Sainte Chapelle, em Paris: como é a visita à capela real e seus vitrais
Sainte-Chapelle e seus vitrais

Sainte Chapelle, em Paris: como é a visita à capela real e seus vitrais

Considerada por muitos como a igreja mais bonita da cidade, a Sainte-Chapelle por vezes é deixada de lado nos roteiros mais apressados para conhecer Paris. Erradamente, na nossa opinião. Com fácil acesso, entrada barata e próxima a outras atrações de visita obrigatória, não há razões para deixar a lindíssima Sainte-Chapelle e seus vitrais de fora da sua viagem por Paris.

Sainte-Chapelle e seus vitrais
Sainte-Chapelle e seus vitrais

Nesse post, reunimos todas as informações sobre como é a visita a Sainte-Chapelle: breve histórico, como chegar, quanto custa e um relato pessoal com nossas impressões sobre a capela gótica de Paris.

Breve história sobre a Sainte-Chapelle

“Uma joia radiante do estilo gótico”. Assim começa a descrição no site oficial da Sainte-Chapelle a respeito dessa igreja em estilo gótico construída entre os anos de 1242 e 1248 (em apenas 7 anos, tempo recorde para a época). Originalmente, sua função seria a de abrigar preciosas relíquias da Paixão de Cristo compradas pelo então Rei Luís XV – como por exemplo a Coroa de espinhos de Cristo e um pedaço da santa Cruz.

O projeto do santuário contemplava dois andares. No andar superior funcionava a capela cujo acesso era restrito a Reis, familiares e pessoas indicadas pelo Rei – não por acaso, era aí que ficavam expostas as relíquias sagradas. Para conseguir um ambiente com muita luz e com ares celestiais, foram construídas enormes janelas – 15 no total, cada uma com 15 metros de altura. Para recobri-las, vitrais imensos que recontam 1113 cenas do Antigo e do Novo Testamentos, indo desde a história da criação do mundo até a chegada das relíquias em Paris.

Já a capela inferior é muito mais discreta, com poucos vitrais e consequentemente menos iluminação. Esse andar era destinado ao culto das pessoas que trabalhavam nos palácios reais e não podiam ter acesso ao andar superior.

Vale destacar que construção da Igreja com uma base tão grande em vitrais é algo bem peculiar – nessas proporções, eu diria que algo único no mundo. Se impressionam por suas dimensões, a beleza dos vitrais é tão ou mais impressionante. Surpreende também que tal estrutura tenha se preservado com o passar dos anos, ao longo de tantas invasões, revoluções e guerras. Ao que se sabe, durante a Revolução Francesa a capela superior foi utilizada como escritório administrativo. Assim, os vitrais foram “protegidos” por armários que tapavam sua superfície, evitando vandalismos como os que aconteceram com muitas das relíquias ali presentes.

Curiosamente, apesar de sua função original de ser um enorme relicário, hoje a Sainte-Chapelle não guarda mais nenhuma dessas relíquias. Ao invés disso, ela é que se tornou uma relíquia de Paris e do mundo. Atualmente, ela é mantida e preservada pelo Centre des Monuments Nationaux (@lecmn).

Como visitar a Sainte-Chapelle

Quanto custa?

Para visitar a Sainte-Chapelle é possível adquirir o ingresso na hora (encarando uma fila adicional) ou comprar antecipadamente pela internet e pegar somente a fila para entrar. Em ambos os casos, a entrada custa a partir de €10 por pessoa. Para adquirir seu ingresso antecipado, acesse:

+ Sainte-Chapelle: Ingresso Sem Fila e Tour Autoguiado (preços a partir de €10)

Existe também uma modalidade de ingresso combinado para quem deseja visitar no mesmo dia a Sainte-Chapelle e a Conciergerie (antigo Palácio da Cidade, que foi residência e sede do poder real francês do século X ao século XIV e que serviu de prisão para Maria Antonieta durante a revolução francesa). O ticket combinado custa a partir de €15 por pessoa – uma economia de €4 em relação a compra dos ingressos individuais. Para adquirir o ingresso combinado, acesse:

+ Ingresso Combinado Sem Fila Sainte-Chapelle e Conciergerie (preços a partir de €15)

E se você possui o Paris Museum Pass, a boa notícia é que tanto a Sainte-Chapelle quanto a Conciergerie estão inclusas no passe. \o/ Não sabe o que é o Paris Museum Pass? Então acesse nosso post completo com todas as dicas sobre o passe.

Para adquirir agora o seu Paris Museum Pass, acesse:

Paris Museum Pass: 2,4 ou 6 dias (preços a partir de €48)

Como chegar?

Sainte-Chapelle fica localizada na Île de la Cité, bem próxima a outras atrações de Paris como a Conciergerie, o Quartier Latin e a Catedral de Notre Dame.

Para quem vai de metrô, a estação “Cité” da linha 4 é a que deixa mais perto. De ônibus, é recomendável pegar as linhas 21, 27, 38, 85 ou 96.

Horário de Funcionamento

De outubro a março a Sainte-Chapelle abre diariamente para visitas das 9h00 até as 17h00. Entre abril e setembro, o horário de funcionamento vai das 9h00 até as 19h00 por conta do período do ano em que os dias são mais longos. A última entrada acontece até 30 minutos antes do horário de encerramento. Consulte sempre o site oficial para conferir o funcionamento em feriados.

É recomendado no site oficial que a visita seja feita pela manhã, mas já fomos na parte da tarde e não tivemos problemas.

Nossa experiência na Sainte-Chapelle

Chegamos por volta de 17h30 para a visita. Logo na entrada, o guichê se divide em 2: um lado é para a bilheteria, ou seja, quem ainda vai adquirir os tickets; o outro lado é para quem já possui as entradas, seja o voucher impresso (para quem comprou pela internet), seja para quem possui o cartão Paris Museum Pass (nesse caso, basta apresentá-lo na entrada).

Para dar uma noção, a fila da bilheteria tinha cerca de 10 pessoas; já na fila de controle de entradas (para quem já tinha ingresso, o que era o nosso caso) eu era o 6º. Lembrando que quem compra os ingressos na bilheteria depois ainda precisa ir para a fila de controle de entradas (ou seja, pega as 2 filas). Não é tanto tempo, mas eu sou da opinião que ganhar 10 minutos em Paris já é algo valioso! Rsrsrs

Fila de entrada para a Sainta-Chapelle
Fila de entrada para a Sainta-Chapelle

A visita se inicia pela capela inferior. Como contamos antes, essa era a parte destinada às pessoas “comuns”. Por isso, é muito mais discreta, eu diria que bem pouco suntuosa. No teto colorido são representados os 12 apóstolos em 12 medalhões. Nas janelas, pequenos vitrais ao redor de uma estátua de Luis IX. A decoração predominantemente vermelha e azul reproduz o estilo medieval original.

Capela inferior da Sainte-Chapelle
Capela inferior da Sainte-Chapelle

Próximo a escada que leva à capela superior ficam pequenos stands com oferta de livretos e lembrancinhas da capela, em um estilo meio lojinha mesmo. As pessoas costumam se aglomerar por ali e travar o fluxo para a escada, mas é só ter um pouco de paciência.

Para um desavisado que esteja visitando a Sainte-Chapelle, a primeira impressão da capela de baixo pode gerar uma sensação de “tá, mas eu paguei pra ver só isso?”. De fato esse andar não é muito impressionante – lembrando que estamos em Paris, onde cada esquina rende uma foto.

Mas essa impressão certamente desaparece ao subir as escadas e chegar à capela do andar superior. Aqui você entende que está num lugar projetado e construído para ser um relicário sagrado. A decoração é suntuosa, repleta de esculturas e dos imensos e impressionantes vitrais que percorrem toda a estrutura da capela deixando pouco espaço para as paredes, inundando seu interior com luzes e cores únicas.

Sainte Chapelle - capela superior, destinada aos reis e às relíquias sagradas
Sainte Chapelle – capela superior, destinada aos reis e às relíquias sagradas

É impossível não se juntar a horda de visitantes embasbacados com tanta beleza e riqueza de detalhes, percorrendo com o olhar as paredes e seus 15 vitrais retratando as cenas do Antigo e Novo testamentos. Já visitamos muitas igrejas pela Europa, mas em nenhuma delas a proporção de vitrais é tão grande. Impossível não se admirar com o visual e a atmosfera da Sainte-Chapelle.

Sainte-Chapelle: capela superior
Sainte-Chapelle: capela superior

A visita da Sainte-Chapelle é feita de maneira “autoguiada”, ou seja, você controla o que quer ver e quanto tempo quer permanecer por lá. Ao todo levamos cerca de 40 minutos para fazer toda a visita.

Vale a pena visitar a Sainte-Chapelle em Paris?

Muita gente pergunta se “vale a pena visitar a Sainte-Chapelle?”. Nossa opinião é que se você gosta desse tipo de atração, vale muito a pena. É uma das atrações mais baratas de Paris e fica pertinho da Notre-Dame e da Île de la Cité – região que você certamente irá visitar em uma viagem por Paris. A visita em si é rápida, as filas não são absurdas e o interior repleto de vitrais é algo único mesmo nas mais belas Catedrais góticas. Para nós, sem dúvida é uma das visitas imperdíveis e obrigatórias, especialmente na primeira vez em Paris.

Já sabe onde se hospedar em Paris?

Não deixe para a última hora! Que tal pesquisar agora pelo hotel ou apartamento ideal em Paris? Faça agora mesmo uma pesquisa com descontos incríveis pelo Booking, o maior site de hospedagem em todo o mundo!

Se você prefere o conforto e a comodidade de um hotel, temos uma lista de sugestões com boa localização e preços imbatíveis:

+ Encontre seu hotel ideal em Paris

Se você prefere a liberdade de ficar em um apartamento, aqui vai uma lista com as melhores opções em Paris:

+ Encontre um apartamento para se hospedar em Paris

E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Europa. A empresa de seguros que a gente sempre usa e recomenda é a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem e apresenta sempre a opção com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: quem é leitor do Viajar é Demais tem desconto exclusivo: basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.


* agradecemos ao Centre des Monuments Nationaux (@lecmn) por nos convidar para a visita a Sainte-Chapelle de Paris

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Viajar é Demais