Onde ficar em Bogotá: dicas de hotéis e melhores bairros da capital colombiana

Onde ficar em Bogotá: dicas de hotéis e melhores bairros da capital colombiana

Apesar de ser a capital da Colômbia, Bogotá normalmente não figura entre as cidades mais procuradas pelos viajantes brasileiros. Para muitos, quando se trata de Colômbia, a cidade acaba servindo apenas como porta de chegada e partida para os principais destinos turísticos do país: as cidades litorâneas de Cartagena de Índias e San Andrés. Percebemos isso pessoalmente pela dificuldade que tivemos em encontrar informações para planejar nossa viagem. Desde o que fazer na cidade até as melhores regiões para ficar hospedado em Bogotá.

Por isso, depois de conhecer Bogotá, a gente reuniu nesse artigo algumas impressões sobre os melhores bairros da cidade. Além disso, separamos algumas dicas de hotéis para você se hospedar na capital da Colômbia.

Leia também:
O que fazer em Bogotá: roteiro de 3 dias
Onde comer em Bogotá
Como ir de Bogotá até a Catedral de Sal de Zipaquirá
Compras na Colômbia: 10 sugestões de presentes de viagem
O que fazer em Cartagena: roteiro para 2 ou 3 dias

Bogotá: cidade grande e com bastante trânsito

Pra começar: você sabia que Bogotá é uma cidade gigante, sendo inclusive, maior do que São Paulo em extensão? E com uma população total de mais de 8 milhões de habitantes? Pois é, associado a extensão geográfica e a grande população está o trânsito bastante complicado, até mesmo mais difícil do que nas grandes capitais brasileiras.

E pode piorar: Bogotá não conta com metrô (ainda está na fase de projeto) e tudo precisa ser feito de ônibus ou carro. O sistema de ônibus de Bogotá (chamado de TransMilenio) é até bem eficiente e projetado. Mas quase sempre os ônibus circulam lotadíssimos! A melhor opção acaba sendo táxi ou Uber (que para nossa sorte são incrivelmente baratos).

De qualquer forma, o trânsito e as longas distâncias necessárias para conhecer as diferentes regiões da cidade nos surpreenderam nos primeiros dias de Colômbia. Tudo é longe em Bogotá! De um extremo ao outro da cidade, você vai levar quase 1 hora com o trânsito “normal”. É bom estar informado (e preparado) para tentar escolher a região mais indicada para se hospedar e minimizar a necessidade de deslocamentos.

Ruas bem planejadas: ‘calles’ e ‘carreras’ numeradas

Se o trânsito era pior do que esperávamos, a surpresa boa foi a estrutura de planejamento das ruas da cidade. Ao invés de nomes, as ruas são numeradas, e dividem-sem em “calle” ou “carrera”. “Calle” é o nome dado para as ruas horizontais (que cortam a cidade de Leste a Oeste) e “Carrera” é o nome dado para as ruas verticais (que cortam a cidade do Sul até o Norte). As “calles” começam pelo número 1 no extremo sul da cidade e quanto mais para o Norte, mais alta é a numeração. Da mesma forma as “carreras” começam pelo número 1 e vão aumentando a numeração em direção ao Oeste.

Mapa de Bogotá: exemplo das calles e calleras numeradas
Mapa de Bogotá: exemplo das calles e carreras numeradas

Asim fica bem fácil se localizar no mapa, ao ponto de, depois de um tempo a gente já conseguir “imaginar” uma determinada localização no mapa só de saber o endereço. 🙂 De um modo geral, quanto mais ao norte de Bogotá, mais nobre será a localização. Isso não significa necessariamente uma localização “melhor” – grande parte das atrações mais turísticas ficam ao sul da cidade – mas se reflete no perfil (e no preço) dos imóveis, dos restaurantes e das lojas de cada região.

Segurança em Bogotá

A segurança foi outro ponto que nos surpreendeu positivamente. Por mais que a gente tente se desvencilhar dos estereótipos, infelizmente fomos bombardeados durante os anos 80 e 90 com notícias sobre violência e o domínio do narcotraficantes por toda a Colômbia. Mais recentemente, série de TV como “Narcos” ajudaram ainda mais a “romantizar” uma época dominada pela violência que felizmente não existe mais.

Mesmo sabendo que a situação atual do país era bem diferente, ainda assim ficamos bem impressionados com o quão segura é a cidade de Bogotá. Mais do que isso, a “sensação de segurança” era tanta que andávamos com o smartphone na mão tirando fotos de maneira muito mais natural do que faríamos no Rio de Janeiro ou em São Paulo. Mas é evidente que, como em toda grande metrópole, os cuidados básicos devem sempre ser tomados. Claro que existem regiões mais seguras do que outras, e consideramos também esse fator na hora de indicar onde ficar em Bogotá.

Onde ficar em Bogotá: dicas de hotéis e melhores bairros

Tomando como base o mapa da cidade, vamos indicar de baixo para cima (do sul para o norte) os bairros e regiões mais indicadas para quem quer conhecer o melhor de Bogotá. Sempre com dicas de bons hotéis para curtir ao máximo a sua viagem. Não definimos uma localização “melhor” ou “pior” – tudo depende do seu perfil de viajante, do que gosta de fazer, o que quer visitar, etc. Vamos a lista! 🙂

1. La Candelaria (onde ficar em Bogotá)

É a região que corresponde ao centro histórico de Bogotá. Em La Candelaria você estará próximo das principais atrações turísticas da cidade, como o teleférico de Monserrate, a Plaza Bolívar, o Chorro de Quevedo e de museus como o Botero, del Oro e Casa da Moeda.

Booking.com

Além disso, as construções antigas com sua arquitetura em estilo colonial dão um charme todo especial a região. O simples ato de caminhar pelas ruas de La Candelaria já é uma das atrações obrigatórias de Bogotá.

Onde ficar em Bogotá: La Candelaria
Onde ficar em Bogotá: La Candelaria

Hospedar-se nessa região é ideal para quem curte fazer tudo a pé ou para quem vai ficar pouco tempo em Bogotá e deseja conhecer o máximo possível. Achamos a região bem segura durante o dia, e um pouco mais deserta a noite, como todo centro de cidade. Por ser uma área turística, é sempre bom ficar atento a batedores de carteira.

La Candelaria concentra alguns hotéis e principalmente hostels a preços bem acessíveis, mas sem muito luxo. Entre as recomendações, o ótimo e barato The Candelaria House (super bem localizado e que superou nossas expectativas) e o charmoso Hotel Casa Deco com seu inconfundível estilo colonial.

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis em La Candelaria, Bogotá

2. La Macarena (onde ficar em Bogotá)

O pequeno bairro de La Macarena fica “escondido” entre as montanhas de quase 3500 metros de altitude (a direita no mapa) e os imponentes edifícios empresariais do bairro vizinho, o chamado Centro Internacional. As inúmeras ladeiras, as casas coloridas e os ateliers de artistas locais atribuem charme e personalidade própria ao bairro. Dadas as devidas proporções, dá pra dizer que é uma mistura do clima de Santa Teresa (RJ) com Montmartre (Paris) e Olinda (PE). Deu pra imaginar? Rsrsrs

Booking.com

Além de ainda estar bem pertinho do centro histórico, próximo a La Macarena estão atrações como o Parque de la Independencia, o Planetário , o MAMBO (Museu de Arte Moderna), o Museu Nacional e a antiga Plaza de Toros.

Onde ficar em Bogotá: La Macarena
Onde ficar em Bogotá: La Macarena

A cena gastronômica revitalizada atraiu cafés e restaurantes para o bairro – alguns dos melhores que visitamos em Bogotá ficavam em La Macarena. É o caso do aconchegante Santa Fé Restaurante, com pratos típicos da culinária colombiana; ou da cozinha de autor do Leo Cocina y Cava, que nos apresentou um menu degustação sofisticado e ao mesmo tempo recheado de iguarias locais – um verdadeiro tour gastronômico pelas diversas regiões do país.

Leia também: Onde comer em Bogotá

Apesar de ser uma região bem agradável, infelizmente são poucas as opções de hotel. Se o foco é o bom custo-benefício, o Hotel Ibis Bogota Museo oferece o “padrão Ibis de qualidade” a preços bem convidativos. Uma opção mais sofisticada é o 5 estrelas Hotel Tequendama Bogotá, que conta inclusive com um heliporto em sua cobertura. A gente não chegou a usar o heliporto, mas vai que você precisa, né? 🙂

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis próximos à La Macarena, em Bogotá

3. Chapinero | entre as Calles 66 e 76 (onde ficar em Bogotá)

Chapinero é uma macro região que engloba vários micro bairros de Bogotá, ou seja, uma mistura de áreas bem agradáveis com outras não tão interessantes. Especialmente no trecho que fica entre as “Calles” 66 e 76, achamos o bairro bem agradável, seguro e com um ar “residencial”. O lado bom é que vimos uma grande concentração de comércio de rua, supermercados, farmácias, etc. Uma região com cara de “Bogotá da vida real”.

Booking.com

Apesar de não contar com grandes atrações ou monumentos turísticos, a região fica estrategicamente localizada, bem na metade do caminho do centro histórico até o bairro de Usaquén, mais ao norte (falaremos dele mais adiante). Hospedando-se por aqui, é possível se programar para não precisar ir no mesmo dia de um extremo ao outro da cidade.

Além da localização e do clima mais residencial, talvez o maior atrativo de se hospedar em Chapinero seja o custo benefício. Sim, os hotéis e os restaurantes nessa região costumam ser mais em conta do que no norte de Bogotá (os bairros mais nobres) e até mesmo do que em La Candelaria, que concentra as atrações principais e consequentemente, muitos turistas.

Para comer, você encontrará opções super tradicionais como o Guerrero – Compañía de Sándwiches (hamburguer bom, sem frescura, bem servido e barato) ou o Restaurante El Boliche, especializado em massas e milanesas que também segue a linha “bom e barato”. Entre as opções mais sofisticadas, recomendo para o café da tarde a Pâtisserie Bealé – de clara inspiração nas confeitarias francesas. Para o jantar, o excelente El Chato – que a despeito do curioso nome, conta com uma equipe pra lá de simpática e que certamente figura no nosso top 3 de restaurantes em Bogotá. 

Entre os hotéis, o Villar America é indicado para quem procura bom custo-benefício. Os quartos são amplos e contam inclusive com cozinha completa! Outra opção certeira é o internacional e sempre excelente Hilton Bogotá. Bom, é um Hilton, não precisa falar mais nada, né? 🙂

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis em Chapinero, Bogotá

4. Zona Rosa/Zona T (onde ficar em Bogotá)

Não sei se a Zona Rosa/Zona T pode ser considerada um “bairro” de Bogotá (para o Google Maps não). Já que não tem no mapa, a explicação vai por escrito: a Zona Rosa fica localizada ao norte da cidade, entre as ruas 79 e 85 e as Carreras 11 e 15. Já a Zona T é uma área fechada ao trânsito dentro da Zona Rosa, englobando a Calle 82, entre as Carreras 12 e 13.

Booking.com

Aqui ficam concentrados alguns dos melhores cafés, bares, restaurantes e lojas de grifes famosas de Bogotá, além da maior parte dos grandes shoppings da cidade. Nem precisa falar que os pontos fortes da região são compras e a agitada vida noturna, né? Mas esteja preparado para gastar, já que é uma das regiões mais valorizadas de Bogotá.

Toda a região e seu entorno são muito limpos e trazem bastante segurança para o turista. Ao mesmo tempo, pode ter um certo ar de “artificialidade”, um clima de “shopping a céu aberto” que nem todo mundo gosta.

Dentre as poucas opções de hotéis, recomendamos o GHL Hotel Hamilton (bem no coração da Zona Rosa) ou o Sofitel Bogotá Victoria Regia.

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis na Zona Rosa/Zona T, em Bogotá

5. Chicó / Parque de la 93 (onde ficar em Bogotá)

Logo acima da Zona Rosa fica o pequeno bairro “Chicó”, onde se localiza o Parque 93 ou “Parque de la 93”, um dos novos polos gastronômicos de Bogotá. Abandonada até o início dos anos 90, a região no entorno do parque passou por um imenso processo de revitalização motivado pelos próprios moradores locais. Hoje é uma das zonas mais nobres e movimentadas de toda a cidade, misturando áreas comerciais e residenciais, supermercados, comércio de rua, além de boas opções de bares, cafés e restaurantes.

Booking.com

Ao redor do parque você encontrará por exemplo o bar da Bogotá Beer Company, a maior cervejaria artesanal da cidade. Os preços são bons e o local vive abarrotado de gente, mas vale a pena! Para o almoço, uma ótima pedida é o Tremenda Sal y Dulce, que mistura culinária internacional com ingredientes típicos da Colômbia.

A região é de fato muito limpa, moderna e segura, e a grande concentração de hotéis de boa qualidade ajuda na atração de turistas. Para quem curte o estilo apart hotel, o 93 Luxury Suites & Residences oferece quartos excelentes, luxuosos e super confortáveis a preços bem acessíveis. Ainda nos arredores fica o não menos sensacional Hotel Movich Chico 97, um 5 estrelas cujo café da manhã típico nos deixa saudades até hoje… 🙂

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis em Chicó / Parque de la 93, Bogotá

6. Usaquén (onde ficar em Bogotá)

Em nossa lista, Usaquén é o bairro mais ao norte de Bogotá. Para começar logo pelo ponto negativo: sim, a região fica distante do centro e das atrações turísticas mais conhecidas. Grandes deslocamentos de táxi/uber ou ônibus serão necessários – mas lembre-se que o transporte em Bogotá é barato.

Booking.com

Agora, vamos para o lado bom: Usaquén é um dos bairros mais charmosos de Bogotá. Até o início do século 20 a região concentrava grandes fazendas e casarões coloniais, e muito dessa arquitetura foi preservada. O resultado é que atualmente o bairro mistura o moderno e o colonial, e vem se tornando um polo cultural. Atrai não só os turistas mas principalmente os locais.

A mais famosa atração do bairro é o Mercado de Pulgas de Usaquén, que acontece todos os domingos nos arredores do Parque de Usaquén, a pracinha central. Nela fica outra atração local, a Igreja de Santa Bárbara (construída no século XVII). Ainda aos domingos, quem curte um passeio de bike pode aproveitar a Ciclovia de Bogotá. A Carrera 7 é fechada para os carros e é transformada em uma enorme ciclofaixa que corta toda a cidade, de norte a sul.

Onde ficar em Bogotá: Usaquen
Onde ficar em Bogotá: Usaquen

O bairro também se destaca na gastronomia, e opções não faltam, de cafés a restaurantes gourmet. Para quem curte café e quiser uma rápida imersão na variedade de estilos da produção local, não deixe de ir ao Catación Pública. Além de cursos (para quem dispõe de mais tempo), o local serve cafés de todas as regiões do país, e você ainda escolhe o método de preparo (prensa francesa, alemã, tradicional, etc). Na mesma rua, há poucos metros, fica a simpática Nova Pastelaria, com ótimas opções para o brunch dominical (não deixe de experimentar a “água de panela”, bebida típica a base de rapadura). Entre os restaurantes, o imperdível La Provence de Andrei traz o melhor da culinária francesa – sempre com um toque colombiano, é claro. Um dos melhores de toda a viagem.

Curtiu o clima do bairro? Com muitas opções de hotéis de luxo e executivos, destaque para o Biohotel Organic Suites e o Sonesta Hotel Bogotá.

+ Veja a lista completa com os melhores hotéis em Usaquén, Bogotá

Gostou das dicas de onde ficar em Bogotá? Se ainda restou alguma dúvida, é só enviar um comentário que responderemos o mais breve possível. Boa viagem e até a próxima!

Não esqueça de garantir o seguro viagem:

Agora que já tem todas as informações para decidir onde ficar em Bogotá, não esqueça do seguro viagem! Geralmente a gente faz seguro viagem torcendo pra não usar, né? Mas por experiência própria: quando precisamos de fato do seguro viagem, a experiência com a Seguros Promo foi muito positiva. Em uma viagem para a Argentina meu pai apresentou um problema de saúde e foi preciso levá-lo para exames mais detalhados em um hospital. Bastou ligar para o número de telefone indicado (atendimento imediato e todo em português). Conseguimos a liberação para a internação e os exames, sem pagar nada e sem burocracia. Além disso, o site é fácil de usar e os preços são imbatíveis.

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários
  • Olá, adorei sua pagina! Realmente nao acho mt informaçao sobre Bogota e as suas estao sendo muito uteis.
    Preciso de uma informacao mais exata que nao achei no site. A The Candelaria House tem cheiro de mofo por ser uma casa antiga? Sou bem alergica, gostei do lugar e localizacao, mas se tiver aquele cheirinho de velho no ar, acho que nao poderei me hospedar la…
    Desde ja agradeco.

    • Olá Andrea, desculpe a demora em responder. Estávamos em outra viagem, dessa vez pelos mercados de Natal da Europa. 🙂
      Sobre a sua pergunta, sinceramente, não reparamos se havia cheiro de mofo (ou seja, não sentimos). Mas claro que isso varia (possivelmente quartos diferentes podem oferecer experiências diferentes nessa questão do mofo). O que dá pra afirmar é que na nossa experiência pessoal isso não impactou. Mas talvez valha pesquisar entre opções de hotéis mais novos, para evitar qq problema (recomendamos alguns no post). Um abraço!

Viajar é Demais