O que fazer em Mechelen

O que fazer em Mechelen: roteiro de 1 dia na cidade belga

Na metade do caminho entre Bruxelas e Antuérpia, a pequena Mechelen pode passar despercebida nas primeiras pesquisas sobre o que fazer na Bélgica. A exemplo da quase vizinha Leuven – que também merece ser incluída em qualquer roteiro por terras belgas – Mechelen é daquelas cidades pouco conhecidas pela maior parte dos viajantes brasileiros que escolhem o país como destino. Mas se você incluir no seu roteiro, eu garanto que vai se encantar pela cidade!

O que fazer em Mechelen
O que fazer em Mechelen (Fonte: Visit Mechelen)

Mechelen é uma cidade historicamente importante por si só. Entre os anos de 1506 a 1530 foi a capital dos Países Baixos, e durante o século XVI chegou a ser a capital da Borgonha, um ducado que se estendia desde a França até a atual Holanda. Dentre outras coisas, a cidade era famosa por suas esculturas de madeira, algumas das quais ainda podem ser vistas nas igrejas da cidade. A principal delas é a Sint-Romboutskathedraal, ou Catedral de São Romualdo, com sua imponente torre de cerca de 97 metros de altura que é um símbolo da cidade.

Os inúmeros edifícios de arquitetura flamenga de estilo antigo merecem destaque, especialmente nos arredores do Grote Markt (praça central onde fica a prefeitura e inúmeros restaurantes e bares) e da Groot Begijnhof (Grande Beguinaria).

Se não bastasse toda a importância arquitetônica e histórica, Mechelen ainda é o “lar” de uma das melhores e mais importantes cervejas belgas, a Gouden Carolus – fabricada pela cervejaria Het Anker, aberta a visitação.

Por tudo isso e pela proximidade em relação às grandes cidades belgas, Mechelen é considerada uma cidade ideal para um bate-volta (aquelas viagens de 1 dia). Depois de conhecer a cidade, a gente concorda e vai além: se possível, inclua um pernoite em Mechelen para poder curtir ao menos um dia e uma noite inteiras na cidade. Com boa comida, atrações importantes e cenários típicos de vilarejo medieval, Mechelen foi uma de nossas cidades favoritas na viagem pela Bélgica. Duvida? Então confira a seguir o nosso roteiro de 24 horas em Mechelen e veja tudo que dá pra fazer em 1 dia pela cidade.

Obs: nossa viagem foi durante o verão belga (mês de agosto). Algumas das atividades sugeridas e seus respectivos horários e preços podem sofrer alterações em função da época do ano.

Roteiro de 24 horas em Mechelen, na Bélgica – Dia 1

Grote Markt e ‘Visit Mechelen’

Em cidades como Mechelen, começar o dia pela praça principal (a Grote Markt) é sempre uma boa pedida. Na Grote Markt encontram-se diversos restaurantes, bares e cafés, além da Prefeitura de Mechelen. Aqui vale dedicar um bom tempo para admirar toda a praça, que é ampla e cercada por inúmeros edifícios de arquitetura flamenga. São casinhas coloridas bem ao estilo do nosso imaginário sobre a Bélgica. 🙂

Grote Market: bares, restaurantes e a arquitetura flamenga típica nas casas

Uma curiosidade é que o prédio da prefeitura começou a ser construído em 1526, mas ficou inacabado por falta e recursos – sim, isso também acontece na Bélgica. Somente entre 1900 e 1911 a obra foi concluída de acordo com os planos originais, com sua decoração em estilo neogótico. Não é difícil reconhecer o edifício – além da imponência, bem em frente fica uma estátua de um homem sendo arremessado para o alto, o ‘Opsinjoor‘ (falaremos mais sobre ele daqui há pouco).

Prédio da prefeitura de Mechelen e estátua do Opsinjoor afrente

Nos arredores da praça você pode visitar o escritório de turismo oficial (o Visit Mechelen) e pegar informações fresquinhas sobre a cidade, saber se há algo imperdível acontecendo, e ainda receber um mapa físico de Mechelen para enfim explorar o restante da cidade.

Sint-Romboutskathedraal (Catedral de São Romualdo)

Nesse momento é impossível que você ainda não tenha visto a imponente torre da Sint-Romboutskathedraal com seus 97 metros de altura. Então por que não caminhar até ela? 🙂

Com sua construção iniciada no XIII, a Catedral resistiu ao longo dos anos a saques, invasões e até mesmo ao bombardeio sofrido durante a Segunda Guerra Mundial. Já sua torre é 1 século mais “nova”. Com 97 metros de altura e mais de 500 degraus, ela é parte das 56 torres e campanários da Bélgica e França que estão na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO.

A Catedral de Mechelen e sua torre imponente, patrimônio mundial pela UNESCO

Se impressiona por fora, o interior também é de tirar o fôlego. A visita é gratuita e aberta ao público todos os dias, com exceção da subida a torre que é uma atividade cobrada a parte (você pode fazer no mesmo momento da visita a igreja em si ou deixar mais para o final do dia, como nós fizemos).

Detalhes do interior da Catedral

Além de obras belíssimas de diversos artistas belgas, destaque para o altar-mor em madeira, projeto de Lucas Faydherbe que data de 1665, com quadros que ilustram a vida do santo que dá nome a Igreja.

Detalhes das obras e do altar em madeira

Wollemarkt e a estátua do ‘Opsinjoor’

Lembra da tal estátua do Opsinjoor, o homenzinho sendo arremessado para o alto? Na praça Wollemarkt,que fica bem em frente a Catedral de São Romualdo, há uma versão gigante dessa estátua e…amarela!

A gigantesca e amarela estátua do Opsinjoor

A história por trás do significado da estátua é meio controversa. Mas a versão mais difundida é a de que o Opsinjoor representa um sujeito que, quando bebia, maltratava sua esposa. Como castigo, os vizinhos se reuniram para pegar esse homem, colocá-lo em cima de uma espécie de tela e “arremessá-lo” para o alto por diversas vezes pelas ruas da cidade.

Agora fica a dúvida se a história é verdadeira ou só uma lenda para desestimular o consumo excessivo de álcool e a violência contra a mulher. Mas o fato é que o Opsinjoor se tornou uma espécie de “Judas” na tradição cultural da cidade. Além das diversas estátuas, há algumas datas festivas onde as pessoas fazem bonecos do Opsinjoor e ficam arremessando para o alto. Independente da história, a grande estátua amarela em contraste com a torre da Catedral é algo bem simbólico e bem próprio de Mechelen.

A estátua virou um ponto de lazer para os locais

A praça em si atualmente é frequentada tanto por turistas quanto pelos locais – vimos muitas crianças brincando por ali. Se estiver buscando uma boa opção para o almoço, aconselhamos o clássico Lord Nelson, especializado na culinária local.

Groot Begijnhof (Grande Beguinaria)

Na sequência, outra atração a ser visitada em Mechelen é a Groot Begijnhof (Grande Beguinaria). Fundadas no século XIII, as beguinarias eram agrupamentos de pequenas construções usadas pelas Beguinas – beatas da Igreja Católica Romana. Uma espécie de convento, com a diferença de que as beatas não faziam o voto de pobreza das freiras. Com uma arquitetura bastante característica, essa é uma atração comum a muitas cidades belgas (e muitas da Holanda). Devido ao seu caráter típico flamengo e arquitetura única, a Grande Beguinaria de Mechelen foi declarada patrimônio mundial da UNESCO.

Grande Beguinaria de Mechelen. Fonte: Toerism Mechelen

Em Mechelen, originalmente as beguinarias ficavam fora da cidade murada. Por volta de 1560 essas casas foram destruídas, o que motivou as beguinas a se restabelecerem dentro das muralhas da cidade, onde cresceu a Groot Begijnhof. Durante esse processo, foram comprados prédios já existentes e construídas novas residências. O resultado é que a estrutura da Groot Begijnhof de Mechelen é bem diferente das demais cidades belgas. Um pouco menos interessantes na nossa opinião, mas que ainda assim merece ser visitada.

Visita a cervejaria Het Anker (Gouden Carolus)

Um dos motivos para incluir definitivamente a cidade de Mechelen em seu roteiro é a possibilidade de visitar a cervejaria Het Anker. A Het Anker é uma empresa familiar que começou a fabricar cerveja na Groot Begijnhof há cinco gerações. Ao longo dos anos, tornou-se uma das cervejarias mais famosas do mundo – muito por conta da deliciosa Gouden Carolus, uma de nossas favoritas entre todas as cervejas. Até hoje, a cervejaria que é uma das mais antigas da Bélgica (1471) preserva não apenas suas receitas originais mas também a autenticidade no processo de fabricação de suas cervejas.

Um pouco da nossa visita a cervejaria Het Anker

A visita guiada custa a partir de 9 euros por pessoa. Isso inclui o tour de cerca de 1h30 pela casa original onde as cervejas são produzidas até hoje e uma degustação de 2 cervejas ao final, no bar da cervejaria (reserve no total umas 2 horas para a atividade). Ah, e o tempo para a lojinha, já que é bem difícil resistir e sair sem levar nada. 🙂 A reserva do dia e horário precisa ser feita pelo site oficial da cervejaria.

Após a visita acontece a degustação de 2 taças de Gouden Carolus

De bônus, o telhado da cervejaria ainda reserva uma das melhores vistas de Mechelen. Passeio imperdível até para quem não gosta de cerveja. Uma das melhores visitas guiadas dentre todas as cervejarias que visitamos na Bélgica, muito por conta da simpatia do nosso guia (Jan Swerts), pela preservação histórica do lugar e , claro, pela qualidade da cerveja! 🙂

Além da visita ser muito informativa e divertida, ainda reserva essa vistai incrível de Mechelen

Subida na Sint-Romboutstoren, a torre da Catedral de São Romualdo

Encerrada a visita a cervejaria Het Anker, voltamos para a Catedral de São Romualdo para fazer a subida da Sint-Romboutstoren. Para quem já visitou esse tipo de atração, a subida em si não é muito diferente: muitos degraus, com paradas estratégicas onde são apresentadas informações históricas sobre a Catedral e sua construção.

Começando a subida dos mais de 500 degraus: vista do órgão da Catedral de cima, e o maquinário responsável pelas melodias dos sinos

Ao chegar ao topo, a bela vista aérea de Mechelen. Nós sempre subimos, e sempre nos surpreendemos com a beleza das cidades europeias vistas de cima. Esse vídeo oficial dá uma noção bem legal de toda a subida:

Normalmente o último horário permitido para entrar é até as 17h, então fique atento para não perder a hora! A atividade custa a partir de 8 euros por pessoa. Consulte o site oficial para mais informações.

IJzerenleen (principal avenida de Mechelen) e Vismarkt (o antigo mercado de peixes)

Dependendo da época do ano da sua viagem, o momento da descida da Sint-Romboutstoren poderá tanto ser noite quanto dia claro. Independente disso, é um bom momento para caminhar pela IJzerenleen, a principal avenida da cidade. É uma espécie de Champs Elysées de Mechelen – dadas as devidas proporções, é claro. Além das fachadas lindíssimas das casas, nessa rua ficam as principais lojas da cidade. Bom momento para quem curte umas comprinhas!

IJzerenleen, principal avenida de Mechelen com muitas lojas e fachadas antigas

A sequência da caminhada vai naturalmente te levar até as margens do rio Dyle (que cruza a cidade) e até a bela Hoogbrug, a ponte mais bonita de Mechelen. Com seus 4 arcos, ela foi construída por volta do século 13.

Rio Dyle e a Hoogbrug

Hora de uma pausa no Vismarkt, o antigo mercado de Peixes de Mechelen que hoje reúne os jovens atraídos pela grande concentração de bares e pelo clima descontraído. Um deles é o Pintxos, especializado em tapas, drinks e, claro, cerveja belga! Dá pra jantar por ali mesmo, ou então retornar até a Grote Markt e seus arredores em busca de um restaurante de comida típica e uma boa cerveja belga! 🙂

Fechando a noite com cerveja belga no Pintxos, um dos bares do Vismarkt em Mechelen

Roteiro de 24 horas em Mechelen, na Bélgica – Dia 2

Dijlepad e Vismarkt de dia

Se você seguiu nossa dica de passar uma noite em Mechelen e tem a manhã livre antes de seguir para outro destino, a sugestão é aproveitar o dia para voltar até a região do Vismarkt e do Rio Dyle e caminhar ao longo de suas margens. Durante o dia essa região tem uma atmosfera bem diferente, e ao invés dos bares, vale experimentar o café do Sister Bean.

Caminhada pelo Vismarkt e pelas margens do rio Dyle pela manhã

Seguindo pelas margens do rio há uma ponte flutuante e peatonal, a Dijlepad. Por ela é possível caminhar seguindo o curso do rio e apreciar toda a paisagem por um ângulo diferente, vendo as “costas” das casas antigas. Toda essa região é muito bonita e vale caminhar com calma para apreciar a arquitetura das casas e observar a vida acontecendo.

Dijlepad, a ponte que permite caminhar praticamente dentro do rio

Museus e Mercado Público

Se ainda sobrar mais um tempinho na sua programação (ou se você pulou a visita a cervejaria ou a subida a Torre da Catedral), existem outras atrações bastante interessantes que você pode incluir no seu roteiro por Mechelen.

– Paleis van Margareta van Oostenrijk (Palácio de Margarida da Áustria): Palácio residencial de Margarida de Áustria, o primeiro edifício renascentista dos Países Baixos (data do século XVI). Tem uma bela fachada e jardins internos que merecem uma visita. Infelizmente não conseguimos ir pois fica fechado aos domingos.

Kazerne Dossin: Museu sobre a temática da Segunda Guerra Mundial. Originalmente, o quartel de Dossin era onde ficavam judeus e ciganos da Bélgica e Norte da França antes de serem mortos (constam na história cerca de 25.000 pessoas nessa condições). Um novo museu foi construído para registrar o significado histórico do lugar e para ilustrar temas como racismo, exclusão e direitos humanos. 

– Museum Hof van Busleyden: Palácio renascentista de Mechelen transformado em Museu sobre a história da cidade e sobre os tempos em que a região era parte da Borgonha.

– Foodmarket (De Vleeshalle): um legítimo mercado público cujas origens remontam ao ano de 1881. Bom para experimentar produtos locais e para compras, é claro! 🙂


Viu quanta coisa tem pra conhecer e fazer em Mechelen? No mapa abaixo, um resumo dos principais pontos que visitamos e sugerimos.

Tem alguma dúvida sobre Mechelen? Quer contar a sua experiência na cidade pra gente? É só comentar aí embaixo! 


Onde se hospedar em Mechelen?

Como na maior parte das pequenas cidades europeias, para se hospedar em Mechelen a sugestão é que você fique o mais perto possível do centro histórico. É lá que tudo acontece e toda a parte turística e histórica da cidade pode ser visitada a pé.

Booking.com

No link abaixo você vai encontrar uma lista com os melhores hotéis para se hospedar em Mechelen, na Bélgica:

+ Encontre agora o seu hotel em Mechelen

De todos os hotéis, recomendamos especialmente o hotel Martin’s Patershof (a partir de 94€ a diária casal), onde nos hospedamos na noite que passamos em Mechelen. O hotel funciona em uma antiga Igreja da cidade e é uma experiência única!

+ Veja como foi nossa estadia no hotel Martin’s Patershof


Como chegar em Mechelen?

A melhor maneira de se deslocar pela Bélgica é o trem. A NMBS é a companhia de trem oficial do país, que tem uma ótima malha ferroviária, trens confortáveis e pontuais. A estação central de Mechelen fica bem próxima ao centro histórico da cidade (cerca de 10/15 minutos de caminhada).

Para quem vem de Bruxelas ou da Antuérpia, o trajeto de trem até Mechelen dura cerca de 30 minutos, e a frequência de trens é grande. Como esse é um trecho curto, dá até pra comprar só na hora da viagem (o preço é de cerca de 5,50€ por pessoa). Ou você pode utilizar o Benelux Pass da Rail Europe, como contamos nesse post sobre passes de trem pela Europa.

Outra opção muito boa para visitar Mechelen é alugar um carro. A Bélgica é um país pequeno e praticamente todas as cidades podem ser alcançadas de carro em poucas horas. A gente recomenda utilizar o site da Rentcars, o comparador de preços de aluguel de veículos mais popular da Europa.

+ Consulte agora os preços para alugar um automóvel na Bélgica com a Rentcars


E não esqueça de garantir seu seguro viagem:

O seguro viagem é OBRIGATÓRIO para quem viaja pela Europa. A empresa de seguros que a gente sempre usa e recomenda é a Seguros Promo. É um buscador que compara o preço das principais companhias de seguro viagem e apresenta sempre a opção com melhor custo-benefício para a sua viagem!

Ah, e agora vem a melhor parte: leitor do Viajar é Demais tem desconto, basta clicar aqui ou no banner abaixo e utilizar o cupom para fazer seu seguro pelo menor preço possível.

Compartilhar:FacebookTwitter
Augusto
Escrito por
Augusto
Envie sua pergunta ou comentário

1 comentário
Viajar é Demais