O que fazer em Bruges, na Bélgica: roteiro de 2 dias com bate-volta até Damme
O que fazer em Bruges? Roteiro de 2 dias

O que fazer em Bruges, na Bélgica: roteiro de 2 dias com bate-volta até Damme

Principal destino turístico da Bélgica, Bruges (ou Brugge, no idioma flamengo) desperta o imaginário de quem é apaixonado pela atmosfera encantadora das cidades medievais europeias. Frequentemente Bruges é incluída nos roteiros de Eurotrip de viajantes brasileiros. Bruges está a cerca de 1 hora de trem de Bruxelas, mas também é relativamente próxima de outras grandes capitais como Paris ou Amsterdam. Na maioria das vezes, a cidade é visitada em um bate-volta de um dia. Mas Bruges é daquelas cidades que pedem (e merecem) por mais do que um simples bate-volta. Para você que deseja aproveitar ao máximo a cidade e está buscando o que fazer em Bruges, preparamos um roteiro completo e bem detalhado para 2 dias em Bruges, com direito a um bate-volta até Damme, simpático vilarejo nos arredores.

Um pouco sobre Bruges

Grote Markt de Bruges (fonte: Visit Brugge)
Grote Markt de Bruges (fonte: Visit Brugge)

Não é de hoje que Bruges é um importante destino turístico. A exuberância de seu centro histórico medieval incrivelmente bem preservado atrai visitantes estrangeiros desde o início do século XIX. Ou seja, bem antes da indústria do turismo como nós conhecemos hoje em dia. Situada ao norte da Bélgica, próximo à fronteira com a Holanda, Bruges conseguiu sobreviver praticamente intacta aos ataques alemães durante as duas guerras mundiais. Não é à toa que o centro de Bruges foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Hoje, a principal atividade que movimenta a cidade continua sendo o turismo. Especialmente durante o dia, as estreitas ruas da cidade e as praças principais costumam ficar abarrotadas de gente, tamanha é a procura por passeios de 1 dia em Bruges. Como eu disse no início, não é que seja ruim ou “errado” fazer esse tipo de escolha por conhecer Bruges em uma tarde. Existe muita oferta de excursões de 1 dia até Bruges, como essa da Get Your Guide. Mas particularmente acho que a cidade tem mais a oferecer, e que vale a pena o esforço (e o investimento) de ficar um tempinho a mais por lá.

Talvez você conheça alguém que esteve em Bruges e não tenha gostado, ou que achou tudo muito “turístico”, no pior sentido da palavra. Tenho que concordar que o turismo de massa realmente pode prejudicar a experiência e a percepção que se tem da cidade. Nos dias mais cheios, não vai dar tempo de visitar tudo e você poderá perder minutos preciosos em filas para andar de barco ou subir até o topo do Campanário nos horários de pico. Por isso, ficar ao menos 2 dias em Bruges é essencial para conseguir fazer o básico da cidade e não apenas aquele ‘check in’ nas principais atrações. Até porque Bruges não é exatamente uma cidade de “atrações”. É a cidade em si o grande barato. A sensação de acordar em Bruges antes da chegada das hordas de turistas e de experimentar a cidade como os moradores locais é algo único! E a noite, a cidade medieval ganha ares de romance e tranquilidade.

Bruges é uma cidade para admirar sem pressa. Para caminhar pelas ruas e curtir a beleza dos canais, construções medievais e monumentos. É respirar a história. Bruges é daquelas cidades de conto de fadas, onde a todo minuto você se depara com algo surpreendentemente encantador. Onde uma parede rústica qualquer, algumas plantinhas, uma bicicleta, uma porta e um céu azul parecem estar ali propositalmente posicionados para o nosso deleite. Quase um set de cinema! Claro, até que um morador local saia pela porta ou abra uma janela e nos traga de volta para a realidade. Sim, pessoas de fato moram nessas casinhas e ruas de contos de fadas!

Nesse post vamos dar várias dicas sobre o que fazer em Bruges, na Bélgica. Vamos começar respondendo algumas perguntas básicas sobre Bruges:
Como ir até Bruges?
Onde ficar em Bruges?
Onde comer em Bruges?

Na sequência, vamos apresentar um roteiro destalhado para 2 dias em Bruges que vai te ajudar a planejar o seu próprio roteiro pela “Veneza do Norte” – forma carinhosa como Bruges é conhecida por conta dos inúmeros canais que atravessam a cidade.

Como ir até Bruges?

O melhor meio de transporte para chegar ou sair de Bruges é o trem. A Belgian Rail é a companhia de trem oficial do país, e os tickets para deslocamentos internos normalmente podem ser comprados até mesmo na estação de trem, no dia da viagem. Para preços mais em conta, o ideal é se planejar com antecedência e comprar tudo online.

Caso vá fazer mais deslocamentos de trem ao longo da viagem, recomendamos dar uma olhada nos passes de trem da Eurail. Eles dão flexibilidade de pegar qualquer trem regional por um custo fixo e sem necessidade de reserva antecipada.

Onde ficar em Bruges?

Como em toda cidade medieval europeia, a melhor localização em Bruges será o mais próximo possível de seu centro histórico. De preferência, o mais perto da Grote Markt ou Grand Place. Essa é a principal praça da cidade, e em seus arredores está quase tudo que você vai querer visitar em Bruges. A maior concentração de hotéis e apartamentos também é justamente nessa região, como é possível verificar no mapa abaixo:


Booking.com

Nossa recomendação pessoal é o hotel onde nos hospedamos sempre que vamos a Bruges: Hotel Heritage – Relais & Château. Ele foi eleito simplesmente o melhor hotel boutique de toda a Bélgica! Fizemos até um post completo contando tudo sobre ele, é só acessar e conferir! 🙂

Para consultar preços nesses ou em outros hotéis em Bruges, faça agora mesmo uma pesquisa com descontos incríveis pelo Booking, o maior site de hospedagem em todo o mundo!


O que fazer em Bruges, na Bélgica: Roteiro de 2 dias

Dia 1: Centro histórico de Bruges

Chegada em Bruges: da estação de trem ao centro histórico

Da estação de trem até o seu hotel provavelmente será o único momento em que será preciso utilizar transporte público dentro de Bruges. Claro que vai depender da localização do hotel. Mas apenas para dar uma ideia, da estação de trem até a Grote Markt, principal praça do centro histórico, são cerca de 20 minutos a pé. Com malas, o ideal pode ser pegar um ônibus. A boa notícia é que na saída da estação de trem há um grande terminal de ônibus, e grande parte deles leva justamente para as zonas mais turísticas. O ticket pode ser adquirido na hora, diretamente com o motorista (cerca de 3€ por pessoa).

Distância entre a estação de trem de Bruges e a Grote Markt
Distância entre a estação de trem de Bruges e a Grote Markt

Grote Markt

Se você seguiu a nossa dica de se hospedar no Hotel Heritage – Relais & Château ou em outro hotel bem pertinho do centro, a dica é começar o roteiro pela Grote Markt – a praça principal de Bruges. Linda e cercada de construções coloridas de arquitetura típica, a Grote Markt simboliza muito bem todas as expectativas sobre Bruges. O primeiro contato com cada detalhe da praça certamente é o momento que faz cair a ficha: “Cheguei em Bruges”.

Casinhas coloridas na Grote Markt
Casinhas coloridas na Grote Markt

Bem ampla e quase sempre movimentada pelos turistas, a praça abriga algumas das mais importantes atrações de Bruges. O destaque maior vai para o Campanário (‘Belfort‘, a torre do sino) construído entre os séculos XIII e XV, que com seus 83 metros de altura oferece a mais bela vista da cidade. É possível visitá-lo e subir até o topo da torre, não sem antes encarar uma boa fila. Dica: deixe a subida ao Campanário para a manhã do seu segundo dia em Bruges. É o horário de menor fila, já que os turistas de bate-volta ainda estarão a caminho da cidade.

Campanário de Bruges
Campanário de Bruges

Outra construção incrível da Grote Markt é o Provinciaal Hof – edifício neogótico que abriga a sede do governo provincial de Flandres Ocidental, da qual Bruges faz parte. Destaque ainda para duas estátuas bem ao centro da praça, representando Jan Breydel e Pieter de Coninck.

Provinciaal Hof e estátuas ao centro da Grote Markt
Provinciaal Hof e estátuas ao centro da Grote Markt

É interessante e até estranho imaginar que até 1995 a Grote Markt permitia a circulação e o estacionamento de carros no seu entorno. Certamente o cenário atual é bem mais agradável e convidativo para os turistas. Hoje o que se pode encontrar por ali são as carruagens que fazem passeios turísticos – a partir de 50€ para até 4 pessoas. Além de não ser muito o nosso estilo de passeio, achamos o preço meio salgado e não andamos. Mas os turistas em geral pareciam não se importar muito e o vai e vem de carruagens era frenético.

Vale lembrar que a Grote Markt ainda concentra alguns restaurantes – que dizem ser meio ‘pega-turista’, então preferimos nem experimentar – além de alguns museus. Destaque para o Historium Brugge, um museu bem diferente do convencional que visitamos no segundo dia, após a subida ao Campanário.

Na Grote Markt também fica a principal loja da Visit Bruges, o escritório oficial do turismo na cidade. Sempre recomendamos aquela passadinha para pegar informações atualizadas, sugestões e mapas das cidades.

BurgPlatz e Basílica do Sangue Sagrado

A poucos metros dali está outra praça importante de Bruges, a BurgPlatz (ou Praça Burg).

Da Grote Markt até a BurgPlatz em Bruges
Da Grote Markt até a BurgPlatz em Bruges

Uma das áreas mais antigas da cidade, a BurgPlatz se manteve ao longo dos anos como centro político e religioso de Bruges. Muito por conta de dois edifícios emblemáticos: o prédio da Prefeitura de Bruges, de arquitetura gótica e construído em 1376; e a Basiliek van het Heilig Bloed (Basílica do Sangue Sagrado), a igreja mais importante da cidade.

Prefeitura de Bruges e Basílica do Sangue Sagrado

Trata-se de uma igreja “dupla”, dedicada a Nossa Senhora e a São Basílio. O andar inferior preserva seu caráter românico, ao passo que o andar superior é de estilo neogótico. Sendo assim, temos uma igreja mais antiga e austera embaixo, toda de pedra, e uma igreja mais vibrante acima, toda em madeira. É na Igreja superior que está o maior tesouro da Basílica do Sangue Sagrado: um frasco contendo um pano com o que seria o sangue de Cristo. Em geral, nessa parte forma-se uma pequena fila para observar de perto a relíquia – e não é permitido fotografar.

Detalhes internos da Basílica do Sangue Sagrado em Bruges
Detalhes internos da Basílica do Sangue Sagrado em Bruges

A visita a Basílica do Sangue Sagrado é gratuita (incluindo a parte da relíquia) mas é importante ficar atento aos horários. A Igreja fecha de 12h às 14h, e a relíquia em si só pode ser visitada entre 11h30 e 12h e 14h e 16h.

Rozenhoedkaai, o cartão postal de Bruges

Da BurgPlatz até Rozenhoedkaai, o cartão postal de Bruges
Da BurgPlatz até Rozenhoedkaai, o cartão postal de Bruges

Em mais 250 metros de caminhada você chegará ao Rozenhoedkaai (algo como “Cais do Rosário”), área qye oferece uma das mais lindas vistas de Bruges. Esse é considerado o ponto mais fotografado de toda a cidade, e não por acaso, tornou-se um verdadeiro cartão postal de Bruges.

Rozenhoedkaai e a foto que é o cartão postal de Bruges | Créditos:  Toerisme Brugge / Jan Darthet
Rozenhoedkaai e a foto que é o cartão postal de Bruges | Créditos: Toerisme Brugge / Jan Darthet

Essa zona fica constantemente lotada de turistas. Também pudera: além do visual espetacular, a região concentra cafés, restaurantes e lojas típicas. Além disso, nessa região estão vários dos pontos de partida dos barcos que fazem o famoso passeio pelos canais de Bruges.

Passeio de barco pelos canais de Bruges

Apesar de existirem diferentes guichês de venda e diferentes pontos de partida, a impressão é que todos os passeios de barco em Bruges são realizados pela mesma empresa. Os preços também são padronizados, então nem adianta tentar pechinchar. Se o tempo estiver agradável e as filas não muito extensas, certamente esse é um bom momento para fazer o passeio de barco e ter uma primeira impressão do centro de Bruges. O passeio de barco em Bruges dura 30 minutos e custa a partir de 10€ por pessoa.

O que fazer em Bruges: Passeio de barco em Bruges
O que fazer em Bruges: Passeio de barco em Bruges

As fotos durante o passeio nem sempre serão as melhores por conta do movimento do barco e o cuidado para não deixar o celular despencar nos canais. Mas o passeio vale muito a pena! É uma ótima forma de conhecer o centro histórico de Bruges por uma outra perspectiva. Além disso, o guia/piloto do barco passa uma série de informações ao longo do trajeto, em vários idiomas.

Alguns momentos do passeio de barco em Bruges
Alguns momentos do passeio de barco em Bruges

Após o passeio de barco, uma boa opção para o almoço nessa zona da cidade é o restaurante Grilkasteeltje. O nome é complicado mas a carne é a melhor da cidade! 🙂

Museus de Bruges

A caminhada pelas belas margens do canal Dijver irão revelar uma zona da cidade repleta de Museus. Mas sendo bem honesto, para apenas 2 dias em Bruges eu diria que é um desperdício passar longos períodos dentro de museus quando a maior beleza da cidade é a própria cidade. Para um roteiro de 2 dias em Bruges, caso seja apreciador de museus (como nós somos), recomendamos que você escolha somente 1 deles para visitar. Todos tem entrada paga, a partir de 12€ por pessoa (importante consultar os valores atualizados no site de cada museu).

Caminhada pelas margens do canal até os museus de Bruges

O primeiro deles é o Arentshuis, um museu com obras do século XV ao século XXI em um antigo palácio da cidade. Os jardins internos da casa, chamados de Arentshof, foram transformados em um parque – este aberto ao público. A atmosfera é tranquilidade e romantismo por conta das belas vistas do canal e das fachadas dos edifícios históricos.

Na sequência está talvez o museu mais importante nessa área da cidade: o Groeningemuseum (Museu Groeninge). Seu acervo reúne uma grande coleção de trabalhos Flamengos (Flemish) bem típicos dessa região de Flandres. A mostra reúne desde obras de artistas primitivos do estilo como Jan van Eyck até trabalhos mais contemporâneos. Por não ser muito grande e reunir algumas das obras mais relevantes e que você não encontra com facilidade fora da Bélgica, considero uma boa opção para quem escolher visitar um só museu.

Groening Museum
Groeninge Museum

Do outro lado do canal, basta cruzar a famosa Ponte Bonifacius para chegar a outro museu, o Gruuthusemuseum. Situado em um castelo do século XV às margens do canal, o Gruuthuse é um museu de história e arte aplicada em Bruges. Possui uma coleção variada de objetos históricos e arte decorativa dos séculos XIII ao XIX.

É lá também que está localizado o Sint-Janshospitaal, um antigo hospital medieval do século XII situado ao lado da Igreja de Nossa Senhora (Onze-Lieve-Vrouwekerk). Além das instalações preservadas, o local hoje funciona como um museu que reúne pinturas e objetos de arte sacra, além de uma bonita capela.

Sint-Janshospitaal
Sint-Janshospitaal

Onze-Lieve-Vrouwekerk (Igreja de Nossa Senhora)

Falando em igrejas, a Igreja de Nossa Senhora (Onze-Lieve-Vrouwekerk) é um templo de estilo gótico do século XIII. Sua torre com 115,5 metros de altura é a segunda maior torre de tijolos em todo o mundo. Além da beleza de seu exterior, seu altar conta com a única escultura de Michelangelo fora da Itália – uma Madonna com uma Criança comprada por mercadores de Bruges em 1514. A entrada na igreja custa 6€. Entretanto, quando estivemos em Bruges, a Igreja estava fechada para restauração (as fotos são do site oficial do turismo de Bruges).

Igreja de Nossa Senhora (Onze-Lieve-Vrouwekerk)
Igreja de Nossa Senhora (Onze-Lieve-Vrouwekerk)

Sint-Salvatorskathedraal (Catedral de São Salvador)

Outra linda igreja nos arredores que vale a visita é a Sint-Salvatorskathedraal. De arquitetura belíssima, a catedral fica em uma praça com jardins onde os moradores locais se reúnem nos dias ensolarados. Essa é a igreja paroquial mais antiga de Bruges (séculos XII a XV) e em seu interior possui tesouros como pinturas, tapeçarias e objetos medievais. A visita é gratuita.

Sint-Salvatorskathedraal (Catedral de São Salvador)
Sint-Salvatorskathedraal (Catedral de São Salvador)

Begijnhof (Beguinárias)

Da Catedral de São Salvador para as Beguinárias

Para o final de tarde, aproveitando a luz do dia, a dica é seguir até a Begijnhof (beguinárias), um conjunto de casinhas de fachadas brancas e clima de paz e tranquilidade emanando de seus jardins. Fundada em 1245, a Begijnhof de Bruges foi durante muitos anos o lar das beguinas – mulheres religiosas que levavam uma vida celibatária e de adoração à Deus. Atualmente, o local que foi declarado Patrimônio Mundial é habitado pelas freiras da Ordem de São Bento e por várias mulheres de Bruges que decidiram permanecer solteiras. Esse tipo de atração é bem comum em quase todas as cidades belgas, e em Bruges não é diferente.

As casas e o clima de paz e tranquilidade na Begijnhof de Bruges
As casas e o clima de paz e tranquilidade na Begijnhof de Bruges

Minnewater

Na saída da Beguinhof, já na parte sul da cidade Bruges, pertinho da estação de trem, fica o Minnewaterpark. O parque que é super arborizado, com gramados, banquinhos e caminhos utilizados para passeios e exercícios, tem ainda um belo lago chamado ‘Minnewater’ ou Lago do Amor.

Caminho até o Minnewaterpark
Caminho até o Minnewaterpark

Diz a lenda que você pode experimentar o amor eterno se você caminhar sobre a ponte do lago com o seu amado(a). A lenda nasceu do tempos dos romanos, a partir de do romance trágico de Minna e seu amor, o guerreiro Stromberg. Independente da lenda ser verdade ou não, o Lago do Amor em um local excepcionalmente romântico! Vale a pena apreciar a paisagem da ponte e ainda dar de cara com os patinhos atravessando tranquilos de uma margem à outra do lago.

Uma das atrações mais populares de Bruges são os cisnes brancos que embelezam os canais que cortam o parque. Eles costumam ficar concentrados na área chamada de Sashuis no mapa, nome que faz referência a uma antiga casa que ainda permanece na região. Quando fomos eles estavam meio confinados em uma área bem pequena do parque, por conta de uma doença das algas do canal que poderiam contaminar os pobrezinhos.

Cisnes do lago Minnewater

O Minnewaterpark é o lugar ideal para curtir o pôr do sol no seu primeiro dia em Bruges. Com o cair da noite, vale a pena caminhar de volta para a Grote Markt. A cidade de Bruges toda iluminada fica ainda mais charmosa! Aí é só escolher um bar ou restaurante e aproveitar a noite! Para quem procura uma experiência mais do que especial, nossa dica é o jantar no sofisticado Le Mystique, que por acaso era o restaurante do nosso hotel. Menu degustação, vinhos da região e uma noite inesquecível! 🙂

+ Leia mais: onde comer e beber em Bruges

Dia 2: Subida ao Campanário de Bruges e bate-volta de bicicleta até Damme

Campanário (Belfort)

Comece o segundo dia direto pelo Campanário da Grote Markt. Como o horário de funcionamento é das 9h30 às 18h, a única forma de conseguir fazer a visita sem perder horas com filas é chegando por volta de 9h. Nesse horário a maior parte dos turistas de bate-volta ainda não chegou à Bruges, e mesmo os que se hospedam na cidade ainda estarão dormindo ou no café da manhã. Fazendo dessa forma, é bem provável que na primeira leva de visitantes você já consiga fazer a subida até o alto da torre.

Mas prepare-se: para chegar até o topo, será preciso encarar os 366 degraus – com algumas paradas entre os andares para conhecer parte da história do monumento e retomar o fôlego. O carrilhão com cerca de 47 sinos também impressiona.

Campanário de Bruges: detalhes da subida até o topo
Campanário de Bruges: detalhes da subida até o topo

Do topo da torre do Campanário, que começou a ser construído em 1282 e só foi terminar em 1482, você terá uma das mais belas vistas de Bruges.

Vista do Campanário de Bruges
Vista do Campanário de Bruges

A visita completa custa 10€ por pessoa, e leva de 30 a 40 minutos (desconsiderando o tempo de espera).

Historium Brugge

Ainda na Grote Markt vale a pena considerar uma visita ao Historium Brugge, um museu bem diferente do convencional que visitamos no segundo dia, logo após a subida ao Campanário. Trata-se na verdade de uma experiência interativa através de 7 salas onde a história da Bruges Medieval vai sendo contada ao longo da visita. O legal é que o próprio Museu funciona onde no passado existia um armazém – uma das poucas construções de Bruges que não foram preservadas. Ao final da visita ainda é possível acessar uma sacada com vista livre para a Grote Markt e um bar da Duvel, tradicional cervejaria belga. O tempo total da visita é de cerca de 1 hora.

Historium Brugge
Historium Brugge

Wollestraat: rua de compras

Da Grote Markt para a Wollestraat

Se você ainda não passou pela simpática Wollestraat, essa é a hora! A principal rua comercial do centro de Bruges é repleta de lojinhas de souvenirs e de chocolates, como a Chocolatier Van Oost e a Chocolates & Happiness. Duas excelentes opções para comprar o legítimo chocolate belga.

+ Veja também: 3 lojas de chocolate em Bruges

Cervejarias de Bruges: Bourgogne des Flandres ou De Halve Maan

Bourgogne des Flandres
Bourgogne des Flandres

Se você é cervejeiro, que tal aproveitar o final da manhã para visitar uma das cervejarias de Bruges? Olha que privilégio, dentro do centro histórico de Bruges é possível escolher entre a Bourgogne des Flandres ou a De Halve Maan. Ambas oferecem tours semi-guiados de cerca de 45 minutos de duração. Nós optamos por visitar a Bourgogne des Flandres, que produz a nossa cerveja favorita de Bruges.

O que fazer em Bruges: Tour pela cervejaria Bourgogne des Flandres
O que fazer em Bruges: Tour pela cervejaria Bourgogne des Flandres

Na visita é possível conhecer todo o processo de fabricação da cerveja, em um tour bem informativo e divertido, com direito até a algumas experiências interativas. A visita custa a partir de 11€ por pessoa, e dá direito a uma cerveja no final, que pode ser retirada no bar da cervejaria. Os tours em geral acontecem de 10h até as 17h, com início de hora em hora (confira as informações no site oficial).

Damme: passeio de bicicleta com a Quasimundo Bike Tours

Após a pausa para um almoço ou lanche rápido, um passeio bem diferente e fora do lugar comum dos roteiros do que fazer em Bruges é visitar o vilarejo de Damme. Melhor ainda se for de bicicleta, como nós fizemos! Foi uma das experiências mais legais dos nossos 2 dias em Bruges! Se você curtiu a ideia, nossa sugestão é o Tour ‘Border by Bike’ da Quasimundo, empresa especializada em aluguel e passeios de bicicleta.

Tour de bike até o vilarejo de Damme
Tour de bike até o vilarejo de Damme

O tour guiado tem duração média de 4 horas e acontece todos os dias, de 13:30 até as 17:30. O preço varia em função do modelo da bike escolhida (elétrica, convencional, etc).

Tour Border By Bike da Quasimundo em Bruges

O passeio consiste em percorrer os arredores de Bruges em direção a Damme, passando por zonas fora do centro turístico. Mas repletas de atrações e cenários deslumbrantes como esse moinho, que fica na ciclovia entre Damme e Bruges no lado direto do Damse Vaart, que em português significa Canal Damse.

Se Bruges provoca encantamento por sua atmosfera medieval de conto de fadas, o trajeto até o vilarejo de Damme se destaca por nos mostrar uma Bélgica mais rústica, onde as belezas naturais se apresentam de maneira singela e ao mesmo tempo arrebatadora. Boa parte do trajeto é por estradinhas que passam em meio a plantações e criações de gado, sempre margeando canais como esse:

Na chegada ao vilarejo de Damme, uma das paradas do tour é nessa Igreja. A estrutura em arcos é preservada da antiga Igreja, demolida em 1725 para dar lugar a atual.

E se tem Igreja e tem torre, claro que dá para subir até o topo e ter uma bela vista de cima. Não sem antes encarar uma escadaria estreitíssima, daquelas que mal passa 1 pessoa por vez. Mas sempre vale o esforço! 🙂

Torre da Igreja de Damme e a vista de cima
Torre da Igreja de Damme e a vista de cima

Outro trecho apaixonante do passeio de bicicleta é a parada para conhecer a praça principal de Damme, que também é muito bonitinha.

Markt, a praça principal de Damme
Markt, a praça principal de Damme

Dentro das 4 horas do passeio, ainda tem uma pausa em um café/bar local para descansar e tomar uma água – no nosso caso, uma cerveja local (custos por conta de cada um). O detalhe é que o café fica de frente para esse espetáculo de canal, com direito a moinho ao fundo. Paisagem de filme!

O tour como um todo exige um preparo físico moderado, mas não precisa ser nenhum atleta pra fazer. Do ponto de vista de canais e natureza, o visual consegue ser mais bonito do que em Bruges. Recomendadíssimo!

Final de tarde em Bruges

A chegada de volta a Bruges é por volta das 17:30. Dependendo da época do ano, isso significa que pode estar anoitecendo (outono, por exemplo) ou pode estar sol a pino (verão). Independente disso, recomendo deixar as últimas horinhas em Bruges livres para se perder um pouco mais pelas ruas, revisitar algo que achou incrível, parar em um café para um bom chocolate quente ou mesmo visitar um bar para curtir as cervejas locais em uma das cidades mais encantadoras da Bélgica.

Esperamos ter ajudado no seu planejamento para saber o que fazer em Bruges. Se curtiu as dicas do nosso roteiro de 2 dias em Bruges, deixa seu comentário aqui no final do post! 🙂


Onde comer em Bruges?

Como toda cidade turística, Bruges reúne variadas opções gastronômicas para todos os gostos. Reunimos aqui algumas dicas de lugares onde fomos e aprovamos:
Grand Kaffee “De Passage”: Para comer comida típica da Bélgica, com preços justos e ambiente animado.
Grillkasteeltje Brugge: O nome é impronunciável (se diz algo como “grilcastiltche”. Mas a carne, legítimo corte de Belgian Blue, é a melhor da cidade. Pequeno e intimista (ideal tentar reservar).
Le Mystique: Restaurante de Chef, para uma experiência mais refinada e sofisticada. Menu com passos harmonizado com vinhos selecionados.
Brasserie Bourgogne des Flandres: O bar da cerveja que na nossa opinião é a melhor de Bruges, a Bourgogne des Flandres.
MariLoup: Para fugir um pouquinho da zona mais turística, o Mariloup é daquelas joias frequentadas só por locais. No cardápio, um mix de cozinha tailandesa e pratos típicos belgas.
The Old Chocolate House, Chocolatier Van Oost ou Chocolates & Happiness: Para mergulhar no autêntico chocolate belga, 3 locais que visitamos e adoramos. Produção artesanal e qualidade bem superior a das lojas turísticas.

+ Leia mais em: Onde comer e beber em Bruges

Reserve online os passeios e atrações em Bruxelas

Consulte e reserve passeios e entradas de atrações no Get Your Guide, uma das maiores e mais confiáveis plataformas de ofertas turísticas do mundo. Eles estão presentes nas maiores cidades e reúnem profissionais e empresas qualificadas que oferecem os mais variados tipos de passeios e serviços turísticos. Nós já usamos e recomendamos. Dá só uma olhada: 


E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Europa. A empresa de seguros que a gente sempre usa e recomenda é a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem e apresenta sempre a opção com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: leitor do Viajar é Demais tem desconto, basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Viajar é Demais