O que fazer em Beaune, na França? Roteiro de 1 dia na capital dos vinhos da Borgonha
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu.

O que fazer em Beaune, na França? Roteiro de 1 dia na capital dos vinhos da Borgonha

Para quem pretende conhecer outras cidades da França além de Paris, uma ótima opção é incluir no roteiro uma passadinha pela Borgonha. Uma região famosa principalmente pelos vinhos e vinhedos, pela boa comida e pelas cidades e vilarejos medievais bem conservados. Em nosso roteiro de 2 dias pela região da Borgonha, escolhemos a pequena e encantadora cidade de Beaune como uma das “bases” para explorar as belezas da região. “Pequena” para padrões brasileiros, é bom deixar claro. Beaune, com seus 22 mil habitantes, é uma das maiores cidades da região e conhecida como a “capital dos vinhos da Borgonha”.

Vale reforçar que essa “fama” não é por acaso. Além da grande produção local, Beaune fica estrategicamente posicionada no centro de um grande “cinturão” de vinhedos e vinícolas conhecido como ‘Cote D’or’ (a costa de ouro). Há poucos minutos de viagem ao sul de Beaune fica a região denominada ‘Côte de Beaune’, onde em geral são produzidos vinhos de estilos mais suaves e frescos. Alguns dos vilarejos mais importantes (e que dão nome aos vinhos) são Pommard, Volnay, e Meursault.

Já mais ao norte da cidade, no caminho para Dijon, está a região da ‘Côte de Nuits’, onde em geral são produzidos os vinhos mais intensos e complexos, especialmente os tintos da uva pinot noir. Aqui ficam os vilarejos de Nuits-St.-George, Vosne-Romanee, Vougeot, Musigny, entre outros. Dá pra ir parando de cidadezinha em cidadezinha pra admirar os vinhedos, a arquitetura das casas e, de preferência, degustar alguns vinhos locais. 🙂

Por conta disso, Beaune de fato é uma excelente opção de “cidade base” para conhecer um pouco dessa região. Mas além disso, a própria cidade de Beaune é muito agradável, tem diversas atrações e pode ser facilmente conhecida em 1 dia (ou em algumas horas). A parte murada (e mais interessante) da cidade pode ser totalmente explorada a pé. E aí, ficou curioso para saber o que fazer em Beaune, na Borgonha? Então dá uma olhada no nosso roteiro de 1 dia por Beaune, a “Capital dos Vinhos da Borgonha”.

Roteiro de 1 dia em Beaune | O que fazer em Beaune

Chegamos a Beaune por volta de 11h da manhã, vindo de trem desde Lyon. Como a estação ficava bem pertinho da entrada da cidade murada (e do nosso hotel, o Le Cep) foi só o tempo de deixarmos as malas no nosso quarto e partir para explorar a cidade.

Começamos caminhando pelos arredores do hotel em direção a Place de la Halle, a principal praça da cidade. É nessa praça que às quartas e sábados pela manhã acontece uma feirinha de produtos locais, mas como chegamos numa terça, não tinha nada de feirinha rolando. 🙂 A praça é cercada por lojinhas de comércio local, caves e alguns cafés e restaurantes, além é claro da principal atração da cidade, os Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu.

O Hôtel Dieu é um hospital fundado em 1443 e que se manteve muito bem conservado até os dias de hoje. Atualmente, o local funciona como um museu aberto para visitações – na minha modesta opinião, parada obrigatória até para quem pretende dar só uma passadinha rápida por Beaune. Ao preço de 7,50€ por pessoa, você faz toda a visita, já com direito ao audioguia em vários idiomas, inclusive em Português de Portugal, o que deixa bem divertida a explicação durante a visitação. 🙂

Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: entrada e retirada do áudioguia
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: entrada e retirada do áudioguia

Falando nisso, a visita começa pelo pátio interno, de onde pode-se contemplar a deslumbrante arquitetura medieval em estilo gótico. O destaque fica por conta do uso de telhas policromadas, que dão um aspecto brilhante aos telhados, em um visual colorido único, super típico dessa região da Borgonha.

Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: uso de telhas policromadas, super típico dessa região da Borgonha
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: uso de telhas policromadas, super típico dessa região da Borgonha

Após o pátio interno, a visita segue pelos salões e alas do antigo hospital, com reproduções fiéis ao estilo da época e que ajudam a contar um pouco da história do lugar. Há uma reprodução da ala onde ficavam as camas dos doentes, além da cozinha e da farmácia onde eram armazenados os medicamentos. Essa parte da visita é bem histórica e o audioguia ajuda a complementar as informações visuais.

Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: reproduções fiéis ao estilo da época
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: reproduções fiéis ao estilo da época

A visita levou no total entre 45 minutos e 1 hora, mesmo com a gente parando pra tirar fotos de quase tudo lá dentro. 🙂

Na sequência, tínhamos um tempinho livre até a degustação de vinhos na Maison Bouchard Aîné et Fils que estava agendada para as 14h30 (dica: a visita acontece todos os dias em diferentes horários, mas é recomendável agendar com antecedência). Como a Maison Bouchard ficava mais ao norte, aproveitamos para ir caminhando pela cidade sem pressa, bem naquele clima de “se perder pelas ruas” de Beaune. Os 800 metros de caminhada previstos pelo Google Maps certamente viraram um pouquinho mais, porque aproveitamos para curtir a cidade e admirar a arquitetura das casas e construções muito bem preservadas. No caminho, destaque para a Place Carnot, a segunda praça mais importante da cidade, conhecida por ostentar um carrossel bem ao centro e pela lojinha Mulot & Petitjean, uma das mais famosas na produção de ‘Pain d’Épices’, uma espécie de bolo/pão de especiarias que é bem típica da região.

Beaune: Place Carnot e lojinha Mulot & Petitjean
Beaune: Place Carnot e lojinha Mulot & Petitjean

Outros pontos do trajeto que merecem destaque são a Rue Notre Dame e a Place Marey onde não resistimos e paramos para tirar várias fotos.

Beaune: Rue Notre Dame e a Place Marey
Beaune: Rue Notre Dame e a Place Marey

Passear por Beaune é tão agradável que nessa de ficar fotografando tudo a gente quase perdeu o horário da degustação de vinhos, e no final tivemos que apressar o passo pra chegar a tempo, mas deu tudo certo! 🙂

Maison Bouchard Aîné et Fils é uma das vinícolas mais antigas e tradicionais de Beaune. Ao chegar, fomos recebidos na loja por um simpático rapaz que logo chamou a gerente responsável pelo tour guiado (que tem a opção de ser feito em francês, inglês e até português). Entre as opções de visita, fizemos o tour chamado “Le Parcours des 5 sens” (o percurso dos 5 sentidos). Como o nome já indica, é um percurso que estimula nossos 5 sentidos (visão, audição, tato, olfato e paladar) enquanto conhecemos um pouco da história não só da própria ‘maison’ como também dos vinhos da Borgonha e da própria cidade de Beaune. É literalmente uma “viagem sensorial” e interativa, acompanhada por uma degustação de alguns dos melhores vinhos (appellations villages, 1er cru et grand cru). Os tours custam a partir de 15€ por pessoa.

Maison Bouchard Aîné et Fils: uma das vinícolas mais antigas e tradicionais de Beaune
Maison Bouchard Aîné et Fils: uma das vinícolas mais antigas e tradicionais de Beaune
Maison Bouchard Aîné et Fils: tour guiado que tem a opção de ser feito em francês, inglês e até português
Maison Bouchard Aîné et Fils: tour guiado que tem a opção de ser feito em francês, inglês e até português

A visita toda dura cerca de 1 hora, e nela conhecemos a cave subterrânea, onde os vinhos ficam armazenados, e o próprio casarão da família. A dinâmica da visita pode ser resumida a 5 sequências de: 1) pequena explicação histórica; 2) experiência sensorial; 3) degustação de um vinho. Uma das experiências sensoriais mais interessantes é a do toque. Somos estimulados a manipular materiais com diferentes texturas e associar cada uma delas a um tipo de vinho. Mais aveludado, mais áspero, etc. Confesso que na parte do aroma e do paladar eu até vou bem, mas em relação a texturas meu conhecimento sobre vinhos ainda precisa evoluir um pouco mais. 🙂

Maison Bouchard Aîné et Fils: fizemos o tour chamado “Le Parcours des 5 sens” (o percurso dos 5 sentidos)
Maison Bouchard Aîné et Fils: fizemos o tour chamado “Le Parcours des 5 sens” (o percurso dos 5 sentidos)

#dicaviajaredemais: Para quem quiser saber mais sobre os vinhos da borgonha, a dica é o livro “Vinhos da Borgonha: História, Tradição e Cultura” (escrito pelo renomado sommelier franco-brasileiro Jean Claude Cara). Infelizmente só ganhamos o livro depois da viagem, porque certamente teria nos ajudado muito no planejamento e nas experiências etílicas! Aliás, fica a dica, o livro é um um presentão para quem gosta de vinhos! Aproveita que nesse link dá pra comprar com desconto na Amazon. 🙂

Na sequência, voltamos caminhando pela Rue de Lorraine (confesso que eu já estava um pouco mais animadinho em função das muitas taças de vinho degustadas, hehehe). Nessa rua fica localizado o Arco/Portão de Entrada da cidade. Na sequência, demos de cara com o ‘Hôtel de Ville’, que é esse imponente edifício da prefeitura da cidade.

Arco/Portão de Entrada de Beaune
Arco/Portão de Entrada de Beaune

Continuamos caminhando mais um pouco em direção a locadora de veículos Hertz para pegar nosso carro alugado e desbravar a rota dos vinhos da Borgonha. Fizemos a reserva ainda do Brasil, com pelo menos uns 2 meses de antecedência, diretamente pelo site da empresa. A ideia era aproveitar o dia longo (viajamos no mês de agosto, em pleno verão, quando o sol vai até 21h30 da noite) para visitar os arredores da cidade e os vilarejos mais ao sul, pela ‘Côte de Beaune’ até a cidade de Châlon Sur Saône (cerca de 30/40 minutos de distância de Beaune indo de carro).

Cerca de 4 horas depois, já quase anoitecendo, estávamos de volta a Beaune, ainda encantados pelos vinhedos e vilarejos da região e atrasados para o jantar, que estava reservado para as 21h no estrelado restaurante Loiseau des Vignes. Por sorte, como o restaurante fica exatamente AO LADO do nosso hotel, deu pra chegar (quase) na hora e ter uma experiência incrível de imersão na culinária da região – regada a muito vinho da Borgonha, é claro! 🙂

Após o jantar, em especial nessa época de verão, a dica é explorar a novamente a cidade a noite. Além do clima super agradável, a iluminação das casas e ruas dá um ar ainda mais encantador às cidades. No verão costumam acontecer ainda os espetáculos de projeção de luz e som na maioria das cidades francesas, e nessa noite havia projeções acontecendo em 2 pontos diferentes de Beaune! \o/

A primeira parada foi no Collégiale Basilique Notre Dame, onde sentamos só nós dois em um banquinho da praça para admirar as projeções na igreja. Gratuito e super romântico! 🙂

Collégiale Basilique Notre Dame: espetáculos de projeção de luz
Collégiale Basilique Notre Dame: espetáculos de projeção de luz

Logo depois, “descobrimos” que as paredes dos Hospices de Beaune também estavam servindo de tela para as projeções de luz, e lá fomos nós!

Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: também serve de tela para as projeções de luz
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu: também serve de tela para as projeções de luz

Dia seguinte: manhã em Beaune

Na manhã do dia seguinte, foi só o tempo de tomar o café da manhã no hotel, fazer o check out, dar uma passadinha pela feirinha de produtos locais (lembra que falei dela no início do post? Era bem pequena, e confesso que esperava mais. Dizem que a versão que acontece nos sábados é bem maior e mais interessante. Teremos que voltar em uma próxima oportunidade).

Place de la Halle de Beaune: feirinha de produtos locais
Place de la Halle de Beaune: feirinha de produtos locais

Assim se encerrou nosso dia por Beaune. Daí pegamos o carro e seguimos pela rota dos vinhos da Borgonha passando pela Côte des Nuits, Chateau Clos des Vougeaut em direção a cidade de Dijon. Quer saber como foi o restante da viagem?

+ Leia mais sobre o roteiro completo para a rota de vinhos da Borgonha


* A viagem contou com o apoio do Escritório de Turismo de Beaune e da Eurail.


Onde ficar em Beaune?

Para quem planeja passar 1 noite na cidade de Beaune, a dica é se hospedar no Hôtel Le Cep & SPA Marie de Bourgogne considerado o melhor da cidade. O Le Cep é um hotel boutique 5 estrelas super bem localizado, bem no coração da cidade. O atendimento que tivemos por lá foi um dos melhores de toda a viagem pela França. Para que procura algo mais intimista do que um hotel, o charmoso La Terre D’Or é tipo um bed & breakfast de luxo, bem na entrada da cidade de Beaune. Entre outras coisas, o lugar conta com uma jacuzzi dentro de uma gruta/cave de vinho da idade média.

Não deixe para reservar na última hora e pagar uma fortuna de hospedagem! Que tal pesquisar agora mesmo e fazer sua reserva antecipadamente com as melhores ofertas de hotéis ou apartamentos em Beaune?

Booking.com Booking.com

Onde comer em Beaune?

Não só a cidade de Beaune como toda a região da Borgonha é muito bem servida de bons restaurantes. Mas se tiver que escolher um só, recomendo especialmente o charmoso e estrelado Loiseau des Vignes. O restaurante oferece menus completos inspirados na culinária da região, com pratos produzidos a partir de ingredientes da estação. O destaque fica por conta da premiada carta de vinhos, selecionada por ninguém mais, ninguém menos do que Jean Claude Cara, autor do livro “Vinhos da Borgonha: História, Tradição e Cultura” que eu recomendei ali no início do post. Experiência imperdível!

O que é imperdível em Beaune?

Além dos vinhos, sem dúvidas a principal atração para se conhecer na cidade de Beaune é o “Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel-Dieu“. O local, um antigo hospital construído em 1443, é uma verdadeira joia da arquitetura gótica que se manteve inteiramente preservada até os dias atuais. A visita custa cerca de 7,50€ por pessoa.

Mais atividades em Beaune

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

Não esqueça de garantir seu seguro viagem na França

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela França. A empresa de seguros que a gente sempre usa e recomenda é a Seguros Promo. É um serviço que compara os preços das principais companhias de seguro viagem do mercado e apresenta as melhores opções para a sua viagem!

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 comentários
Viajar é Demais