Alfajor uruguaio: ranking dos 10 melhores alfajores do Uruguai
Alfajor Uruguaio

Alfajor uruguaio: ranking dos 10 melhores alfajores do Uruguai

Quando o assunto é comprar, o Uruguai definitivamente não está entre os destinos mais lembrados pelos viajantes. Entretanto, se tem um item que habita o imaginário de 10 entre 10 pessoas que visitam o Uruguai, esse item é o delicioso alfajor uruguaio. Seja pra consumir durante a viagem, seja como lembrancinha para os amigos, ou seja para trazer em grandes quantidades e estocar o máximo de tempo possível para suprir a falta que o alfajor faz na vida de uma pessoa (meu caso), o fato é que ninguém passa 1 dia por terras uruguaias sem comer, comprar ou avistar uma prateleira repleta de alfajores. Em nossa viagem de 9 dias pelo Uruguai, um dos passatempos favoritos foi comprar e comer essas delícias, de todas as marcas e sabores possíveis.

O Alfajor Uruguaio

Apesar de oficialmente o alfajor ser um doce de origem espanhola, não há um uruguaio que não afirme com toda certeza que a receita foi criada por lá. O nome seria uma derivação do hispano-árabe ‘al-hasú‘, que na tradução significa ‘o recheio’. Pra quem tem a infelicidade de não saber o que é exatamente um alfajor, eu explico brevemente: nas suas versões mais clássicas, o alfajor é um doce composto de uma massa (que pode ser de maizena, ou mais parecida com um bolo ou um biscoito) recheada de doce de leite (existem variações, mas o clássico é com o ‘dulce de leche’) e coberta por uma camada de chocolate ou de açúcar.

Alfajor Uruguaio
Alfajor Uruguaio

Bom, independente da origem ser ou não uruguaia, fato é que atualmente Uruguai e Argentina dominam o posto dos maiores e melhores produtores de alfajor no mundo. Não vou entrar em outra polêmica e discutir qual o melhor alfajor entre os nossos 2 países vizinhos (deixarei isso para o gosto pessoal de cada um). Assim como o argentino, o alfajor uruguaio existe em vários tipos, tamanhos, recheios e marcas. A principal diferença que vi para os argentinos: nenhum dos que experimentei levava na receita limão, laranja ou algo cítrico (na argentina a maioria tem um gostinho cítrico, como por exemplo o famoso Havanna).

Diferenças a parte, o alfajor uruguaio é também uma delícia, e sua fama de objeto de desejo dos brasileiros que viajam para o Uruguai é mais do que justificada. 🙂

Você também vai gostar de ler:
O que fazer em Montevidéu: roteiro completo na capital do Uruguai

Onde ficar em Montevidéu: dicas de hotéis e melhores bairros
Onde comer em Montevidéu: 10 restaurantes e cafés imperdíveis
Doce de leite uruguaio: ranking das melhores marcas

Onde comprar alfajores uruguaios?

Não é muito difícil encontrar alfajor no Uruguai. É possível comprá-los em supermercados, lojas especializadas, kioskos, no duty free do aeroporto e até em farmácias!

O problema é que nem todas as marcas são tão fáceis de achar em um mesmo lugar. As lojas especializadas possuem maior variedade de marcas e sabores. Tem uma inclusive no Mercado del Puerto, a Alfajores del Uruguay. Por incrível que pareça, apesar de estar num dos locais mais turísticos de Montevidéu, os preços são muito parecidos com o dos outros lugares, e ainda rola o Tax Free (aquela devolução dos impostos que explicamos no post 10 dicas de como economizar no Uruguai).

Pra quem tiver um pouco mais de tempo e disposição,  outra boa opção é garimpar pelos supermercados no Uruguai. Por lá os preços na média vão ser até mais em conta, e sempre existe a possibilidade de encontrar uma boa promoção (nós achamos o alfajor da Lapataia por cerca de R$1,00 quando o preço normal é o dobro disso).

Farmácias e kioskos normalmente são uma opção pra quebrar um galho, ou pra comprar em pouca quantidade e matar a vontade ali na hora. Não recomendo para comprar em maior quantidade para trazer para o Brasil pois normalmente os preços são mais altos.

Nem precisa falar que a opção de comprar no duty free é a pior possível, né? Além de ter pouquíssimas marcas disponíveis (encontramos somente Punta Ballena e Lapataia), os preços em geral são mais do que o dobro dos praticados pelos supermercados. Essa opção é só em último caso!

Bem, agora que você já sabe onde comprar, vamos ao que interessa! Confira nosso ranking dos 10 melhores alfajores uruguaios:

10) Lapataia Mousse

Caixa de alfajor Mousse Lapataia
Caixa de alfajor Mousse Lapataia

Apesar da última posição no nosso ranking, o Lapataia Mousse não é ruim. Ele está em 10º porque na minha visão “purista” de especialista, ele sequer é um alfajor (primeira polêmica da lista!). Apesar de ser vendido como um alfajor, ele lembra um biscoitão, tipo um “Bono”. Tanto a textura da massa, super crocante, quanto o recheio lembram o famoso biscoito recheado (estou preparado para apanhar dos apaixonados pelo Lapataia Mousse). 🙂

O Lapataia Mousse pode ser encontrado em vários sabores: chocolate, café e até o clássico ‘dulce de leche’ (mas não é doce de leite de verdade, cremoso, é como uma pasta de doce de leite). O lado positivo é que é um dos mais baratinhos, mas definitivamente, não está entre os meus favoritos.

Lapataia Mousse
Facilidade de achar: Fácil. Bem comum de achar nos supermercados, farmácias e na maioria das lojas especializadas.
Preço médio: R$2,50 (a unidade). Entretanto só encontrei vendendo em caixas de 6 unidades (ou seja, na faixa de R$15,00).

9º e 8º lugares: Portezuelo e Perrotta

Duas marcas de alfajor na mesma colocação tem um motivo. Não, não foi indecisão na hora de escolher o melhor. Mas pesquisando na internet eu “descobri” que o alfajor Portezuelo é vendido no Brasil como Alfajor Perrotta. Assim a marca Perrotta não vai ser encontrada no Uruguai, nem a Portezuelo no Brasil. Mas os 2 alfajores são na verdade a mesma coisa com nomes diferentes, e por isso o empate. 🙂

Os alfajores da Portezuelo são na média os mais baratos que encontramos a venda no Uruguai, e podem ser encontrados em quase todos os lugares (até no Brasil, só que com outro nome!). A variedade de opções e sabores é impressionante: tem os mais tradicionais, cobertos com chocolate (preto ou branco), tem com triplo recheio, tem recheado de doce de leite, de mousse, de fruta… Ufa, tem para todos os gostos.

Alfajor da Portezuelo
Alfajor da Portezuelo

Óbvio que a gente não conseguiu provar todas as variações, e focamos nos mais tradicionais. Novamente, não é que seja um alfajor ruim (nada que seja vendido como “alfajor” no Uruguai pode ser ruim). Mas sem dúvidas é o alfajor uruguaio mais “industrial”, no pior sentido da palavra. A cobertura de chocolate é bem artificial, tem pouco recheio e a massa é mais ‘farelenta’. Vale pra trazer em quantidade sem gastar tanto, mas definitivamente não será o melhor alfajor que você vai comer no Uruguai.

Portezuelo e Perrotta
Facilidade de achar: Marca mais fácil de encontrar, ao lado do Lapataia (o próximo da lista). Quase sempre era o primeiro que encontrávamos nas prateleiras, sempre em muita quantidade. E é encontrado com certa facilidade no Brasil também, mas com o nome de Perrotta.
Preço médio: a partir de R$2,00 a versão mais “simples” (unidade). Mas existem inúmeras variações e é possível também comprar em caixas com 6 ou mais unidades, o que baixa o preço unitário.

7) Lapataia (Vaquita)

Se tem um alfajor fácil de encontrar, esse alfajor é o Lapataia. A tradicional marca (que também faz um delicioso doce de leite) está presente literalmente em todos os lugares onde se vende alfajor. Sério, acho que não encontrei um único lugar que não vendesse os alfajores da Lapataia. Mesmo locais em que só havia uma marca disponível, essa marca era… Lapataia! Rsrs

Alfajor Lapataia Vaquita
Alfajor Lapataia Vaquita

O clássico é esse Lapataia Vaquita: um alfajor fininho, com pouco recheio (mas com a qualidade do dulce de leche Lapataia). A massa e a cobertura são satisfatórios, mas também um pouco “industriais” no sabor (porém menos do que o Portezuelo). É talvez o alfajor mais “padrão”. Cumpre seu papel no dia a dia, é bom para acompanhar um café, mas não tem nada de excepcional.

Lapataia Vaquita
Facilidade de achar: O mais fácil de todos, sendo uma das poucas marcas também presentes no Duty Free do aeroporto de Carrasco. Só não come quem não quiser.
Preço médio: Chegamos a achar até por R$1,00 em uma promoção, mas em geral custa cerca de R$2,50. Vende em unidades ou em caixas fechadas com 12.

6) Puerto Sur Premium

De todos os alfajores que experimentamos, o Puerto Sur é o que mais se parece com as versões “clássicas” dos alfajores de maizena que são vendidos nas padarias, confeitarias e nas casas de chá. A embalagem simples e a cobertura de chocolate que cobre de forma irregular somente a parte superior do alfajor ajudam a dar essa cara de “artesanal”.

Alfajor Puerto Sur Premium
Alfajor Puerto Sur Premium

O alfajor tem uma textura mais macia, lembrando mesmo um biscoito de maizena caseiro, e desmancha na boca. O recheio é de doce de leite, em pouca quantidade, e o sabor não sobressai muito.

Alfajor Puerto Sur Premium
Facilidade de achar: Bem difícil (não achei nem foto na internet, e tirei essa em casa). Só encontrei em um supermercado menor na região central de Montevidéu, o Supermercado Planeta.
Preço médio: Custou o equivalente a uns R$4,50 (unidade). Só encontrei vendendo individualmente.

5) Alfajor Marley

Apesar do nome e de ser produzido no Uruguai, é um alfajor “normal” – não leva maconha na sua receita, como alguns engraçadinhos podem supor. Rsrs.

Alfajor Marley: nas versões chocolate branco e preto

É um alfajor bem saboroso, e experimentamos nas suas 2 versões (chocolate preto e branco). Um dos pontos fortes é o recheio: uma generosa porção de ‘dulce de leche’ daqueles bem escurinhos (quase um terço da altura do alfajor é só de recheio).

O ponto mais fraco para mim está na massa, que apesar de levar um pouco de chocolate, é mais torrada do que a média, meio “biscoitão”.

Na versão coberta de chocolate preto, a combinação de todos os elementos deixa ele doce na medida certa. O de chocolate branco eu já achei doce demais.

Alfajor Marley
Facilidade de achar: Médio (encontramos em alguns supermercados e lojas especializadas).
Preço médio: A unidade custa o equivalente a uns R$5,00. Só encontramos a venda na versão individual.

4) Alfajores de las Sierras de Minas

Caixa dos Alfajores de las Sierras de Minas
Caixa dos Alfajores de las Sierras de Minas

A própria embalagem já anuncia: “O 1º alfajor do Uruguai”. Foi com essa expectativa que experimentamos o Alfajor de las Sierras de Minas, e devo confessar que a minha primeira impressão não foi tão positiva. Comecei experimentando o de chocolate, que normalmente é o meu favorito. Achei a textura um pouco parecida com a de um bolinho (lembrou até aqueles bolinhos “Ana Maria”). O chocolate não tinha nenhum diferencial, assim como o recheio de doce de leite, que era em proporções normais e a combinação final era um pouco doce demais.

Se dependesse só da versão de chocolate, os Alfajores de las Sierras de Minas estariam entre os últimos dessa lista. Mas aí resolvi dar uma chance para a versão “Merengue” (alfajor banhado de açúcar em volta). Minha nossa, que alfajor bom! Até a massa é diferente, desmanchava na boca. E a crosta de açúcar dá a textura e a ‘crocância’ que o alfajor precisava. Me arrependi amargamente de ter comprado só um dessa maravilha! Fica a dica, quem quiser me trazer uma caixa de presente, estamos aí! 🙂

Existe ainda uma versão do Alfajor de las Sierras de Minas sem cobertura em volta, só com a massa e o recheio de doce de leite. Achei ok, mas não me deixou maiores lembranças.

A versão Merengue justificou a fama, e pelo conjunto da obra, ficou em 4º lugar da lista.

Alfajores de las Sierras de Minas
Facilidade de achar: De médio pra fácil. Bem comum de achar nos supermercados.
Preço médio: Equivalente a R$5,00 a unidade (a versão sem nada em volta custa mais ou menos a metade disso). Vende também em caixas de 12 unidades.

3) Nativo

Por incrível que pareça, não conhecíamos essa marca de alfajores antes de visitar o Uruguai. Entretanto, é só entrar em qualquer supermercado ou mercadinho que lá estão os alfajores da Nativo.

Encontramos em várias versões (chocolate branco e preto, maizena com coco tradicional e até uma versão mega, que dá pra dividir por 4 e comer aos poucos) e confesso que inicialmente não demos muita bola. Mas experimentar 1 deles foi o suficiente para decidirmos trazer logo uma caixa fechada para o Brasil.

Alfajor uruguaio Nativo nas prateleiras dos supermercados
Alfajor uruguaio Nativo nas prateleiras dos supermercados

A versão Nativo Premium é simplesmente espetacular, e tem talvez o melhor custo-benefício entre os alfajores uruguaios. Além de ser bem grande e pesado, o alfajor tem muito (eu falei muito?) recheio de doce de leite. Quase metade do alfajor é só doce – cremoso e de ótima qualidade! E ao contrário do esperado, o alfajor não fica doce demais. A cobertura é de um chocolate meio amargo (no caso do chocolate preto), e a massa lembra a textura de um biscoito, mas desmancha na boca. A combinação é excelente, e é irresistível comer tudo de uma vez!

O de chocolate branco já é um pouco mais doce, como de costume. É bom para tomar acompanhando um café sem açúcar.

Experimentamos também a tal versão “mega” que pesa 3 vezes mais do que um alfajor comum. Apesar de super caprichada no recheio, essa me decepcionou um pouco: a massa era diferente, com gosto de bolo. Mas a Chai adorou. 🙂

alfajor nativo tamanho família
alfajor nativo tamanho família

Nativo
Facilidade de achar: De médio pra fácil. Bem comum de achar nos supermercados, principalmente na versão Nativo Premium.
Preço médio: a partir de R$3,00 (unidade). A versão maior nós compramos por cerca de R$9,00.

2) Punta Ballena Negro

Apesar de ser uma das maiores marcas e obviamente seguir uma linha mais industrial, o alfajor ‘Negro’ da Punta Ballena ficou entre os nossos favoritos.
Em primeiro lugar, é um dos poucos a utilizar um chocolate mais escuro, o que já rende pontos na qualidade e no sabor da cobertura. A massa – que também leva chocolate e é quase da cor da cobertura – lembra a textura clássica dos alfajores e desmancha na boca. O recheio é saboroso e vem na medida certa. Toda essa combinação gera um alfajor um pouco menos doce do que a média uruguaia (o paladar dos uruguaios em geral é mais puxado para o açúcar do que o brasileiro).

Alfajores Punta Ballena
Alfajores Punta Ballena

Um dos grandes destaques é a versão em menor tamanho – o ‘alfajorcito’ – um grande acerto da marca. O tamanho é ideal para comer acompanhado de um belo café expresso depois do almoço, fica na medida certa para uma sobremesa e não compromete nenhuma dieta. 🙂
Sem dúvida, um ótimo custo-benefício entre os alfajores uruguaios.

Punta Ballena Negro
Facilidade de achar: Fácil, apesar de não termos encontrado em TODAS as redes de supermercado. É uma das poucas marcas a venda no Duty Free do aeroporto de Carrasco.
Preço médio: o pacote do ‘alfajorcito’ (a versão mini) custa cerca de R$6,50 com 6 unidades. No Duty Free é vendido em pacotes maiores (apesar do preço não compensar). O grande é vendido individualmente por cerca de R$2,50 cada.

1) Pollo y Pico

Quem imaginaria que o melhor alfajor uruguaio fosse produzido por uma pequena avícola em Montevidéu? Aliás, quem imaginaria que uma avícola produzisse alfajores? O.o

Foi com esse mesmo tom de surpresa que incluímos em nosso roteiro por Montevidéu uma passadinha pela avícola ‘Pollo y Pico’, depois de recebermos efusivas indicações por parte de moradores da cidade. É claro que tivemos que ir até lá para conferir com os próprios olhos.

Quando chegamos, não foi difícil identificar as caixinhas azuis e amarelas dos alfajores dividindo espaço com dúzias e mais dúzias de ovos caipiras em cima de balcões refrigerados com os mais variados cortes de frango. Sim, não era uma lenda urbana, o alfajor existia de fato!

Alfajor Pollo y Pico - o melhor alfajor uruguaio
Alfajor Pollo y Pico – o melhor alfajor uruguaio

Para aproveitar a ‘viagem’, compramos logo 6 antes mesmo de experimentar (4 na versão chocolate e 2 na versão ‘nieve’, com merengue em volta).

Ainda na saída da loja, decidimos abrir e somente provar um deles – iríamos almoçar na sequência e não queríamos perder a fome. Mas foi impossível só “provar”, e acabamos devorando o alfajor inteiro de uma vez sem nos darmos conta, como dá pra ver no vídeo:

O alfajor da Pollo y Pico obviamente é super artesanal, e desmancha na boca a cada mordida. A massa é bem amarelinha por conta dos ovos caipiras e frescos usados em sua fabricação. O recheio de dulce de leche é bem caprichado e cremoso – a sensação era que o alfajor tinha sido feito no próprio dia.

É claro que a charmosa embalagem – a caixinha de papel em azul e amarelo com uma ilustração de um galo  – merece uma menção honrosa pela originalidade.

Por conta do sabor, da raridade e da fofurice da embalagem, merece o nosso 1º lugar no ranking dos Alfajores no Uruguai.

Pollo y Pico
Facilidade de achar: Raro (só é vendido na avícola de mesmo nome)
Preço médio: R$5,00 a unidade.

Cuidado com a validade

Um cuidado que você precisa tomar na hora de comprar alfajores, principalmente pra quem estiver pensando em trazer para o Brasil, é a questão da validade. Alfajores em geral são um produto bastante artesanal e possuem validade pequena. Dificilmente você vai encontrar um alfajor com validade acima de 2 ou 3 meses, nem mesmo entre os mais industriais. Por conta disso, quando for comprar preste bem atenção na data de validade, para não precisar comer tudo de uma vez logo que chegar (que sacrifício, não é mesmo? Rsrsrs).
#dicaviajaredemais: independente da validade, normalmente a gente coloca os alfajores na geladeira assim que chega ao Brasil. Primeiro porque ele geladinho é muito mais gostoso! Rsrs Mas também por precaução – o produto pode durar menos ainda em função da diferença de temperatura. Estando na geladeira eu já comi alfajor “vencido” a mais de 3 meses que estava em perfeitas condições (tanto que estou aqui pra “contar a história” até hoje, hahaha). Já na primeira viagem que fiz para a Argentina, dei bobeira e não coloquei alguns alfajores na geladeira. Quando abri, mesmo na validade, estavam todos mofados. 🙁


E aí, qual o seu alfajor uruguaio favorito? Já experimentou todos esses alfajores? Tem algum que você achou incrível e que não está nessa lista? Comenta aí e conta pra gente. 🙂


Onde ficar em Montevidéu

Não deixe para reservar na última hora e pagar uma fortuna de hospedagem! Que tal pesquisar agora mesmo e fazer sua reserva antecipadamente com as melhores ofertas de hotéis ou apartamentos em Montevidéu, no Uruguai?

#dicaviajaredemais: Se quiser uma dica pessoal para hospedagem em Montevidéu, dá uma lida no nosso post sobre o Salvo Suítes. Já para Colônia do Sacramento, a dica é o La Mision, bem no centrinho histórico da cidade e com ótimo custo-benefício.

Booking.com Booking.com

Mais atividades em Montevidéu

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações na Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 

E não esqueça de garantir seu seguro viagem no Uruguai:

Na hora de contratar o seguro viagem a gente sempre usa e recomenda a Seguros Promo. É um comparador de preços entre as principais companhias de seguro viagem do mercado que apresenta as opções com melhor custo-benefício para a sua viagem!

E agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

11 comentários
Viajar é Demais