20 de outubro de 2017

Visitando Giverny e os Jardins de Monet a partir de Paris, na França

Um dos passeios de meio dia ou de dia inteiro mais procurados nos arredores de Paris é a visita a pequena comuna de Giverny, a 75 km da capital francesa. Não tanto pelo vilarejo (que é até simpático mas super pequeno), e sim pela visita aos jardins da casa onde morou o pintor impressionista  Claude Monet.

O local, que hoje funciona em um misto de museu e fundação, recebe visitas diariamente das 9h30 às 18h entre o início de abril e o fim de outubro (fecha no período mais frio do ano, de novembro até o fim de março). Mas o que torna a visita tão interessante não é somente o fato do pintor ter morado por lá de 1883 até a sua morte em 1926. O diferencial é que grande parte das obras de Monet foram pintadas exatamente enquanto vivia nessa casa. Em todas elas, o pintor reproduzia parte de sua rotina, pessoas do seu convívio e, principalmente, os belos jardins que ele próprio cultivou e que aparecem de maneira tão recorrente em sua obra. Mais do que conhecer um espaço físico, a visita permite entrar no âmago do trabalho de um dos mais importantes artistas de todos os tempos.

Como visitar os jardins da casa de Monet em Giverny?

Existem basicamente 2 maneiras de fazer a visita: indo por conta própria ou comprando a excursão com alguma agência.

1ª opção: Indo de Paris a Giverny por conta própria

A primeira maneira é ir por conta própria, pegando trem de Paris até a cidade de Vernon e de lá pegar um ônibus que faz o restante do trajeto até Giverny. Nesse caso, você precisará comprar todas passagens e os ingressos para os jardins de Monet por conta própria, de acordo com o passo a passo abaixo:

1) Ir do seu hotel ou apartamento até a Gare St Lazare (4€ ida e volta de passagem de metrô);

2) Pegar o trem de Paris até a cidade de Vernon (vizinha a Giverny), que leva de 45 a 50 minutos em seu trajeto e sai de 2h em 2h (comprando os tickets antecipadamente pela internet é possível achar trechos a partir de de 9€ por pessoa no site da SNCF. Comprando no dia certamente custará mais de 15€ cada trecho.)

3) Pegar um ônibus que sai da própria gare de Vernon até Giverny (7km de distância ou 10 minutos de trajeto): 10€ ida e volta por pessoa

4) Encarar uma fila para comprar o ingresso para a visita aos jardins da casa de Monet (ou comprar online antecipadamente): 10,50€ por pessoa

5) Essa é opcional, mas você ainda desejar fazer uma visita ao MDIG (Musée des Impressionnismes Giverny) e completar a imersão no tema do impressionismo, são outros 7€ por pessoa. O museu fica bem pertinho da casa do Monet e é um bom complemento ao passeio.

No fim das contas, indo no esquema mais barato de todos e comprando tudo com a maior antecedência possível, você vai gastar a partir de 42,50€ por pessoa ou 49,50€ (se incluir ainda a visita ao MDIG) e levará no total de 1h30 a 2h00 de deslocamento em cada trecho de Paris a Giverny.

2ª opção: Ir com uma excursão de agência

A outra opção é ir em uma excursão oferecida por alguma agência. Nós optamos pela Paris City Vision, uma das maiores empresas de passeios turísticos em Paris. Por valores a partir de 60€ por pessoa, a Paris City Vision vai te buscar no hotel e te leva diretamente até a porta dos jardins da casa de Monet em um ônibus ou mini-ônibus climatizado, com motorista/guia que fala português. E você ainda vai poder entrar sem filas! O tempo de cada deslocamento fica por volta de 45 minutos, e o total do passeio varia de 4h a 5h – mais do que suficiente para fazer toda a visita não só a casa e aos jardins, mas também ao museu do impressionismo e ainda caminhar pelas ruas do pequeno vilarejo.

No site da Paris City Vision existem várias opções para fazer esse passeio a Giverny, com algumas diferenças entre elas (incluindo opções que juntam Giverny e Versailles na mesma visita). As 3 mais diretamente focadas na visita a Giverny e aos jardins de Monet são:

Nós fizemos a 3ª opção, e vamos contar como foi nossa experiência.

pagina inicial Pariscityvision

Visita de Giverny em grupo pequeno: casa de Claude Monet e seus jardins

Em primeiro lugar, todo o processo de escolha do passeio e reserva foi feito diretamente do Brasil pelo site da Paris City Vision. Definimos que a visita seria feita na parte da tarde, de 13h30 às 18h00, e recebemos um voucher por email com todas as informações e um telefone para contato. Nesse voucher eles pedem pra você telefonar no dia anterior ao passeio para confirmar todas as informações, mas nós fizemos tudo diretamente por email e funcionou muito bem, nem precisei telefonar. 🙂

No dia marcado, nos buscaram em uma van/mini-ônibus em nosso hotel, o West End. Como o hotel ficava pertinho do Arco do Triunfo e consequentemente da saída da cidade em direção a Giverny, fomos os últimos a serem “buscados”, mas já haviam outras 4 pessoas na van (todos americanos). O veículo era bem confortável, conservado, com cintos de segurança, ar condicionado, tudo certinho.

Durante o trajeto, o motorista/guia passava algumas informações sobre o passeio, sempre falando em inglês e também em português só por nossa causa! Rsrsrs. Era um português de Portugal, mas super fluente e tranquilo de entender. 🙂

A medida em que vai se aproximando de Giverny o trajeto fica mais bonito, cruzando por algumas pastagens e até alguns vilarejos minúsculos. Em cerca de 40 minutos chegamos a cidade. O motorista estacionou o carro em um estacionamento que fica a uns 100m ou 200m da entrada da casa do Monet, e nos levou até lá para entrarmos diretamente, sem filas. Nesse momento ele nos entregou os ingressos para a visita aos jardins e a casa, e também os ingressos para o Museu do Impressionismo.

A partir daí a visita é inteiramente livre, e tínhamos no total cerca de 3h para “gastar” como quiséssemos. Você mesmo pode montar seu itinerário, não precisa ficar seguindo um guia e fazendo as coisas no ritmo dos outros. \o/

Jardins de Monet

O trajeto recomendado é começar a visita pelos jardins da casa. Prepare-se: é um local turístico, e sempre vai estar com muita gente. Ainda mais em uma bela tarde de verão como na ocasião da nossa visita. Respire fundo, aproveite e deixe-de lado a ideia de tirar fotos perfeitas onde só você aparece. Rsrsrs

Esse momento da visita se divide basicamente em 2 partes: o jardim das águas (onde fica o lago, as pontes, o barquinho, os chorões e as famosas ninfeias) e o jardim das flores, que é acessado por uma passagem subterrânea.

 

Giverny e os Jardins de Monet

Giverny e os Jardins de Monet: Jardins das águas


Giverny e os Jardins de Monet

Giverny e os Jardins de Monet: Jardins das Flores

Em vários momentos, somos surpreendidos pela beleza dos jardins, de suas flores e das lembranças das obras de Monet que fazem referências a cada detalhe do lugar.

A Casa de Monet

O segundo momento da visita é a casa onde viveu Claude Monet. Além da beleza da arquitetura da própria casa, seu interior reúne parte de suas obras e reconstituições de alguns cômodos (cozinha, quarto do pintor, atelier de pintura, etc). A casa também fica constantemente lotada e tem que andar naquele esquema de “fila indiana”, um de cada vez. Mas vale a visita, e não leva muito tempo.

Giverny e os Jardins de Monet

Giverny e os Jardins de Monet: Casa do Monet

Passeio pela comuna de Giverny

Terminamos a visita com cerca de 1 hora de sobra, e aproveitamos o tempo para caminhar pela rua principal (ou poderia dizer única rua) de Giverny em direção a uma igrejinha que fica no final dessa rua. Em 30 minutos é possível caminhar até lá, tirar algumas fotos e voltar até o ponto inicial sem problemas, conhecendo um pouco da cidadezinha famosa por seu morador ilustre.

Giverny e os Jardins de Monet

Giverny e os Jardins de Monet: cidade de Giverny

Museu do Impressionismo

Por último, aproveitamos os 20 ou 30 minutos restantes para conhecer o Museu do Impressionismo, que ficava bem perto do estacionamento de onde partiríamos de volta a Paris. O tempo é suficiente, já que apesar de interessante, o museu é bem pequeno e tem poucas (mas importantes) obras. Entre elas, é claro, várias do mestre Monet.

Giverny e os Jardins de Monet

Giverny e os Jardins de Monet: Museu do Impressionismo

Volta para Paris

A volta para Paris acontece pelo mesmo trajeto da ida, e mais uma vez foi super tranquilo e deu até pra tirar um cochilo! Rsrsrs.  Dessa vez, pedimos para o motorista nos deixar no Arco do Triunfo (para subirmos e observarmos a cidade mais no final do dia), e chegamos por volta de 17h50.

Avaliação Final:

Visitar a casa e os jardins de Monet é antes de tudo uma visita às próprias obras do autor, mas não como em um museu convencional, onde contemplamos o resultado final. A visita é uma imersão no processo criativo do autor, no objeto que inspirou sua obra. Para cada canto que olhamos, em cada flor, em cada reflexo do lago, pode-se revelar um fragmento do que foi representado em suas obras. Por vezes, nos sentimos fazendo parte da própria obra, como ao cruzar a pequena ponte japonesa ou ao observar o pequeno barco encostado as margens do lago, figuras marcantes de alguns dos principais e mais reconhecidos trabalhos de Monet.

Apesar disso, não é necessário ser nenhum especialista em impressionismo ou no trabalho de Monet para achar a visita interessante. Os jardins são lindíssimos independente do seu conhecimento sobre as obras, e nesse caso a visita acaba funcionando como uma boa preparação para as próximas idas aos museus de Paris. Depois dessa imersão em Giverny,  fica fácil identificar as obras de Monet logo que você bater o olho em uma delas, uma vez que você já esteve naqueles lugares, já “vivenciou” aquelas obras.

Sobre o passeio como um todo, achamos super válido fazer a excursão com a Paris City Vision. A economia de tempo, o conforto e a tranquilidade compensam a pequena economia financeira de fazer tudo por conta própria. É uma boa opção de passeio nos arredores de Paris, pois leva apenas meio dia e não custa muito caro.

Compartilhar esse post:

Sobre Augusto

Augusto

Jornalista e professor, viajando sempre em busca de novas cervejas, de boa comida e das melhores promoções.

  • Instagram
  • Email

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.