O que fazer em Genebra: roteiro para 2 ou 3 dias na segunda maior cidade da Suíça

Planejando a viagem pela Suíça? É muito provável que Genebra esteja incluída no seu roteiro. Afinal, a segunda maior cidade da Suíça é uma das mais conhecidas e visitadas do país, além de contar com o Genève Aéroport (Aeroporto Internacional de Genebra), que ao lado do aeroporto de Zurique é a principal porta de entrada ou saída para voos do Brasil. Dessa forma, muita gente opta por começar ou terminar a viagem pela Suíça justamente por Genebra, e com 2 ou 3 dias de um roteiro bem planejado já é possível conhecer o essencial da cidade. Há quem considere Genebra um destino um pouco “chato” ou “entediante”, mas honestamente não foi essa a impressão que tivemos da cidade. Ao contrário, há muito o que fazer em Genebra e vale a pena reservar ao menos 2 dias para desbravar a cidade!

Para começar, Genebra conserva bem preservado seu centro medieval com prédios e ruas de pedra, hoje patrimônio histórico protegido. Boa parte desse patrimônio está localizado não muito distante das águas do Lago Léman (ou Lac de Genève), onde os passeios de barco oferecem vistas privilegiadas da cidade. Genebra também é a sede da ONU (Organizações das Nações Unidas) e de importantes museus como o Musée international de la Croix-Rouge (Museu da Cruz Vermelha). Conhecida também como o “berço da relojoaria”, Genebra tem até um museu inteiramente dedicado a história dos relógios, o Patek Philippe Museum.

Além de oferecer boas opções de passeios e atividades, Genebra merece destaque pela ótima rede hoteleira e pela variada cena gastronômica. Na cidade onde o francês é o idioma principal, a influência do país vizinho também se mostra fortemente presente na cultura local. Restaurantes estrelados e bistrôs tipicamente franceses coexistem com chalés e restaurantes de comida tipicamente suíça. O resultado? Uma cidade com variadas opções para agradar aos mais diversos paladares.

É verdade que assim como em toda a Suíça, Genebra tem um custo de vida elevado — o que de certa forma se reflete também nos gastos que temos como turistas. Especialmente por isso, fica ainda mais importante pesquisar cada detalhe para planejar o melhor roteiro com o menor custo possível. Sem mais delongas, saiba o que fazer em Genebra a partir desse roteiro de 2 ou 3 dias na cidade suíça. Tem dicas de atividades, passeios, restaurantes, hospedagem e muito mais!

Antes, algumas dicas para você economizar na viagem:

Como chegar em Genebra, na Suíça

Para quem pretende visitar Genebra partindo de outra cidade da Suíça, os melhores meios de transporte são o trem ou carro alugado.
De trem: a principal estação de trem da cidade é a Gare Cornavin, que fica bem próxima ao centro histórico de Genebra.
De carro alugado: Se a opção for alugar um carro, a nossa dica é consultar os preços na Rentcars. Um serviço que compara preços entre as melhores locadoras de automóveis e apresenta uma lista com todos os carros disponíveis e valores para a locação.

Já para quem chega de avião, o Aeroporto Internacional de Genebra é o Genève Aéroport. O aeroporto recebe um bom número de voos do Brasil e fica localizado a cerca 5 quilômetros do centro de Genebra. Nesse caso, o trajeto entre o aeroporto e o centro da cidade pode ser feito de trem gratuitamente em apenas 20 minutos. Para isso, basta pegar um ticket gratuito nas máquinas automáticas que ficam na área das esteiras de bagagem (antes do desembarque final). É sem dúvidas o jeito mais rápido, simples e seguro de se deslocar do aeroporto até o centro de Genebra.

Dia 1: Centro histórico de Genebra

O primeiro dia em Genebra deve ser inteiramente dedicado ao centro histórico. Para isso, nada melhor do que ficar hospedado nessa zona da cidade — nossa dica pessoal é o charmoso Hotel D Geneva, bem pertinho da estação de trem. Um hotel em que a gente amou ficar não apenas pela localização mas pelo conforto e pelo incrível café da manhã!

+ Leia mais: Onde se hospedar em Genebra – Hotel D Geneva

Basilique Notre-Dame (Basílica Nossa Senhora de Genebra)

Também próximo à estação de trem de Genebra está a primeira atração do roteiro, a Basilique Notre-Dame (Basílica Nossa Senhora de Genebra). Construída de 1851 a 1857, a Basílica de Notre-Dame foi a primeira igreja Católica Romana construída em Genebra desde a grande Reforma protestante, e segue até hoje sendo o principal templo católico da cidade.

Por ser uma cidade de maioria religiosa protestante, é fato que mesmo a principal igreja católica nem de longe ostenta o luxo ou a imponência das Catedrais protestantes. Mas ainda assim não deixe de conhecer o interior da Basílica (aberto a visitação gratuita) e conferir os belos vitrais, o órgão e a estrutura arquitetônica de colunas e telhado.

Basilique Notre-Dame (Basílica Nossa Senhora de Genebra)
Endereço: Place de Cornavin, 1201
Horário: diariamente das 8:30 às 22:00
Entrada gratuita

Geneve Tourist Office (Centro de Informações Turísticas de Genebra)

Na sequência, algo que sempre recomendamos no início de um roteiro por qualquer cidade da Europa é fazer uma visita rápida ao Centro de Informações Turísticas — no caso de Genebra, o Geneve Tourist Office. Nesses locais é possível obter informações turísticas atualizadas, mapas ou adquirir aqueles cartões de descontos em atrações e transporte público.

Em Genebra, a dica é adquirir o Geneva Pass, o city card de Genebra que dá direito ao uso de transporte público ilimitado e acesso a mais de 50 atrações com entrada gratuita. Museus, passeios de barco e até tours guiados estão incluídos na lista de benefícios do cartão, que tem validade de 24h, 48h ou 72h e preços à partir de 26 CHF. Como praticamente todas as atividades pagas desse roteiro estão incluídas no Geneva Pass, o cartão possibilita uma enorme economia para conhecer o essencial de Genebra.

Geneva Pass | O que fazer em Genebra
Geneva Pass | O que fazer em Genebra

Geneve Tourist Office (Centro de Informações Turísticas de Genebra)
Endereço: Rue du Mont-Blanc 18
Horário: De segunda a sábado, das 10:00 às 16:00
Site: www.geneve.com

Quai des Bergues: as pontes e a ilha de Genebra

Localizada nas margens do Rio Rhône (Ródano, em português), a região da Quai de Bergues é uma das mais nobres de Genebra e concentra alguns dos principais edifícios onde funcionam hotéis e restaurantes luxuosos, sedes de grandes empresas e lojas de grife.

Quai des Bergues | O que fazer em Genebra
Quai des Bergues | O que fazer em Genebra

Caminhar pelas margens do rio é sempre uma opção muito agradável, especialmente se o clima estiver propício pra atividades ao ar livre. Em alguns pontos é possível descer até o nível da água e se aproximar dos patos e cisnes que tornam a paisagem ainda mais charmosa.

No ponto onde acontece o encontro do rio Rhône com o Lago Léman estão as principais pontes para quem cruza em direção a parte mais antiga da cidade — todas podem ser atravessadas a pé e oferecem pontos de vista únicos da cidade. Uma das mais famosas é a Pont du Mont-Blanc, a ponte decorada com bandeiras e que delimita oficialmente o fim do lago e o início do rio.

A exemplo do rio Sena em Paris com a sua “Île de la Cité“, o rio Rhône em Genebra também possui uma ilha conectada às duas margens do rio por pontes, conhecida apenas como L’Île (ou “A Ilha, em português). Atravessar pela ilha também é uma ótima opção para cruzar até a outra margem. Quem estiver mais distraído pode nem perceber que se trata de uma ilha, afinal em toda sua extensão ela é completamente urbanizada com edifícios, ruas e praças como qualquer outra zona da cidade. Com exceção da rue des Moulins e da rue de la Tour de l’Île, a ilha é totalmente voltada para os pedestres.

Bem ao centro está localizada a Place de Bel-Air, cuja principal atração é uma torre medieval, a Tour de l’Île — último vestígio de um antigo castelo medieval do século XIII. À frente da torre está a estátua de Philibert Berthelier, um dos importantes heróis da Escalade — a guerra de resistência de Genebra perante as tentativas de invasão por parte do Ducado de Savoya durante o século XV. A Escalade é celebrada anualmente em Genebra a cada dia 12 de dezembro e até hoje traz profundas ligações com a cultura e as tradições locais. Para quem tiver especial interesse em saber mais sobre essa história e sobre o passado de Genebra, recomendamos agendar um dos tours guiados que estão entre os benefícios do Geneva Pass — daremos mais detalhes sobre eles ainda nesse roteiro, no segundo dia em Genebra.

Rue du Rhône: o paraíso das compras de luxo

Na sequência, é hora de caminhar até a Rue du Rhône, uma das principais ruas que cortam o centro histórico de Genebra. A rua é considerada um “paraíso das compras de luxo”, reunindo lojas das principais grifes mundiais e suíças. Relógios, moda, joias, chocolates e itens de confeitaria estão entre alguns dos produtos que garantem a ótima reputação de Genebra entre os apaixonados por grandes marcas.

Rue du Rhône: o paraíso das compras de luxo
Rue du Rhône: o paraíso das compras de luxo

Mesmo que esse não seja o foco da sua viagem — como não era o nosso — ainda assim a Rue du Rhône merece estar presente no seu itinerário pela cidade. Ao longo da rua você encontrará belos edifícios antigos, além de alguns segredinhos escondidos da cidade como a Passage Malbuisson — uma galeria de compras no centro de Genebra. Por lá a principal atração é o Relógio de Malbuisson, um símbolo da relojoaria suíça que celebra a passagem de cada hora com o soar de sinos e a movimentação de 42 figuras de bronze inspiradas na história da Escalade — sim, sempre ela!

Relógio de Malbuisson | O que fazer em Genebra
Relógio de Malbuisson | O que fazer em Genebra

Place du Rhône, Place de la Fusterie, Place du Molard e Place de Longemalle

Ao longo de sua extensão, a Rue du Rhône passa por algumas das importantes praças do centro de Genebra, tais como Place du Rhône, Place de la Fusterie, Place du Molard e Place de Longemalle.

Place du Rhône | O que fazer em Genebra
Place du Rhône | O que fazer em Genebra

Para quem é fã de mercados de rua, a Place de la Fusterie geralmente abriga de quarta a sábado um dos mercados do tradicional Marché de la Fusterie. Dependendo do dia ou da época do ano, são realizados desde mercados de frutas e legumes, passando por feiras de livro, até mesmo os incríveis Mercados de Natal ao longo dos meses de novembro e dezembro.

Já a Place du Molard preserva um dos vestígios da Idade Média: a Tour du Molard.
Construída originalmente para fins militares, a torre fazia parte das antigas muralhas que circundavam a cidade. A versão atual foi reconstruída em 1591 e traz alguns frisos e brasões pintados em homenagem aos principais nomes da Reforma Protestante.

Por último, a Place de Longemalle ocupa o espaço do antigo porto de Genebra e constitui um verdadeiro patrimônio histórico integrando a Genebra contemporânea com seu centro histórico. Da praça se tem caminho livre até a beira do lago Léman, próxima parada do roteiro.

Place de Longemalle | O que fazer em Genebra
Place de Longemalle | O que fazer em Genebra

Promenade du Lac e Jet D’Eau: passeio à beira do lago

A Rue du Rhône segue em paralelo às margens do Lago Léman, e a qualquer momento é possível deixar a famosa rua de compras de luxo e chegar até a Promenade du Lac. Não deixe de reservar um tempo para caminhar pela enseada do lago, nessa que é uma das regiões mais bonitas do centro de Genebra. Ao longo de todo o trecho é possível observar as calmas águas do lago Léman, os barcos atracados, as simpáticas gaivotas e o vai-e-vem de turistas e moradores.

Mas o centro das atenções acaba sendo o Jet D’Eau (ou “Jato D’Água), uma atração bem peculiar de Genebra. Trata-se literalmente de um potente jato de água que ao longo do dia pode alcançar até 140 metros de altura! E o mais impressionante é que ele pode ser visto de diversos pontos da cidade, tornando-se de fato uma marca registrada de Genebra — dava para ver até da janela do nosso quarto no Hotel D Geneva! 🙂

Confesso que antes de visitar Genebra, ainda nas pesquisas prévias, a gente olhava as imagens do Jet D’Eau e se perguntava “por que um jato de água é uma atração turística?”. Mas é incrível como uma solução tão simples e original como um grande jato de água ajuda a trazer charme e personalidade para Genebra. Em pouco tempo na cidade essa imensa coluna de água virou uma referência geográfica mesmo para nós que estávamos apenas “turistando” pela cidade. E a presença do Jet D’Eau ao fundo dá aquele toque especial às fotos e vídeos da viagem por Genebra.

Para curtir ainda mais o Lago Léman, existem ótimas opções de passeios de barco de curta ou longa duração — nesse roteiro, nós deixaremos essa sugestão para o segundo dia em Genebra.

Jardin Anglais e L’Horloge Fleurie

Se de um lado da pista de caminhada da Promenade du Lac estão as águas do Lago Léman, do outro lado está um dos parques mais visitados da cidade, o Jardin Anglais (Jardim Inglês). Além da localização central e estratégica, o parque tem como grande atração um grande relógio feito com cerca de 6,5 mil flores e plantas: o L’Horloge Fleurie (ou “Relógio das Flores”). Já deu para perceber que os suíços adoram mesmo relógios, né? Afinal, não é a toa que Genebra é conhecida como o “berço da relojoaria”! 🙂

Place de la Madeleine e Terrasse Agrippa D’Aubigne

A seguir, é hora de partir rumo a Cathédrale Saint-Pierre Genève, situada em uma parte mais elevada do centro de Genebra. No caminho, a charmosa Place de la Madeleine situada aos pés da Catedral é parada obrigatória. Além dos bares e restaurantes que costumam lotar a noite, a praça tem como principais atrativos o carrossel Madeleine — uma atração nostálgica da cidade que pertence à mesma família ao longo de muitas gerações — e a bela fonte em calcário embutida no muro próximo à escadaria — escultura centenária do artista Luc Jaggi.

Ainda a caminho da Catedral, em um nível acima da praça, o Terrasse Agrippa D’Aubigne oferece uma área de lazer com belíssima vista da própria Place de la Madeleine e dos telhados de edifícios históricos do centro de Genebra. Ao fundo, o Jet D’Eau confere ainda mais beleza para o panorama da cidade.

Cathédrale Saint-Pierre Genève: subida à torre e vista panorâmica da cidade

Entre a lista de atrações obrigatórias de Genebra certamente está a Cathédrale Saint-Pierre Genève (Catedral de São Pedro), uma das mais importantes igrejas protestantes do mundo. Situada no ponto mais elevado do centro histórico, a Catedral é o monumento mais visitado de Genebra, com quase meio milhão de visitantes por ano. E parte importante da atividade é justamente observar a imponente Catedral sob diferentes pontos de vista, cada qual mais impressionante.

Construída no século XII, a igreja originalmente Católica passou por diversas transformações ao longo do século XVI — mais especificamente durante o período da Grande Reforma, quando a Catedral se consolidou como um local de culto protestante. Na fachada percebe-se claramente uma mistura de estilos arquitetônicos. Dependendo do ângulo fotografado, pode até parecer que são edifícios diferentes, como nas fotos abaixo da entrada principal pela Cour de Saint-Pierre.

Se a fachada impressiona, o interior da Catedral não deixa nada a dever em matéria de encantamento. A visitação é gratuita (com exceção das torres e do subterrâneo, atrações cobradas à parte) e impressiona imediatamente pela imponente arquitetura e pela beleza dos elementos em madeira. Alguns destaques ficam por conta do Cadeiral (assentos dedicados ao clero), do órgão e da preservada cadeira que era utilizada pelo teólogo João Calvino, um dos grandes nomes da Reforma Protestante. Sim, apesar de francês, Calvino viveu boa parte de sua vida em Genebra — que por conta das atividades do teólogo nessa mesma Catedral acabou por se tornar o principal centro protestante de toda a Europa e berço do chamado “Calvinismo”.

Além da inegável relevância histórica, do ponto de vista turístico a Catedral de Genebra tem como principais atrações as suas torres, ou melhor, a subida dos 157 degraus até o topo da torre norte, de onde se tem uma vista panorâmica incrível da cidade e do lago. Essa é uma atividade com cobrança de entrada (gratuita com o Geneva Pass). Muitas vezes esse tipo de atividade pode ser um pouco frustrante ao perceber que a tão esperada vista não é tão impressionante assim, mas esse definitivamente não é o caso de Genebra e da Cathédrale Saint-Pierre Genève. A vista é realmente de tirar o fôlego — e não estou me referindo ao exercício de subir as escadarias!

Vista da Cathédrale Saint-Pierre Genève | O que fazer em Genebra
Vista da Cathédrale Saint-Pierre Genève | O que fazer em Genebra

Do alto da Catedral se tem uma das vistas mais bonitas do Jet D’Eau e do lago Léman, especialmente para quem der a sorte de pegar um dia de céu limpo.

Algo que sempre nos impressiona é observar a própria arquitetura desses edifícios seculare e ficar imaginando toda a complexidade na construção de uma estrutura com tamanha magnitude. Em poucos minutos saímos do ponto onde observávamos as torres da Catedral lá de baixo e de repente estávamos no ponto mais extremo da torre. É sempre uma experiência marcante. 🙂

Reserve no roteiro cerca de 1 hora para toda a atividade envolvendo a Cathédrale Saint-Pierre Genève, desde a visita ao interior até a subida à torre.

Cathédrale Saint-Pierre Genève
Endereço:
Cour de Saint-Pierre, 1204
Horário: De segunda a sábado: das 10:00 às 17:00; Domingo: das 12:00 às 17:00
Entrada: gratuita no interior da Catedral. A subida na torre custa 7 CHF (grátis para portadores do Geneva Pass)
Site: cathedrale-geneve.ch

Hôtel de Ville, Maison Tavel e L’Ancien Arsenal

Saindo da Cathédrale Saint-Pierre Genève, siga até a Rue de l’Hôtel-de-Ville, onde ficam localizados em um mesmo quarteirão a Prefeitura de Genebra (Hôtel de Ville), a Maison Tavel (residência mais antiga da cidade) e o antigo Arsenal (L’Ancien Arsenal).

Dica: tente fazer o caminho até lá pela Passage de Monetier, uma espécie de “passagem secreta” apenas para pedestres que normalmente só os moradores locais conhecem (ou quem faz o tour guiado oferecido pelo centro de informações turísticas). Inclua também no seu itinerário a simpática Rue Jean Calvin (ou Rua João Calvino), uma ruazinha deliciosa para caminhar e curtir a atmosfera da “cidade velha” de Genebra.

Rue Jean Calvin (ou Rua João Calvino) | O que fazer em Genebra
Rue Jean Calvin (ou Rua João Calvino) | O que fazer em Genebra

– Promenade de la Treille

– PROMENADE DES BASTIONS AND MUR DES REFORMATEURS

O Parque dos Bastiões é outra boa pedida. Além de jogar num tabuleiro de xadrez gigante, você pode ver as enormes estátuas dos principais protagonistas da Reforma: João Calvino, Guilherme Farel, Teodoro de Beza e John Knox.

– PLACE DE NEUVE e GRAND THEATRE DE GENEVE

– PLACE DU BOURG DE FOUR

– PLAINE DE PLAINPALAIS

Vá também ao famoso mercado de pulgas de Plainpalais. Mesmo que você não se interesse por antiguidades, vale a pena circular por lá só para observar o movimento e a infinidade de produtos à venda.

– PATEK PHILIPPE MUSEUM (GENEVA PASS)

Quem adora relógios deve dar um pulo no Museu Patek Philippe para conferir de perto as criações mais famosas dos relojoeiros mestres da marca. O local conta até com uma biblioteca dedicada exclusivamente ao mundo da relojoaria.

Dia 2: Museus, Nações Unidas e passeio pelo Lago Léman

From 8:30 until 12:00

– INTERNATIONAL MUSEUM OF THE RED CROSS AND RED CRESCENT (GENEVA PASS)

– PALAIS DES NATIONS

– BROKEN CHAIR

– Parc de La Perle du Lac

– BAin des PAquis

Na volta, pare para relaxar na “praia” de Genebra: Bains des Pâquis. Pegue uma das mesas das barracas à beira do lago, peça uma boa bebida e fique lá um bom tempo, admirando os Alpes franceses.

– Beira do lago (hotéis e edifícios luxuosos)

– Monument Brunswick

– SWISSBOAT (if it departs this day) – opção: caminhar pela beira do lago (Promenade du Lac)  I suggest to do the cruise of the CGN . https://www.cgn.ch/en/geneva-tour.html

Para terminar o dia em grande, venha relaxar num dos nossos numerosos cruzeiros. No «Croisière de la Sirène» (Cruzeiro da Sereia), navegará ao sabor do vento visitando os mais belos lugares do Lago de Genebra como o famoso Jet d’eau (jato de água), o edifício das Nações Unidas, o castelo de Belle-Rive e a majestosa Pequena Sereia.
Por sua vez, o Cruzeiro «Geneva Tour» (Volta a Genebra) permite ver o maciço do Mont Blanc, as famosas vivendas, a ONU e, naturalmente, o famoso Jet d’eau.

Passeio de 1 hora no Lago Léman

18 CHF

TOUR GUIADO (Escalade)

– Rue de la Confederation, Rue de la Monaie, Rue de la Cité, Rue de la Corraterie

Antes de visitar Genebra, confesso que não conhecíamos nada a respeito da Escalade.

– COMPRAS (GLOBUS, MANOR e RUA DU RHONE (lojas caras)), Victorinox, Chocolaterie de Geneve

Dia 3:

Funicular

Fisica CERN

Carouge

Bate-Volta

Mercados de NAtal


Restaurant Auberge de Savièse ($$$) | Onde comer em Genebra

Como primeiro restaurante de Genebra (e da viagem pela Suíça como um todo) escolhemos um de comida típica suíça bem próximo ao nosso Hotel D Geneva: o Restaurant Auberge de Savièse. E não poderíamos ter começado melhor a nossa experiência gastronômica pela cidade. Com ambiente aconchegante e rústico, bem ao estilo que se espera de um autêntico chalé suíço, o Auberge de Savièse oferece uma cozinha tradicional e familiar. A especialidade local são os queijos, mais especificamente dois dos pratos mais típicos da culinária Suíça: o Fondue de Queijo e a Raclette.

Restaurante Auberge de Savièse em Genebra
Restaurante Auberge de Savièse em Genebra

Para garantir o padrão de qualidade, o Auberge de Savièse é daqueles lugares que dão prioridade à escolha das melhores matérias-primas, dando preferência a produtores locais ou dos arredores de Genebra. É o que acontece com os queijos dos fondues e raclettes, que vêm de fornecedores de regiões próximas como Valais ou Fribourg. Quem nos contou tudo isso foi o próprio dono, o simpático Santiago, que costuma estar por lá todas as noites recebendo os clientes, dando sugestões, servindo às mesas, enfim, fazendo um pouco de tudo.

O que pedir: Apesar do cardápio ser variado e contar com outras especialidades suíças, a tendência é que a escolha do prato principal fique mesmo entre o fondue ou a raclette. Nós fomos de fondue – e em se tratando de suíça, o tradicional mesmo é o fondue de queijo – carne ou chocolate são opções quase sempre para turistas e que alguns locais sequer oferecem. Entre os fondues de queijo, são diversas opções que vão desde queijo de cabra a versões temperadas com pimenta, tomate ou até cerveja artesanal. A nossa dica é o Fondue moitié-moitiégruyère AOC au lait cru et vacherin fribourgeois AOC au lait thermisé, isto é, Fondue “meio a meio” que combina 2 queijos suíços: o Gruyère AOC com leite cru e o Vacherin Fribourg AOC com leite termizado. Por padrão, todos os fondues vem acompanhados de cesta de pães, mas é possível pedir uma porção de batatas cozidas à parte.

Fondue de queijo “moitié-moitié”: gruyère AOC au lait cru et vacherin fribourgeois AOC au lait thermisé

Como entrada antes do fondue, não deixe de pedir a tábua de queijos e frios locais, a Assiette de viande séchée du Valais. Além da ótima qualidade, a porção é boa para dividir entre 2 pessoas. E se você não abre mão da sobremesa, a dica é um clássico da casa: o merengue com creme duplo de queijo gruyère. Pode parece algo simples demais (pelo menos parecia para nós) mas é surpreendentemente saboroso a cada colherada. Para acompanhar tudo isso, a carta do Auberge de Savièse possui boas opções de vinhos brancos da região servidos em taça.

Tábua de queijos e frios, vinho branco da casa e sobremesa típica de merengues com creme de Gruyère

Apesar de receber muitos turistas, vimos também muitas mesas com clientes locais, o que garante casa cheia todas as noites. É recomendável fazer reserva, como de costume em quase todos os restaurantes de Genebra.

Restaurant Auberge de Savièse
Endereço: Rue des Pâquis 20, 1201 Genève, Suíça

Restaurant Cave Valaisanne et Chalet Suisse ($$) | Onde comer em Genebra

Localizada no centro histórico de Genebra, a lendária Cave Valaisanne et Chalet Suisse é mais uma excelente opção para quem busca comida típica e tradicional da Suíça em Genebra. O restaurante funciona em um casarão histórico da cidade, e desde 1960 vem sendo administrado pela mesma família. O espaço interno é amplo e tem como um dos diferenciais o fato de oferecer 4 ambientes típicos, mas de estilos distintos: chalé suíço, cervejaria, vila suíça e adega. Um daqueles lugares autênticos que não podem ficar de fora de um roteiro gastronômico por Genebra.

O menu é bastante completo e oferece uma ampla variedade de opções entre carnes, peixes e até joelho de porco com chucrute. Mas o carro chefe são os pratos a base de queijo, tão tradicionais da culinária suíça. Sim, estamos falando deles: fondue e raclette.

O que pedir: recomendamos partir diretamente para o prato principal – no nosso caso, fomos de Raclette. Para quem não está tão familiarizado, o prato consiste em uma imensa peça de queijo chamado ‘Raclette’ (daí o nome) que fica exposta a uma placa de metal em altíssima temperatura. A parte do queijo em contato com o calor derrete e é ‘raspada’ diretamente no prato, sendo imediatamente servido ainda quente à mesa. Junto do queijo derretido, acompanhamentos como batatas cozidas, pães e/ou picles. Na Cave Valaisanne et Chalet Suisse funciona da seguinte forma: você pode pedir a Raclette em 3 serviços, 5 serviços ou até mesmo “ilimitado”, como em um rodízio. Entenda-se ‘serviço’ como cada ‘raspada’ do delicioso queijo suíço derretido no prato. Nós pedimos uma de 3 serviços (Chai) e outra de 5 serviços (Guto) e foi mais do que suficiente. Não teríamos maturidade para a versão infinita de Raclette. 🙂

De sobremesa, não deixe de pedir o típico merengue com creme duplo de Gruyère, sempre imperdível. Viramos fãs dessa sobremesa! Os vinhos abertos servidos em taça ou a cerveja são boas pedidas para acompanhar a experiência. Destaque para os vinhos brancos suíços, que dificilmente são encontrados fora do país apesar da boa qualidade.

A Cave Valaisanne et Chalet Suisse é daqueles lugares com história para contar, e somos suspeitos para falar pois sempre adoramos esse tipo de ambiente. Apesar do salão imenso e da grande quantidade de mesas – quase sempre lotadas – o serviço é bem ágil e a atmosfera é agradável, bem animada. Vale destacar ainda os preços abaixo da média da cidade. Custo-benefício excelente!

Restaurant Cave Valaisanne et Chalet Suisse
Endereço:
Boulevard Georges-Favon 23, 1204 Genève, Suíça

Le Bistrot de Charlotte ($$$) | Onde comer em Genebra

Se a comida tradicional suíça a base de queijos e batatas não faz tanto o seu estilo ou se você simplesmente quiser variar e ainda assim se manter em algo típico de Genebra, que tal optar por um bistrô francês? Como já dissemos, Genebra fica bem pertinho da França, o idioma oficial é o francês e a gastronomia francesa não poderia ficar de fora de um roteiro gastronômico pela cidade. Dentro desse estilo, a dica é o Le Bistrot de Charlotte, localizado no coração do centro histórico de Genebra.

Desde o dono — um francês que mudou-se para Genebra — até o ambiente acolhedor, a decoração e o estilo do local, tudo remete a um autêntico bistrot que poderia muito bem ser parisiense.

No cardápio, os pratos variam de acordo com a estação do ano, onde o Chef e sua equipe estão sempre em busca dos produtos mais frescos e cuidadosamente selecionados. O restaurante trabalha com fórmulas de menus completos bem ao estilo francês, com preços bem acessíveis para padrões suíços (especialmente no horário de almoço). No “menu express”, por exemplo, é possível escolher entre as combinações de entrada + prato ou prato + sobremesa a um preço único reduzido. Mas se preferir, dá para escolher também um dos pratos do menu à la carte.

O que pedir: No horário do almoço, a melhor pedida é mesmo uma das ‘fórmulas’ onde você pode escolher entrada, prato e/ou sobremesa pelo preço fixo. Começamos com a sopa do dia para a Chai (nada mais francês do que uma sopa de cebola) e um Foie Gras artesanal para mim.

Para o prato principal, escolhemos o peixe do dia (Tourbotin) acompanhado de risoto e purê trufado (Chai) e um entrecôte de bouef racé de la boucherie (carne de bouef simmental que é típico da Suiça). Ambos deliciosos! Vale destacar que os pratos são servidos em porções generosas, e praticamente daria pra dividirmos somente um dos pratos entre nós dois.

De sobremesa, uma das melhores pedidas em restaurantes franceses sempre é o Cafe Gourmand — basicamente um café acompanhado de 4 mini-sobremesas variadas. Que no dia de nossa visita eram: sorvete artesanal, mousse de chocolate, crème brûlée e salada de frutas. A carta de vinhos do Le Bistrot de Charlotte também é excelente, com ótimas opções de vinho aberto para pedir em taça harmonizando com toda a refeição. Tem inclusive uma ampla gama de vinhos suíços, como esse Gamay Mondeuse safra 2016 produzido nos arredores de Genebra que experimentamos.

Le Bistrot de Charlotte
Endereço: place des Bergues 3, 1201 Genève, Suíça


Essas são as nossas 3 dicas de onde comer em Genebra, na Suíça. Depois de ir, não se esqueça de voltar aqui para comentar como foi a sua experiência! 🙂

7) Genebra

Quando o destino é a Suíça, é bem provável que Genebra já esteja naturalmente presente em seu roteiro. Uma das cidades mais conhecidas e visitadas da Suíça, Genebra é berço da relojoaria e conserva bem preservado seu centro medieval com prédios e ruas de pedra, hoje patrimônio histórico protegido. E durante o período que antecede o Natal, Genebra é mais uma representante do lado francês da Suíça em nossa lista de mercados de Natal que você precisa visitar.

Natal em Genebra, na Suíça
Natal em Genebra, na Suíça

Até pouco tempo atrás, Genebra contava apenas com mercados de Natal relativamente pequenos espalhados por diferentes áreas da cidade. E esses mercados ainda existem e podem ser bem divertidos, como o Mercado de Carouge — uma espécie de bairro boêmio um pouco afastado do centro histórico — ou o Mercado Quai du Général Guisan. Este último, considerado por muitos o “mercado de Natal oficial de Genebra”, acontece a beira do lago conta com cerca de 30 expositores com o melhor das comidas e bebidas de Natal.

Mas a exemplo do que vem acontecendo por toda a Suíça, os mercados de Natal em Genebra vêm ganhando em estrutura e popularidade. Desde 2018, o Noël aux Bastions acontece nos belos arredores do Parc des Bastions, bem no centro da cidade antiga de Genebra. Com mais de 8.000 metros quadrados, esse é atualmente o mercado que pode concorrer com o das vizinhas Montreux, Lausanne ou Berna.

Noël aux Bastions
Noël aux Bastions

O parque se transforma em uma autêntica vila Natalina, com dezenas de cabanas de madeira vendendo comidas e bebidas locais e oferecendo boas opções de compras de produtos típicos do Natal suíço. É sem dúvidas um dos melhores pontos para quem estiver ‘turistando’ pela cidade poder vivenciar a atmosfera natalina, experimentando especialidades locais como raclette e fondue. Sempre na companhia de uma caneca de vinho quente enquanto passeia pelas barracas tradicionalmente decoradas, é claro. Ah, e para os mais ousados, ah até uma pista de gelo para exercitar o talento na patinação. 🙂

O que é imperdível: o mais novo mercado de Natal de Genebra no icônico Parc des Bastions oferece uma estrutura de entretenimento e atmosfera natalina digna dos melhores mercados de Natal do país.
Quando acontece: Em 2020, está previsto para acontecer de 28 de novembro a 31 de dezembro. Os horários de funcionamento são diferentes para cada um dos mercados.
Para maiores informações, consulte o site oficial.
Dica de onde ficar em Genebra: Hotel D Geneva


Onde ficar em Genebra

Não deixe para a última hora! Se ainda não se decidiu sobre onde ficar em Genebra, nossa dica é o Hotel D Geneva, um hotel moderno e bem pertinho da estação de trem. Ou consulte no mapa abaixo todas as opções de hotéis em Genebra.

Booking.com

Como chegar em Genebra

O trem é o melhor meio de transporte para viajar internamente pela Suíça. É recomendável adquirir os passes de trem com antecedência para conseguir os melhores preços!

+ Consulte os preços de passagens de trem até Genebra ou passes de trem pela Suíça com a Eurail

A nossa dica para quem pretende alugar carro em Genebra é a Rentcars. Um serviço que compara os preços nas melhores locadoras de automóveis e apresenta uma lista com todos os carros disponíveis e valores para a locação. Aproveita para consultar agora as opções para o seu próximo destino! 🙂  

Aproveite e já faça as reservas dos passeios e atrações pelo menor preço. Não perca tempo em filas!

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja por toda a Europa. E mesmo que não fosse obrigatório, não dá nem pra pensar em viajar sem seguro, né? Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem do mercado e apresenta as opções com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário