazer em Lausanne em 1 dia.

Antes, algumas dicas para você economizar na viagem:

O que fazer em Lausanne: roteiro de 1 dia

Antes de começarmos a falar sobre atrações e atividades, a primeira coisa que você precisa saber sobre Lausanne é que a cidade é cheia de “altos e baixos” por conta de sua geografia bem peculiar. Basicamente, Lausanne pode ser dividida entre “Cidade Alta” (Haute Ville) e “Cidade Baixa” (Basse Ville, ou Ouchy). E em ambas as partes da cidade há atrações “obrigatórias”, portanto mesmo em um roteiro de um dia em Lausanne será necessário transitar entre a parte baixa e a parte alta da cidade.

Na parte baixa de Lausanne estão a Gare de Lausanne (principal estação de trem, por onde provavelmente você irá chegar), o Lago Léman e o museu mais importante da cidade, o Musée Olympique. Já na Cidade Alta está o centro histórico propriamente dito, a parte mais antiga da cidade com suas construções medievais, ruas e praças emblemáticas além da imponente Catedral de Lausanne. Para quem pretende se hospedar ao menos uma noite em Lausanne o mais legal é ficar na parte alta, próximo ao centro histórico – nossa dica pessoal é o Hôtel des Voyageurs, um confortável hotel 3 estrelas super bem localizado, com ótimo custo-benefício e um café da manhã delicioso (no final desse artigo a gente conta um pouquinho mais sobre ele).

Para quem olha apenas o mapa da cidade, tudo parece ser bem pertinho e fácil de acessar em Lausanne. Mas as ladeiras e inclinações da cidade podem complicar bastante o cenário para quem não estiver com o roteiro muito bem planejado. Um aliado importante para cumprir esse roteiro de 1 dia em Lausanne é o Lausanne Transport Card, o cartão que dá acesso ilimitado a toda rede de transporte público da cidade. E o melhor de tudo é que esse cartão é gratuito pelo número de noites que você se hospedar na cidade – o próprio hotel entrega o Lausanne Transport Card na hora do check in. Demais, não?

Depois dessas dicas iniciais e informações sobre a cidade, vamos ao roteiro detalhado de 1 dia em Lausanne, a cidade olímpica da Suíça!

Roteiro de 1 dia em Lausanne

Se você tem apenas 1 dia para conhecer Lausanne o ideal é chegar cedo. No nosso caso, chegamos bem cedinho na estação de trem de Lausanne partindo de Genebra (cerca de 40 minutos de distância) e fomos direto para o Hôtel des Voyageurs deixar as malas e partir para explorar a cidade. Detalhe importante: como já dissemos, a Gare de Lausanne fica na parte baixa, e o centro histórico (onde ficava o nosso hotel) é na parte alta. Como o Lausanne Transport Card só é entregue no hotel, esse primeiro trecho entre a estação de trem e o seu hotel precisará ser feito a pé (para os mais animados) ou pagando pela passagem de metrô. Como a gente não tinha muita noção da quantidade de ladeiras, optamos por fazer a pé com malas e tudo, mas foi bem puxado – só recomendo para quem estiver com o preparo físico em dia! 🙂

Grand-Pont: a antiga ponte no revitalizado bairro Flon

Check-in realizado, malas devidamente guardadas, é chegada aquela hora boa de começar a bater perna pelas ruas de Lausanne! O ideal é começar pelo centro histórico a partir das atrações mais próximas do seu hotel. No nosso caso, começamos pelos arredores da Grand-Pont, uma antiga ponte localizada no coração de Lausanne que oferece uma vista bem legal da cidade e da Catedral mais ao fundo.

A ponte fica localizada numa região do centro de Lausanne conhecida como “Flon” — um antigo bairro de armazéns industriais que foi inteiramente revitalizado depois de anos de abandono. O contraste dessa mistura entre o industrial e o medieval fez com que o “novo Flon” se tornasse um símbolo do sucesso arquitetônico da cidade. Após o processo de renovação, o Flon virou o “bairro da moda” de Lausanne, atraindo uma grande variedade de bares, restaurantes, museus, lojinhas descoladas e empresas de tecnologia. Vale a pena retornar a noite para conferir o agito dessa parte da cidade – inclusive essa será a nossa sugestão nesse roteiro para a hora do jantar. 🙂

Pont Charles Bessières

Aqui vai uma dica de como otimizar o tempo e evitar o desgaste de encarar as ladeiras de Lausanne: ao invés de seguir a pé até as atrações mais próximas da Grand-Pont (que seria o lógico ao analisar o mapa) a melhor opção é fazer uso do seu Lausanne Transport Card e pegar o metrô (estação Lausanne-Flon) até a estação Bessières, onde fica localizada a Pont Charles Bessières (apenas duas estações depois). Já que o transporte é de graça para quem se hospeda em Lausanne, por que não fazer uso dessa vantagem e ir direto para a parte mais alta da cidade? Dessa maneira você evita os principais trechos de subida e faz a maior parte do trajeto apenas descendo.

Pont Charles Bessières | O que fazer em Lausanne
Pont Charles Bessières | O que fazer em Lausanne

Além da Pont Charles Bessières ser belíssima e também oferecer lindas vistas da cidade, ela fica bem pertinho e mais ou menos no mesmo nível da Catedral de Lausanne (próxima atração do roteiro). E quem estiver disposto a subir os cerca de 160 degraus até o alto da torre do Campanário da Catedral vai ter um motivo extra para nos agradecer pela dica do metrô. 🙂

La Cathédrale de Lausanne: a Catedral da cidade

Considerada um dos mais belos monumentos da arte gótica em toda a Europa, a Catedral de Lausanne (La Cathédrale de Lausanne) atrai cerca de 500 mil visitantes todos os anos. Construída no século XIII, a igreja inicialmente católica tornou-se calvinista após a Reforma Protestante do século XVI, e assim permanece até os dias de hoje. A Catedral de Lausanne é daquelas construções que nos estimulam a percorrer todo o seu exterior e admirar cada detalhe. Na fachada os maiores destaques ficam por conta da rosácea de vitrais localizada na face de frente para a rua, além da porta de entrada principal riquíssima em detalhes e da torre do campanário que pode ser vista de praticamente qualquer parte de Lausanne.

Falando na torre do Campanário, a Catedral de Lausanne tem uma tradição super curiosa que já dura mais de 600 anos e é mantida até hoje. Todas as noites das 22h até as 2h o vigia noturno cumpre um ritual de subir de hora em hora até a torre, tocar o sino e gritar “Ces’t le guet. Il a sonné 10, il a sonné 10 (É o guardião. São dez horas, são dez horas)” — claro que o horário é alterado de acordo com a hora real. Reza a lenda que essa tradição começou em 1405, quando o vigia da época avistou um incêndio em um povoado vizinho que poderia representar um risco para a cidade. Hoje o vigia não tem mais a função de monitorar incêndios, mas segue perpetuando essa antiga tradição da cidade.

Mas se a noite reserva essa experiência secular, durante o dia é possível visitar o interior da Catedral de Lausanne — aberto a visitação gratuita. Honestamente, em matéria de arquitetura e preservação a Catedral de Lausanne não deixa nada a dever às mais importantes catedrais da Europa. Se a fachada já impressiona, os detalhes internos como a rosácea de vitrais sendo atravessada pela luz do sol torna tudo ainda mais belo e místico. Visita imperdível!

Também imperdível é a subida a torre do campanário — essa com cobrança de ingresso que pode ser adquirido na hora. A gente sempre recomenda esse tipo de atividade por conta não apenas do visual único que se tem lá do alto, mas porque a experiência como um todo nos aproxima da forma como a Catedral era de fato utilizada desde os primórdios de sua existência. A torre da Catedral de Lausanne conta com cerca de 160 degraus — longe de ser a mais alta que subimos ao longo da viagem, mas ainda assim exige um certo esforço. Esforço este que é coroado pela possibilidade de ver Lausanne de cima, com suas construções medievais e o lago Léman ao fundo emoldurando a paisagem.

Reserve para a atividade como um todo (Catedral por fora, interior e subida a torre) entre 40 minutos e 1 hora dependendo do seu nível de interesse e do preparo físico para subir e descer as escadas até o alto da torre.

Catedral de Lausanne | La Cathédrale de Lausanne
Endereço:
Place de la Cathédrale, 1005
Horário: Aberta para visitas todos os dias das 09:00 às 17:30 (consulte os horários atualizados no site oficial). Para a subida a torre é necessário chegar ao menos 30 minutos antes do horário de encerramento.
Preço: Interior da Catedral – Entrada gratuita; Subida a torre do campanário – 5 CHF por pessoa.
Site: www.lausanne-tourisme.ch/fr/decouvrir/la-cathedrale-de-lausanne/

Place du Château: Château Saint-Maire e Grand Conseil de Vaud

Saindo da Catedral de Lausanne siga até a Place du Château, localizada no extremo norte dessa parte alta da cidade (cerca de 300 metros de caminhada). Nessa praça fica localizado o Château Saint-Maire — sede do poder regional desde o ano de 1430 quando o castelo foi construído — e ainda o Grand Conseil de Vaud — equivalente a casa legislativa do “Estado”. Apesar de nenhum deles poder ser visitado internamente, vale a pena esticar a caminhada até a praça para contemplar a beleza arquitetônica desses dois edifícios de grande importância para a política local.

Place de la Riponne

Na sequência siga até outra importante praça do centro histórico de Lausanne, a Place de la Riponne. Criada em 1838 para cobrir o curso de um rio que passava no local, a praça é famosa por abrigar o Palais de Rumine, um edifício histórico de renascentista florentino onde hoje funcionam diversos museus cantonais de temas como geologia, zoologia, arqueologia e história. Em um roteiro de apenas um dia em Lausanne o mais indicado é conhecer somente a fachada do edifício.

Palais de Rumine na Place de la Riponne | O que fazer em Lausanne
Palais de Rumine na Place de la Riponne | O que fazer em Lausanne

Além desse atrativo arquitetônico, a Place de la Riponne recebe todas as quartas e sábados um movimentado “marché” (mercado) de pulgas e bancas de flores e vegetais — o que costuma atrair não apenas turistas mas também moradores locais. O mercado das quartas e sábados na verdade se estende ainda por outras ruas e praças da cidade, como veremos na sequência desse roteiro.

Mercado na Place de la Riponne | O que fazer em Lausanne (foto: lausanne-tourisme.ch)
Mercado na Place de la Riponne | O que fazer em Lausanne (foto: lausanne-tourisme.ch)

Escaliers du Marché

Em uma cidade com tantos “altos e baixos” é claro que escadas sempre fizeram parte da geografia de Lausanne. Saindo da Place de la Riponne e caminhando novamente em direção a Catedral você vai encontrar a mais antiga e famosa escadaria da cidade. A Escaliers du Marché (ou “escadaria do mercado”) é uma das atrações mais pitorescas de Lausanne e faz justamente a ligação entre a Catedral e a Place de la Palud — principal praça da cidade. No caso, como esse roteiro é planejado para que você tenha a melhor experiência possível, você irá descer a escadaria — e não subir, como aconteceria se começasse o dia pela Place de la Palud.

Sobre a história da Escaliers du Marché, sabe-se que ela existe ao menos desde o século XIII, embora a aparência atual (toda em madeira e recoberta por telhas) remonte provavelmente ao século XVIII. Até o século XIV, o mercado da cidade não acontecia na Place de la Riponne (que sequer existia, pois ali passava um rio) e era realizado em uma praça que existia à direita da escada – daí o nome que permanece até hoje. De qualquer forma, o mercado continua existindo e acontecendo nos arredores da escadaria, então o nome continua fazendo todo o sentido.

Além da própria arquitetura já ser muito interessante, não deixe de ir parando nos patamares da escada durante o processo de descida para observar o visual, em especial a fileira de edifícios em uma das laterais que acompanham todo o trajeto. Algumas dessas casas são originais do século XVI e ainda hoje abrigam boutiques e cafés históricos de Lausanne – sem contar que rendem fotos incríveis!

Place de la Palud e a prefeitura de Lausanne

O final da Escaliers du Marché culmina na chegada a Place de la Palud, a mais importante praça da cidade. E a primeira coisa que avistamos na praça é justamente a fachada de seu edifício mais importante, a Prefeitura de Lausanne (Hôtel de Ville de Lausanne). Construído no século XVII, o edifício da prefeitura chama a atenção pelas sacadas floridas, as arcadas e a torre central que ornamenta a bela fachada de estilo renascentista. Muito charmoso, como aliás é toda a praça.


Além da Prefeitura, a Place de la Palud tem outras atrações bem legais como o chafariz mais antigo da cidade — adornado com uma estátua da Justiça — e imediatamente atrás dele um daqueles relógios típicos das cidades europeias, onde de hora em hora acontece uma “encenação” com bonecos automatizados representando uma história da cultura local. Durante o dia é bem comum ver os turistas se aproximando do relógio quando está próximo de uma hora cheia para acompanhar o “evento” (diariamente das 9h às 19h).

E lembra dos mercados de rua de Lausanne? Pois bem, se puder escolher na hora de planejar seu roteiro, quartas ou sábados (principalmente) são sem dúvida os melhores dias da semana para conhecer Lausanne. Para quem visita a cidade nesses dias, a Place de la Palud e seus arredores concentra a parte mais interessante desses mercados — conhecido como Mercado do Campo (Farmer’s Market ou Marché du centre-ville). E por que essa é a melhor parte do mercado? Porque é aqui que estão as principais barraquinhas de comidas e bebidas típicas que particularmente a gente adora — quase tudo local, orgânico, artesanal, muito fresco e de excelente procedência!

A Place de la Palud até conta com uma loja de produtos gourmet super famosa e muito visitada pelos turistas (a “La Ferme Vaudoise”), que nos dias em que não acontece o Marché acaba sendo uma ótima opção. Mas confesso que em um sábado a gente acabou nem ficando muito tempo concentrado na loja e preferimos “bater perna” e conversar com os feirantes em busca de experimentar o máximo de produtos frescos de agricultura, charcuteria, açougue, queijaria, padaria e muito mais. Além das muitas provinhas disponíveis em quase todas as barracas, vale a pena escolher uma delas para um almoço rápido e divertido pelas ruas do Marché de Lausanne.

Mercado do Campo (Farmer’s Market ou Marché du centre-ville)
Endereço: Place de la Palud, Place de la Riponne e arredores
Quando acontece: Todas as quartas e sábados, das 8h às 14h30

Musée Olympique: o Museu Olímpico de Lausanne

Depois de conhecer o essencial do centro histórico de Lausanne e curtir os mercados de rua, é hora de seguir até a beira do lago Léman rumo ao Museu Olímpico de Lausanne. Afinal, não é por acaso que Lausanne tem o apelido de “Capital Olímpica” — a cidade é sede do COI (Comitê Olímpico Internacional) há 100 anos e desde 1993 abriga o Musée Olympique às margens do Lago de Genebra.

Para chegar lá o ideal é usar novamente o metrô gratuitamente com o seu Lausanne Transport Card — pode embarcar em qualquer estação do centro histórico e seguir até a estação Musée Olympique (cerca de 5 ou 6 estações de distância). A estação fica localizada na região conhecida como Quai d’Ouchy, onde um extenso cais construído em 1901 liga o antigo porto com a Torre de observação e permite uma caminhada à beira do lago em meio aos pássaros e barcos atracados. Essa é uma região bem agradável para caminhar e curtir a natureza de Lausanne, e vale a pena especialmente em dias de sol ou de clima agradável.

Como o Museu Olímpico de Lausanne fica a mais ou menos 300 metros de distância da estação de metrô, a sugestão é justamente seguir pela pista de caminhada às margens do lago e assim já curtir o visual do Quai d’Ouchy (apesar de curto, esse trechinho é o suficiente para aproveitar a beleza do lago, não sendo necessário percorrer mais do que isso em um roteiro de apenas 1 dia). Durante todo o trajeto existem placas indicando o caminho até o museu, e ao longe já é possível avistar o letreiro principal da atração, ou seja: impossível se perder pelo caminho. 🙂

Logo na chegada ao Museu Olímpico, ainda do lado de fora, há uma escadaria onde cada degrau tem o ano e o nome de cada cidade onde foi realizada uma edição dos jogos olímpicos (na foto estamos indicando o degrau do Rio de Janeiro). A escada leva até a entrada principal onde está a bilheteria (é possível adquirir ingressos na hora).

Desde sua última reforma completa o o Museu Olímpico de Lausanne conta com equipamentos modernos que tornaram a exposição mais digital e conectada com os tempos atuais. Dividida em três níveis, a exposição principal apresenta a origem dos jogos olímpicos, os detalhes de cada competição e informações sobre atletas que marcaram seu nome na história.

Uma parte bem interessante da exposição traz todas as versões de tochas olímpicas, medalhas e até mascotes de todas as edições de Jogos Olímpicos. Um exercício de nostalgia para quem acompanha os jogos e a prática esportiva ao longo dos anos.

Impressiona o tamanho do acervo de roupas, acessórios e equipamentos esportivos utilizados por atletas de diferentes países, modalidades e gerações. É possível passar um bom tempo identificando personalidades marcantes dos jogos Olímpicos.

Importante destacar também que o próprio edifício do Museu tem uma arquitetura muito impactante e que colabora para que a experiência como um todo seja ainda mais dinâmica e interessante.

Museu Olímpico | O que fazer em Lausanne

Esse é o tipo de atração cuja visita pode levar de 30 minutos até algumas horas dependendo do grau de interesse que cada pessoa tenha em esportes e nos Jogos Olímpicos em especial.

Importante: se você não for nada ligado em esportes e não tiver nenhum vínculo emocional com as Olimpíadas, a visita ao Museu Olímpico pode ser dispensável — mesmo sendo o museu mais importante de Lausanne. Grande parte do deslumbramento da experiência se deve ao conhecimento prévio e às experiências que cada pessoa tem em relação ao tema das Olímpiadas. A própria região do Quai d’Ouchy é bem bonita e agradável mas não chega a ser imperdível. Nesse caso, pode valer mais a pena aproveitar o tempo que seria dedicado à essa visita para explorar com mais calma o centrinho de Lausanne ou para ter uma experiência gastronômica completa almoçando em um dos restaurantes típicos do centro da cidade.

Musée Olympique | Museu Olímpico de Lausanne
Endereço: Quai d’Ouchy 1
Horário: De terça a domingo, das 10:00 às 18:00 (fechado nas segundas)
Preço: 20 CHF (inteira). Consulte o site oficial para reduções e preços atualizados
Site: lausanne-tourisme.ch/fr/decouvrir/le-musee-olympique/

Rue de Bourg (rua de compras)

Após a visita ao Museu Olímpico, a dica é voltar para o centro histórico de metrô (na mesma estação por onde você chegou). Se gostar de compras e quiser conhecer um pouco das lojinhas e comércios locais de Lausanne, aproveite o finzinho da tarde para caminhar pelos arredores da Rue de Bourg. Fica bem na região onde acontece o Mercado de rua das quartas e sábados, mas a grande quantidade de barracas durante a manhã e o início da tarde faz com que você quase não consiga enxergar as lojas e os detalhes da rua nesses horários.

Rue de Bourg (foto: Lausanne Tourisme) | O que fazer em Lausanne
Rue de Bourg (foto: Lausanne Tourisme) | O que fazer em Lausanne

Se até o início do século XIX a Rue de Bourg era uma das principais ruas de Lausanne e ocupada pelas residências das famílias mais ricas da cidade, hoje a rua é reservada apenas para pedestres e se tornou uma importante zona de compra. Basta caminhar por uma quadra da rua para encontrar algumas das principais lojas de Lausanne, muitas delas de marcas internacionais. Mas basta olhar para cima pra desfrutar da beleza das fachadas das antigas casas dos séculos 17 e 18 que ainda remetem ao charme e a elegância dessa época.

Sobre as compras em si, Lausanne (assim como toda a Suíça) é uma cidade bem cara, especialmente para brasileiros — por conta da moeda fraca em relação ao franco suíço. De qualquer maneira, só olhar ainda não custa nada, e quem sabe você encontra alguma promoção ou lembrança de viagem imperdível por lá? 🙂

Dica de onde jantar em Lausanne: Flon

Lembra que no início do texto falamos sobre a região do Flon e de como ela concentra boa parte dos bares e restaurantes mais “descolados” de Lausanne? A nossa dica de onde jantar em Lausanne é justamente nessa região da cidade. Uma opção bem legal é a Brasserie de Montbenon, uma brasserie que funciona em um antigo casarão com vista para os Alpes e o Lago de Genebra. A atmosfera do local é bem moderna, um mix de bar e restaurante, e a proposta gastronômica é combinar a nouvelle cuisine com especialidades locais. O cardápio traz produtos de terroir enriquecidos com um toque moderno de pratos de diversas partes do mundo, acompanhados pelos melhores vinhos da região e safras europeias. Abaixo algumas fotos dos nossos pedidos e da conta para dar uma ideia de valores.

Passeio pelo centro de Lausanne à noite

Um dia em Lausanne não está completo sem um passeio pelas ruas do centro histórico à noite. A melhor forma de terminar o roteiro de 1 dia é caminhando pelas ruas medievais, onde a iluminação noturna deixa tudo ainda mais charmoso e provoca uma atmosfera mágica na cidade antiga de Lausanne.


Lausanne no Inverno: Mercados de Natal

Aqui vai uma dica extra para quem tem viagem prevista para os meses de novembro e dezembro: o Bô Noël (referência a ‘beau nöel’ em francês, que significa ‘belo natal’) é o Mercado de Natal de Lausanne. O mercado apresenta um conceito original, com diversas atividades para crianças e adultos bem como barracas de designers, viticultores e produtores de terroir (da região) espalhadas por diferentes pontos da cidade. Uma tentativa de unir tradição e modernidade.

Bo Nöel: Mercado de Natal de Lausanne, na Suíça
Bo Nöel: Mercado de Natal de Lausanne, na Suíça

Mesmo sendo tudo considerado parte de um mesmo mercado de Natal, o Bô Nöel se divide em 5 mercados, uma vila infantil, 2 praças animadas e 11 ‘satélites’. Cada um deles, com estilos bem distintos entre si. Na Place St-François, a principal concentração, as pessoas se reúnem em um grande mercado coberto com comida típica do Natal. A noite, o local ganha ares de festa com concertos musicais a noite, atraindo principalmente os mais jovens. Já para descobrir e comprar produtos de designers locais, a Place Pépinet é o lugar para você. Para os amantes do bom vinho local, a Bô Caveau, sob os arcos do Grand-Pont, reúne os viticultores da região.

Mercado coberto em Lausanne
Mercado coberto em Lausanne

Importante ressaltar que o Natal em Lausanne tem ares um pouco alternativos e menos tradicionalistas. Talvez influenciado pelo festival anual de luzes que acontece nessa mesma época do ano – apesar de não ter nenhuma relação direta com a temática Natalina. As instalações de iluminação pela cidade dão um toque artístico e ainda mais contemporâneo para o período do Natal em Lausanne.

Iluminação do Natal e do festival de luzes em Lausanne
Iluminação do Natal e do festival de luzes em Lausanne

Leia também: Mercados de Natal da Suíça


Assim termina o nosso roteiro de 1 dia em Lausanne, na Suíça. Espero que tenham gostado das dicas e sugestões, e que voltem aqui depois para comentar o que acharam da cidade. Antes de partir, não deixe de conferir algumas últimas dicas importantes sobre hospedagem, passeios e seguro viagem para aproveitar da melhor forma a sua estadia por Lausanne! 🙂


Onde ficar em Lausanne

A nossa dica pessoal em Lausanne é o Hôtel des Voyageurs, ou “Hotel dos Viajantes”, que não poderia ser mais feliz na escolha do nome. Reformado em 2015 e situado em um edifício de estilo Art Déco, esse hotel 3 estrelas é voltado para todos os viajantes que desejam conhecer o principal de Lausanne e ter uma estadia com conforto sem precisar gastar uma fortuna.

Estrategicamente localizado na zona exclusiva para pedestres próximo a Place de la Palud e praticamente ao lado de uma estação de metrô, o Hôtel des Voyageurs é perfeito especialmente para quem pretende seguir este roteiro de 1 dia em Lausanne e não tem tempo a perder na hora de explorar a cidade.

Se preferir consultar outras opções de hotel ou hospedagem em Lausanne, consulte no mapa abaixo as sugestões da Booking com as melhores condições e segurança total para sua reserva:

Booking.com

Como chegar em Lausanne, na Suíça

Para quem pretende visitar Lausanne os melhores meios de transporte são o trem ou carro alugado.
De trem: a principal estação de trem da cidade é a Gare de Lausanne. Partindo de Genebra são cerca de 40 minutos de distância. Já Zurique fica há pouco mais de 2 horas de trem.
De carro alugado: Se a opção for alugar um carro, a nossa dica é consultar os preços na Rentcars. Um serviço que compara preços entre as melhores locadoras de automóveis e apresenta uma lista com todos os carros disponíveis e valores para a locação.

Aproveite e já faça as reservas dos passeios e atrações pelo menor preço. Não perca tempo em filas!

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja por toda a Europa. E mesmo que não fosse obrigatório, não dá nem pra pensar em viajar sem seguro, né? Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem do mercado e apresenta as opções com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário