O que fazer na França: cidades francesas

O que fazer na França: 7 cidades francesas imperdíveis para incluir no roteiro de viagem

Quando o tema é “o que fazer na França“, na hora de escolher quais cidades incluir no roteiro, Paris costuma ser o centro das atenções. Tanto que muita gente acaba dedicando a viagem toda a Paris deixando de conhecer outras cidades igualmente incríveis. Mas a França é um país extremamente diverso com atrativos e belezas que vão muito além da “cidade luz”. Inclusive, alguns franceses costumam dizer que existem duas Franças distintas: a dos parisienses e o resto do país. Que fique claro que aqui não há nenhum demérito em relação ao uso do termo “resto”. Até porque (alerta de spoiler!) preciso confessar que Paris sequer é a nossa cidade favorita da França. Chocado com essa informação? 🙂

Se você está em busca de o que fazer na França e quer dicas de cidades francesas para incluir no roteiro, vamos tentar te ajudar com nossas sugestões pessoais. A seguir, nossa lista de 7 cidades francesas imperdíveis para incluir no roteiro de viagem pela França.  

1) Paris

Paris: a cidade-luz é presença obrigatória nos roteiros pela França

A cidade francesa que encabeça a nossa lista é a mais óbvia de todas. Paris, a ‘cidade-luz’, é apontada como “destino dos sonhos” por 9 em cada 10 brasileiros apaixonados por viajar. E é claro que, quando se trata de França, Paris não poderia estar de fora dessa lista com sugestões de cidades francesas imperdíveis.

É difícil imaginar uma viagem pela França onde Paris não esteja nos planos. Especialmente se for a primeira vez no país, Paris de fato é obrigatória. Seja por atrações como a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo; por suas igrejas icônicas como a Catedral de Notre Dame ou a Sainte Chapelle; por seus museus fascinantes como o Louvre, D’Orsay e Orangerie; ou simplesmente para flanar por suas ruas e praças, passear pelas margens do Sena ou dar um giro rápido pelos principais pontos turísticos a bordo dos clássicos ônibus turísticos. Paris é de fato uma cidade de atmosfera única no mundo.

Mas Paris é daquelas cidades que definitivamente não se limitam a uma única visita – pelo menos no que depender apenas de ter vontade! Nós mesmos já tivemos oportunidade de visitar a França em 5 ocasiões, e em 4 delas, Paris esteve no roteiro. Paris é uma cidade tão diversa e intensa que cada pessoa é capaz de vivenciar experiências inteiramente distintas a cada viagem. São muitas cidades em uma só: a Paris turística, a Paris gastronômica, a Paris do glamour, a Paris romântica, a Paris cultural, a Paris histórica, a Paris dos parisienses, entre tantas outras faces da mesma cidade.

Quantos dias ficar em Paris: Para a primeira vez em Paris, não fique menos de 4 dias inteiros na cidade (sem contar os dias de chegada ou partida). Ideal: com 1 semana é possível incluir no roteiro atrações nos arredores de Paris como Palácio de Versalhes ou Jardins de Monet em Giverny.
Qual a melhor época do ano para visitar Paris: Paris pode ser visitadas em qualquer época do ano. Se o verão reserva dias quentes e mais longos, com sol até as 22h, o inverno traz o charme da neve e os agitados mercados de Natal. Em geral recomenda-se evitar o mês de agosto, que é o mês oficial de férias do parisiense e a cidade fica mais vazia, com boa parte do comércio fechado – mas nada que impacte nas atrações turísticas.
Leia mais: Roteiro completo de 5 dias em Paris | Onde ficar em Paris: melhores bairros e dicas de hotéis

2) Estrasburgo / Strasbourg

Estrasburgo, a capital da Alsácia: amor a primeira vista

Agora partimos em direção a Alsácia, região na fronteira da França com a Alemanha que reúne características culturais e gastronômicas desses dois países. Situada a cerca de 3 horas de trem a partir de Paris, Estrasburgo (no francês Strasbourg) é a capital e maior cidade da da Alsácia. Assim que colocamos os pés na cidade percebemos se tratar de um cenário de conto de fadas. Seja pela arquitetura das casas (muitas no estilo enxaimel característico alemão), por sua gastronomia (muito chucrute, carne de porco e foie gras), por sua história ou por suas belezas naturais, fato é que Estrasburgo nos encantou desde a nossa primeira viagem pela França. Foi amor à primeira vista!

No incrível centro histórico declarado patrimônio mundial pela Unesco, a atmosfera medieval de Estrasburgo encanta seus visitantes. Sua joia mais icônica é a Catedral Notre-Dame de Strasbourg. Mas a cidade não se limita a ela, já que são muitas as atrações a visitar em Estrasburgo. Como o delicioso bairro de ‘Petit France’. Inteiramente cortado por canais e repleto de casas em estilo enxaimel, é até difícil descrever em palavras a sensação de caminhar por suas ruas e becos. Daqueles lugares onde, logo de cara, tudo parece lindo e irresistível para ser fotografado. Mas a medida que avançamos pelo bairro, é inevitável a sensação de que “agora sim chegamos na parte mais bonita!”. Até que, finalmente, ao chegar nas Ponts Couverts (Pontes Cobertas) e na Barrage Vauban, você se dará conta do quanto valeu a pena incluir Estrasburgo no seu roteiro. Se é que ainda restava alguma dúvida. 🙂

Estrasburgo é uma cidade de atmosfera única, daquelas que você se despede já sonhando em um dia retornar.

Quantos dias ficar em Estrasburgo: De 2 a 3 dias inteiros são o ideal para conhecer bem o centrinho e as principais atrações de Estrasburgo. Com mais dias, é possível utilizar a cidade como base para explorar outros vilarejos da região.
Qual a melhor época do ano para visitar Estrasburgo: A região da Alsácia como um todo pode ser visitada em qualquer época do ano. No verão os dias mais longos de céu azul possibilitam mais tempo de dia útil para explorar a região e tirar fotos espetaculares. Mas o inverno oferece o maior e mais famoso mercado de Natal da França, o Marché de Noël de Strasbourg.
Leia mais: Roteiro completo de 3 dias em Estrasburgo / Strasbourg

3) Colmar

Os charmosos canais de Colmar

Descendo um pouco mais pela Rota de vinhos da Alsácia está a encantadora Colmar. Sabe aquelas cidadezinhas medievais, floridas nas épocas de calor ou cobertas de neve branquinha no inverno, cercadas de colinas com vinhedos, cortadas por um rio que reflete casinhas coloridas tal qual um espelho? Colmar é uma legítima representante desse estilo alsaciano de ser. Conhecida como a “Capital dos vinhos da Alsácia”, Colmar é mais uma cidade imperdível em uma viagem pela França.

Colmar possui alguns museus importantes como o Musée Unterlinden, o Bartholdi ou o Musée du Jouet (Museu do Brinquedo). Mas o maior barato mesmo é andar a pé pela cidade, explorar cada ruazinha e admirar suas fachadas coloridas e a arquitetura tão característica dessa região privilegiada em beleza. Por ter se mantido quase intacta ao longo de várias guerras envolvendo o país, o centro histórico de Colmar é uma verdadeira preciosidade com quase mil anos de história muito bem preservada. E ao se aproximar da região conhecida conhecida como Petit Venise (Pequena Veneza), a atmosfera de charme e romantismo tomam conta. O lindíssimo cenário das pontes cobertas por flores cruzando o rio e seus pequenos canais margeados pelas fachadas das casas tipicamente alsacianas, é sem dúvidas um dos maiores cartões postais de Colmar.

Não bastasse o centro histórico apaixonante e super fácil de percorrer a pé, Colmar está localizada a pouquíssimos quilômetros de outros tantos vilarejos igualmente encantadores. Quando digo “poucos quilômetros”, me refiro a distâncias que podem ser feitas até de bicicleta! Por isso, durante sua estadia por Colmar, vale ainda alugar uma bike ou um carro e se jogar pelos arredores da cidade, em busca de mais paisagens encantadas e vilarejos de sonhos.

Quantos dias ficar em Colmar: De 1 a 2 dias inteiros são o ideal para conhecer bem Colmar. 1 dia extra permitiria explorar vilarejos nos arredores, como a bela Eguisheim.
Qual a melhor época do ano para visitar Colmar: A exemplo de Estrasburgo, Colmar pode ser visitada em qualquer época do ano. Na primavera, em especial, a cidade torna-se ainda mais florida, colorida e apaixonante. Para os amantes de vinhos, o período de agosto a outubro concentra a vindima – época da colheita das uvas, onde acontecem muitas festas e eventos de degustação. No Natal, o mercado de Natal de Colmar é considerado um dos maiores destaques de toda a Europa.
Leia mais: Roteiro completo de 1 dia em Colmar | Onde ficar em Colmar

4) Riquewihr

Riquewihr: a joia medieval da Alsácia

Aqui vai mais uma cidade alsaciana – já deu pra perceber que adoramos essa região da França, certo? Se você ainda não se cansou da Alsácia e dos vilarejos medievais, que tal incluir mais uma na sua lista? Estamos falando de Riquewihr, uma minúscula comuna francesa com apenas 1200 habitantes.

Para dar uma ideia do quanto Riquewihr é especial, na França existe uma premiação chamada “Les Plus Beaux villages de France” (os mais belos vilarejos da França). Todos os anos eles fazem uma lista escolhendo os mais lindos e encantadores vilarejos do país, e Riquewihr quase sempre figura entre as melhores colocadas.

Conhecida como “Pérola da vinha da Alsácia” por conta dos muitos vinhedos nos arredores e pelos vinhos de qualidade produzidos na região, a cidade murada de Riquewihr é um verdadeiro museu a céu aberto que conserva sua autenticidade e o charme de outros tempos. As preservadas casas em madeira ao estilo enxaimel, os pátios internos decorados com poços, as fontes antigas, as placas de metal tão bem trabalhadas, tudo isso compõe um conjunto arquitetônico invejável.

Algumas das atrações mais importantes são a Torre dos Ladrões (antiga Prisão de Riquewihr), a casa Vineyard (original do século XVI), o Posto du Dolder (o portão de entrada da cidade, usado para defesa desde o século XIII) e a Casa “Hansi”, dedicada ao famoso ilustrador alsaciano. Porém, o melhor programa é mesmo andar pelas ruas e ver a vida local acontecendo em uma cidade que, pra variar, parece uma reprodução exata dos livros de contos de fadas. Com suas fachadas floridas na primavera e no verão e com as do Natal no fim do ano, Riquewihr possui uma atmosfera única. Representa a essência das tradições da Alsácia.

Quantos dias ficar em Riquewihr: 1 dia é suficiente para caminhar por toda a cidade e se apaixonar por Riquewihr.
Qual a melhor época do ano para visitar Riquewihr: Recomendamos a primavera ou o período natalino como as melhores épocas de visitar a pequena comuna.
Leia mais: Roteiro completo de 6 dias pela Rota dos Vinhos da Alsácia

5) Lyon

Lyon: 3ª maior cidade da França

Localizada na parte leste da França (próximo a fronteira com a Suíça), Lyon é a terceira maior cidade da França e reúne uma série de atrativos que justificam sua inclusão em um roteiro de viagem pela França. Mas, afinal, por que vale a pena conhecer Lyon?

Para começar, Lyon é considerada por muitos a “capital mundial da gastronomia”. Não apenas da alta gastronomia e dos muitos restaurantes estrelados pelo Guia Michelin e pelos Chefs renomados – cujo grande ícone ainda é Paul Bocuse (falecido em 2018). Mas especialmente pelos restaurantes simples de culinária autêntica e bem peculiar, os chamados ‘Bouchons‘ – marca registrada da cidade com seus pratos a base de miúdos e partes “menos nobres” do porco. Apesar da definição, acredite: são deliciosos e imperdíveis! Ir a Lyon e não comer em um ‘bouchon’ é quase como ir a Roma e não ver o Papa. 🙂

Lyon se destaca ainda por seu patrimônio histórico-arquitetônico incrível, que não deixa nada a dever a Paris ou a outras grandes cidades europeias. Em especial nas três regiões mais bonitas da cidade e que compõem o “centro histórico” de Lyon, classificado como patrimônio da humanidade pela UNESCO: Presqu’îleVieux Lyon e Fourvière. Vale muito a pena ‘se perder’ pelas ruas desse centro histórico ou pelas margens dos 2 rios que cortam a cidade, o Rhône e o Saône.   

Pensa que acabaram as atrações? Pois saiba que a cidade teve um papel significativo na história do cinema! Foi em Lyon que os irmãos Lumière inventaram o cinematógrafo. Por conta disso, para os amantes da 7ª arte a cidade de Lyon conta com vários museus e atrações relacionados a esse tema.

Quantos dias ficar em Lyon: 2 dias é o mínimo para conhecer o centro histórico e as principais atrações (ainda assim, um pouco corrido). 3 a 4 dias seriam o ideal.
Qual a melhor época do ano para visitar Lyon: Tal qual Paris, Lyon é uma cidade grande e cosmopolita que pode ser visitada em qualquer estação. O mês de dezembro é especialmente interessante por conta da Fête des Lumières, um festival de Luzes com duração de 4 dias que é uma das festas mais importantes de Lyon.
Leia mais: Roteiro completo de 2 dias em Lyon | Onde ficar em Lyon

6) Dijon

Dijon, na Borgonha

Ah, a Borgonha! Impossível ouvir esse nome e não pensar imediatamente em…vinhos. Localizada no centro leste da França, é na Borgonha que são produzidos alguns dos melhores e mais renomados vinhos do mundo. Uma das principais cidades dessa região é a encantadora e histórica Dijon, é uma das principais cidades da rota dos Grand Crus da Borgonha, na França. A proximidade em relação a Beaune e a diversas cidades e vilarejos como Nuits-St.-George, Vosne-Romanee, Vougeot e Musigny (especializados na produção dos vinhos mais intensos e complexos da Borgonha) torna a localização privilegiada para explorar as belezas dessa região repleta de história, de vinhedos e de construções medievais.

Mas além dos vinhos, como não se apaixonar pelo centro histórico de Dijon? Entre os atrativos e atividades de maior destaque estão a subida na Tour Philippe ‘Le Bon’ (de onde se tem uma vista aérea da cidade), o Musée des Beaux Arts que funciona no antigo Palais des Ducs; a Place Darcy com seu “mini arco do Triunfo” e a ‘Chouette’, uma corujinha simpática esculpida no exterior da Igreja de Notre Dame. 

E como não citar também outro produto típico de Dijon, a mostarda. Sim, a mundialmente famosa ‘mostarda de Dijon’ é um dos símbolos da cidade. Pelo centro histórico são diversas as lojinhas especializadas onde é possível degustar diferentes estilos da melhor mostarda do mundo. Para quem desejar se aprofundar no assunto, é possível até mesmo fazer uma visita às fábricas de mostarda para acompanhar todo o processo de produção.

Quantos dias ficar em Dijon: 1 dia inteiro para conhecer o essencial de Dijon ou 2 dias para poder desfrutar da cidade com mais calma.
Qual a melhor época do ano para visitar Dijon: De maio a setembro (primavera na Europa) o clima da região é bem agradável e os vinhedos estarão bonitos e crescidos. Já no outono (agosto a outubro) é o período da vindima, quando acontece a colheita das uvas. Nessa época as parreiras estarão bem carregadas de uvas e as cidades da região costumam fazer festas para celebrar a colheita. Nessa região é recomendável evitar o inverno. Nessa época muitos restaurantes e hotéis não funcionam por conta da queda no movimento de turistas.
Leia mais: Roteiro completo de 1 dia em Dijon | Onde ficar em Dijon

7) Beaune

Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu.
Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel Dieu.

A cerca de 1 hora de Dijon está Beaune, a “capital dos vinhos da Borgonha”. Só por essa alcunha a cidade já justificaria a sua inclusão em qualquer roteiro de viagem pela França. Vale reforçar que a “fama” não é por acaso. No centro histórico, dentro da cidade murada de Beaune, muitas vinícolas locais podem ser visitadas sob agendamento para seções de degustação.

Beaune ainda está estrategicamente localizada no centro de um grande “cinturão” de vinhedos e vinícolas conhecido como ‘Cote D’or’ (a costa de ouro). Há poucos minutos de viagem ao sul de Beaune fica a região denominada ‘Côte de Beaune’, onde em geral são produzidos vinhos de estilos mais suaves e frescos. Alguns dos vilarejos mais importantes (e que dão nome aos vinhos) são Pommard, Volnay, e Meursault.

Além da posição estratégica e da qualidade invejável de seus vinhos, essa pequena e apaixonante cidade possui diversas atrações. A parte murada (e mais interessante) da cidade concentra os maiores atrativos e pode ser totalmente explorada a pé. O grande destaque da cidade é a visita aos “Hospices de Beaune – Musée de l’Hôtel-Dieu” – obrigatória para quem vai até Beaune. O local, um antigo hospital construído em 1443, é uma verdadeira joia da arquitetura gótica que se manteve inteiramente preservada até os dias atuais. Seus telhados coloridos e chamativos são um dos símbolos não apenas da cidade mas de toda a Borgonha.

Quantos dias ficar em Beaune: 1 dia é suficiente para caminhar por todo o centrinho, visitar as principais atrações ainda participar de uma degustação de vinhos locais. Os dias extras servem para desbravar a belíssima região da Borgonha.
Qual a melhor época do ano para visitar Beaune: A exemplo de Dijon, o melhor período é sem dúvidas no período da vindima, no outono (agosto a outubro). Evite o período do inverno por ser a baixa temporada e as paisagens estarem menos exuberantes por conta da neve e do frio.
Leia mais: Roteiro completo de 1 dia em Beaune | Onde ficar em Beaune


E você, conta pra gente: qual dessas cidades francesas você mais gostou? Tem alguma outra cidade que você já visitou na França e gostaria de recomendar? Manda pra gente aí nos comentários! 🙂


E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Europa. A empresa de seguros que a gente sempre usa e recomenda é a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem e apresenta sempre a opção com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Seguro Viagem
Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Viajar é Demais